Função Emotiva

A função emotiva tem como característica principal a mensagem centrada no emissor, isto é, uma mensagem em que toda a expressividade do discurso é garantida por meio de um discurso elaborado na primeira pessoa (eu). 

0

Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

O poema que você leu agora é de autoria de um dos maiores poetas da língua portuguesa, Fernando Pessoa. Ele não está aí por acaso: é um ótimo exemplo de nosso assunto de hoje, a função emotiva da linguagem. Pessoa posiciona-se em relação ao tema que está abordando, expressando seus sentimentos e impressões pessoais, características próprias da função emotiva.

As funções da linguagem, elementos da comunicação definidos pelo linguista russo Roman Jackobson, referem-se aos diferentes contextos nos quais a linguagem pode estar inserida. Cada situação comunicacional necessita de um tipo ideal de enunciação para que seja transmitida de maneira eficiente. No modelo de comunicação do estudioso, operam seis diferentes fatores. São eles:

  • Função emotiva;
  • Função referencial;
  • Função conativa;
  • Função metalinguística;
  • Função poética;
  • Função fática.

A função emotiva tem como característica principal a mensagem centrada no emissor, isto é, uma mensagem em que toda a expressividade do discurso é garantida por meio de um discurso elaborado na primeira pessoa (eu). Existem algumas marcas linguísticas e gramaticais que nos permitem identificá-la dentre as demais funções. São elas:

  • Verbos e pronomes em primeira pessoa;
  • Interjeições (responsáveis por revelar o estado emocional do falante);
  • Adjetivos valorativos;
  • Sinais de pontuação como reticências e pontos de exclamação.

No poema de Fernando Pessoa percebemos que a preocupação é com a própria mensagem, havendo assim uma combinação das palavras e um cuidado especial com sua organização sintática. Em “Não sei quantas almas tenho”, é possível perceber que os versos exprimem o mundo interior do eu lírico.

Normalmente, as funções emotiva e poética são associadas à linguagem literária, sobretudo com o gênero poema. Entretanto, elas podem ser encontradas também em vários tipos de textos e gêneros textuais, podendo ser encontradas até mesmo nas histórias em quadrinhos. Veja o exemplo:

Calvin e Haroldo
A função emotiva pode permear qualquer tipo de texto, seja ele uma narração, uma descrição ou uma dissertação

A função emotiva pode estar presente também em músicas, depoimentos, entrevistas, narrativas de caráter memorialista, críticas subjetivas de cinema, teatro e demais manifestações artísticas nas quais o discurso esteja centrado no próprio emissor. É importante lembra que, nos textos não-literários as funções emotiva e poética devem ser evitadas, garantindo assim maior inteligibilidade para a mensagem.

Luana Alves
Graduada em Letras

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.