Paulo Guedes promete zerar o IPI mais uma vez; veja o que isso mudaria!

Medida polêmica atrai defensores e opositores, mas garante produtos mais baratos para a população.

Na última terça-feira, 28, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, falou mais uma vez sobre zerar o IPI. No caso, a fala aconteceu no evento Painel Telebrasil 2022, em que o ministro fez o discurso de abertura. Em sua fala, Guedes garantiu que o fim do IPI está nos planos econômicos do Brasil, e ressaltou as medidas que o país tomou para chegar a essa meta. Mas o que exatamente significa esse imposto e em que implicaria o seu fim? Entenda de uma vez por todas!

Leia mais: Governo Federal baixa os impostos sobre os videogames e promete zerar o IPI

Produtos mais baratos 

A sigla IPI indica o Imposto sobre Produtos Industrializados, e que funciona como a tributação para comercialização de eletros, eletrônicos e muitos outros produtos. Na prática, esse imposto pode influenciar, principalmente, na venda de itens de tecnologia aqui no Brasil.

Na fala de Guedes para o Painel Telebrasil, o ministro ressaltou que o imposto é um dos grandes responsáveis pela desindustrialização do país. Afinal, os preços mais altos influenciam na tomada de decisão de compra do consumidor. Nesse sentido, a fala vai de encontro a uma série de reduções que o Governo Federal tem feito sobre o tributo. Inclusive, o discurso em torno de zerar o IPI não é novo, mas sim uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL). Para grande parte dos brasileiros, a redução contribuiu para a diminuição do preço de produtos importados, como os videogames.

Fim do IPI pode ajudar a aumentar a produtividade

Um dos motivos que sustentam a pauta para o fim do IPI é justamente a possibilidade de aumentar a produtividade. Segundo Guedes, o Brasil ainda é um dos países com a economia mais fechada do mundo, o que prejudica bastante as negociações com países estrangeiros. Inclusive, essa seria uma das causas daquilo que alguns teóricos chamam de desindustrialização do Brasil contemporâneo. Resumidamente, isso diz respeito ao fato de que o país não atrai investidores estrangeiros, e um dos motivos seria o pagamento de alta tributação.

Por outro lado, o fim do IPI poderia gerar consequências para o maior polo de fabricação de produtos eletrônicos do Brasil, que é a Zona Franca de Manaus. Isso porque esse polo possui isenção do imposto, o que ajuda na manutenção da produtividade. Todavia, segundo Guedes, o interesse do governo é fazer uma transição suave para o fim do imposto, de modo que não prejudique a Zona Franca.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More