Fascismo – o que foi, onde ocorreu e principais líderes

Saiba o que foi o regime fascista na Europa, quais são suas principais características, os países que o adotaram e os líderes mais expressivos.

0

O radicalismo pode ser conceituado como um tipo de doutrina que prega ações revolucionárias com o objetivo de transformar a sociedade. Se levarmos esse termo para a política, encontramos princípios focados na alteração de estruturas sociais no intuito de modificar os sistemas de valores.

Ao longo da história, a humanidade assistiu o surgimento de correntes que se enquadram na ideia do radicalismo político dentre as quais aquelas cujas vertentes apontam para o autoritarismo nacionalista. A filosofia de criar o sentimento de valorização patriótica justificou a organização de regimes pautados na obediência e oposição à liberdade individual.

No início do século XX, em especial após a Primeira Guerra Mundial, os países europeus passaram por intensa crise social e econômica em virtude dos altos gastos com o conflito. Era o ambiente propício para o desenvolvimento de um ideal nacionalista que mobilizasse a população em torno da organização das nações afetadas.

Um dos mais expressivos e disseminados é o fascismo. Originado na Itália, o regime nasceu e se desenvolveu entre as décadas de 1920 e 1940 tendo dois nomes como principais defensores – Benito Mussolini e Adolf Hitler. Saiba o que é o fascismo, quais países adotaram e as principais características.

O que é o fascismo?

O fascismo é o regime econômico, político e social desenvolvido entre 1920 e 1940 em países europeus. Ganhou força com o final da Primeira Guerra Mundial, especialmente, em países que apresentavam crise econômica, ou seja, Alemanha e Itália. O termo vem do italiano fasci, que significa “feixe”.

Na Roma Antiga, o símbolo de um feixe de lenha era muito usado remetendo à ideia de união e força. O sentido era indicar que um galho sozinho podia ser quebrado, mas vários unidos tornavam-se resistentes. Ao fundar o Partido Nacional Fascista, em 1922, Mussolini resgatou a insígnia colocando-o junto a um machado e as cores da bandeira italiana.

O fascismo promovia um Estado forte e vigilante baseado na mobilização em massa. A esperança de uma revolução era depositada nas mãos de algum partido de vanguarda que organizaria a nação em torno de princípios contrários ao marxismo e suas vertentes, como socialismo democrático e comunismo totalitário.

Originalmente o fascismo foi um movimento político fundado por Benito Mussolini em 1919 e, inicialmente, composto por unidades de combate, as fasci di combattimento. Depois, foi apresentado como partido político em 1921. A diferença entre os governos fascistas e ditaduras está na organização das massas e autoridade única.

O movimento fascista se apresenta como forte reacionário à leva democrática insurgente a partir da Revolução Francesa, além da fúria contra concepções liberais e socialistas. O regime fascista chegou ao fim com a derrota desses mesmos países na Segunda Guerra Mundial e a divulgação de suas atrocidades.

Como surgiu o fascismo?

Com o fim da Primeira Guerra Mundial, a esquerda italiana se viu profundamente dividida a respeito da guerra. Enquanto o Partido Socialista Italiano (PSI) se opôs ao conflito, sindicalistas apoiaram a intervenção contra Alemanha e Áustria-Hungria sob a justificativa de que seus regimes precisavam ser derrotados para garantir o sucesso socialista.

A semente do fascismo brotou dessa divisão. Primeiro, Angelo Oliviero Olivetti formou um pró-intervencionismo chamado Fasci d’Azione Internazionalista em outubro de 1914. Pouco depois, Benito Mussolini aderiu à causa intervencionista em um fasci separado após ser expulso do jornal Avanti! devido sua postura pró-Entente.

Mas, o termo “fascismo” só foi usado em 1915 por membros do movimento de Mussolini, o Fasci d’Azione Rivoluzionaria. A Primeira Guerra foi vista como um meio de trazer as mudanças revolucionárias na guerra, sociedade, tecnologia e Estado. Com isso, foi implementada uma espécie de “cidadania militar” envolvendo cidadãos e exército.

A partir daí, o fascismo extrapolou as fronteiras do território italiano para ganhar espaço em outras nações europeias. Na Alemanha, ganhou o nome de nazismo sob as mãos do austríaco Adolf Hitler que pregava a purificação da raça ariana; em Portugal, a alcunha de salazarismo; na Espanha, a ação de Francisco Franco, apenas para citar alguns.

O que foi a Marcha sobre Roma?

A Marcha sobre Roma foi uma movimentação de cunho fascista ocorrida em 28 de outubro de 1922. O afluxo levou milhares de militantes que reivindicavam o governo da Itália. O evento simbolizou a ascensão do Partido Nacional Fascista (PNF) e o fim da democracia liberal. Benito Mussolini foi nomeado chefe de governo pelo rei Vittorio Emanuelle III.

A partir do momento em que a Câmara outorgou plenos poderes a ele, os fascistas foram ocupando os postos de comando do Estado. A oposição abandonou o parlamento após o assassinato de Matteotti, deputado socialista que denunciou a violência e corrupção do novo regime. Em janeiro de 1925, foi estabelecido um Estado totalitário.

Com isso, foram proibidos partidos políticos e sindicatos que não fossem alinhados ao regime fascista. Com o Pacto de Aço em 25 de maio de 1939, o duce, ou líder, se juntou à Alemanha do partido nacional-socialista, ato que levou à intervenção italiana na Segunda Guerra Mundial.

Quem eram os Camisas Negras?

A Milícia Voluntária para a Segurança Nacional, ou Camisas Negras, foi um grupo paramilitar fascista que, posteriormente, se constituiu em uma organização militar. Os membros ficaram conhecidos sob essa alcunha por usar, justamente, camisas negras como uniforme. Seu fundador foi Benito Mussolini.

O grupo atacava sindicatos, jornais e movimentos políticos, além de espancar intelectuais opositores ao fascismo, grevistas, membros das ligas camponesas e qualquer pessoa que se manifestasse contra o regime. Os “fascios” foram responsáveis pelo assassinato de aproximadamente 600 italianos em 1921.

Principais características do fascismo

Já sabemos que o fascismo assume um posicionamento autoritário nacionalista perante os governados. A veneração ao Estado, a devoção a um líder e a ênfase no ultranacionalismo e etnocentrismo são marcas fascistas reconhecidas. Mas, quais são as principais características presentes nesse regime? Vejamos:

  • anti socialismo: um dos principais objetivos do fascismo era impedir o alastramento do socialismo, regime operado pelos países da União Soviética. Com isso, defendiam o capitalismo e, por isso, ganharam o apoio de comerciantes, banqueiros e industriais
  • totalitarismo: o fascismo tinha como alicerce o controle do poder nas mãos de seus líderes além do caráter antidemocrático. Com isso, os chefes fascistas tomavam decisões ou instituíam decretos sem consultar a sociedade ou seus representantes
  • propaganda: a ideologia fortemente nacionalista era propagada pelo fascismo através dos meios de comunicação da época – cinema, revistas, rádio e jornais. Como exemplos, podemos citar os desfiles militares para mostrar o poder bélico da nação e disseminação dos discursos proferidos por Hitler
  • militarismo: os fascistas procuravam demonstrar a força de seus países por meio do poderio bélico, por isso, investiam em armas e equipamentos de guerra para justificar a expansão territorial
  • culto à força física: jovens eram treinados para uma provável guerra no intuito de formar um batalhão forte e saudável
  • censura: qualquer oposição aos governos fascistas eram duramente reprimidos pelas forças políticas através da censura à mídia. Os que não obedeciam eram condenados à prisão ou à morte
  • nacionalismo: outro alicerce sobre o qual o fascismo se apoiava era o nacionalismo, ou seja, a ideia de valorização patriótica e sua cultura em detrimento de outros países
  • ataque às minorias: talvez uma das características mais tristes, o fascismo perseguia judeus, ciganos, homossexuais e deficientes físicos. A maior tragédia humana da história, o holocausto configurou na prisão destas minorias em campos de concentração e na eliminação de 6 milhões de pessoas.

Onde aconteceu o fascismo?

Embora o regime tenha tido maior expressão na Itália e Alemanha, o fascismo esteve presente em vários países europeus e fortemente defendido por seus respectivos líderes. A estrutura política ganhou destaque nas seguintes nações:

  • Portugal
  • Espanha
  • Áustria
  • Bélgica
  • Grã-Bretanha
  • Hungria
  • Finlândia
  • Romênia
  • África do Sul
  • Brasil
  • Japão
  • China
  • Líbano
  • Costa Rica

Quais foram os principais líderes fascistas?

O regime fascista tem como principais nomes Adolf Hitler e Benito Mussolini, líderes da Alemanha e Itália, respectivamente. A diferença é que a prática alemã foi denominada como nazismo. Porém, outros nomes ganharam força na adoção de uma política nacionalista e autoritária em diferentes partes do mundo.

Entre os nomes aos quais fascismo e ditadura são fortemente ligados, podemos identificar:

  • Engelbert Dollfuss
  • Alexander Tsankov
  • Francisco Franco
  • Mussert Anton
  • León Cortés Castro

Nazismo

O nazismo pode ser considerado como uma forma de fascismo, no entanto, os dois regimes apresentam diferenças. A forma de governo praticada por Adolf Hitler na Alemanha tentou eliminar outras raças que não fossem a ariana sob a justificativa da purificação em favor de um povo biologicamente superior.

A intenção, na ideia do ditador, era criar uma superioridade de Estado. A semelhança entre os dois regimes é a popularidade obtida junto à classe operária por criar medidas que a apoiavam. Uma das marcas deixadas pelo nazismo foi o holocausto, perseguição às minorias, especialmente, os judeus com sua prisão e eliminação nos campos de concentração.

Franquismo

O Franquismo foi o regime político ditatorial vivido pela Espanha entre 1939 e 1976. O movimento cresceu no final da década de 30, após a Guerra Civil Espanhola, que deixou milhares de pessoas mortas no território do país. A vitória de um grupo nacionalista colocou o general Francisco Franco no poder.

Mesmo com a derrota da Itália e Alemanha na Segunda Guerra Mundial, o Franquismo seguiu vivo no país, tendo como principal característica a repressão aos seus opositores. Suas bases estavam depositadas no anti comunismo e catolicismo. O regime só chegou ao fim com a morte de seu líder, abrindo espaço para a abertura de uma democracia parlamentar.

Salazarismo

O Salazarismo foi um governo de inspiração fascista que predominou sobre Portugal entre 1926 e 1974. É uma das denominações do “Estado Novo” português liderado por Antônio de Oliveira Salazar. A ideologia tinha ainda influências no integralismo lusitano e na Doutrina Social da Igreja. Sua ascensão ao poder deu-se após o Golpe de Estado militar em 1926.

Entre suas principais características, estão antiparlamentarismo, anticomunismo, colonialismo, anti democracia, autoritarismo, corporativismo, tradicionalismo e nacionalismo. Com os poderes legislativo e executivo nas mãos do líder, o Salazarismo foi responsável pela criação de um aparato repressivo que controlava a população.

O governo chegou ao fim em abril de 1974 no episódio conhecido como a Revolução dos Cravos, ocupação militar pacífica que tomou o poder salazarista.

Filmes sobre o Fascismo

  • A Rebelde (1951)
  • Chá com Mussolini (1935)
  • Concorrência Desleal (1938)
  • Nós que nos Amávamos Tanto (1940)
  • Roma, Cidade Aberta (1943)
  • A Noite de São Lourenço (1944)
  • Caros F Amigos (1994)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.