História da África e seus primeiros povos

Conheça mais sobre a cultura africana, as primeiras civilizações, economia, modos de produção, arte e filmes que retratam um pouco mais sobre o continente.

1

Quando se fala em África, infelizmente, a tendência de grande parte das pessoas é generalizar como se fosse um só país. Nisso, todos os aspectos desse povo tão rico forma o que a escritora Chimamanda Ngozi Adichie chama de “História Única” quando, na verdade, existem várias histórias, inclusive, sobre um mesmo lugar.

A seguir, trataremos das primeiras civilizações que habitaram o vasto continente africano, contando sobre sua história, economia, arte e cultura.

Sobre o continente africano

O território do continente africano é banhado pelos Oceanos Atlântico e Índico, além do Mar Mediterrâneo. É composto por 54 países divididos em cinco regiões, sendo elas África Meridional, Ocidental, Central, Setentrional e Oriental. Estima-se que a população total da África esteja aproximada a 800 milhões de habitantes que falam mais de mil línguas diferentes. As principais são árabe, suaíle e hauçá.

Ao que tudo indica, o continente africano abrigou os primeiros seres humanos. Expedições arqueológicas encontraram, por lá, os fósseis mais antigos de hominídeos, com cerca de cinco milhões de anos. Mais tarde, evoluíram para formas humanas mais avançadas, como o Homo Habilis e o Homo Herectus.

África, antes da colonização europeia
África, antes da colonização europeia

O povo berbere

Conhecido como os nômades do Sahara, o povo bérbere atravessava o deserto em busca de território. Enfrentando escassez de água e fortes tempestades de areia, faziam comércio pelos caminhos onde passavam. Os principais produtos que comercializavam eram sal, ouro, cobre, vidro, temperos, pedras preciosas e plumas.

Seu principal meio de transporte eram os camelos e, a bordo desses animais resistentes e adaptáveis, paravam nos oásis (pequenas regiões férteis no deserto) para descansar e obter água. Sua organização é do tipo patriarcal, em famílias chamadas ikhs. Entre suas especialidades culinárias, estão o Burke (folheado recheado de carne, cebola e ovos fritos), o cordeiro e verduras, entre outros pratos.

A considerável importância deste povo para a África deve-se à transmissão de cultura e informação que eles promoviam durante suas viagens. Com origens persas e iranianas, o povo bérbere ocupa, hoje, as regiões do Sahara e Sahel, correspondentes ao Marrocos e Argélia. Provavelmente, são o povo mais antigo da África, aparecendo em documentos egípcios de 4 mil a.C.

Os bantos (bantu)

Grupo que habitava a região, hoje, correspondente à Camarões, Mauritânia, Mali e Nigéria, a nordeste da África. Ao contrário do povo bérbere, não tinham características nômades e se organizavam em aldeias comandadas por um chefe. Viviam de proventos obtidos pela agricultura, pesca e caça.

Através de seu conhecimento sobre a metalurgia, obtiveram vantagem na conquista de povos vizinhos, chegando a formar o Reino do Congo. Reino, este, que dominou boa parte da região Noroeste africana. Por volta de 2 mil a.C., expandiram seu território rumo à floresta equatorial da África central e, mais tarde, para o leste e sul do continente.

Eram governados pelo rei, o manicongo, a quem depositavam poderes sagrados capazes de influenciar nas guerras, saúde e colheitas. O rei se resguardava o direito de cobrar impostos de todas as tribos que formavam o reino, sob a forma de alimentos e mercadorias. Parte do que era arrecadado aplicava em seu exército particular e funcionários reais.

Os soninkés ou Império de Gana

Habitantes da parte sul do deserto do Saara, este povo se organizava em tribos que formavam o império comandado pelos reis caia-maga. Em conjunto com parentes e amigos, o reis formavam a nobreza, a quem os habitantes deveriam pagar impostos. Das aldeias, também vinham soldados e lavradores que trabalhavam nas terras da realeza.

Os soninkés viviam da agricultura, pesca e criação de animais. Por habitar uma região rica em ouro, extraíam o minério para troca por outros produtos com o povo Bérbere. Com o tempo, o Império de Gana, constituído pelos soninkés habitavam, tornou-se uma área de comércio intenso.

Império Songai

Estado pré-colonial africano que habitou, desde o século VIII, a região noroeste da África hoje, correspondente aos países do Níger, Mali e Burkina Faso. Sua capital era a cidade de Gao, situada às margens do rio Níger. O grupo étnico que o liderava era o songai que vivia da pesca, agricultura, pastoreio, comércio de sal e ouro.

Ao conquistarem o Mali no século XV, formou um único império. O Império Songai controlou o comércio da maior parte da África Ocidental entre os séculos XV e XVII. Gao foi conquistada pelo Império Mali em 1325 e a independência veio, apenas, em 1464.

Reino de Cuxe (Kush)

Este povo desenvolveu-se na região nordeste do continente africano, correspondente ao Sudão, entre 2 mil a.C. e 350 d.C. O reino era governado por um rei e, sob seu comando, dominavam a metalurgia, além de praticar o comércio marítimo no Mar Vermelho. Viviam da caça e pesca mas, mais tarde, aprenderam a represar a água para irrigar suas terras.

Também conhecido como Reino de Núbia, por muito tempo, foi dominado pelo Egito, civilização de quem recebeu influência religiosa, política e arquitetônica. Isso é notado pela construção de templos, palácios e pirâmides às margens do Nilo, além de seu politeísmo. Suas capitais eram Napata e Méroe.

Filmes que tratam da História da África

  • Mandela, longo caminho para a liberdade – 2013
  • O último rei da Escócia – 2006
  • Hotel Ruanda – 2004
  • O último rei da Escócia – 2006
  • A sombra e a escuridão – 1996
  • Quilombo – 1984

  1. Leocádio José Cordeiro Diz

    Fantástico, se possível abranger mais conteúdos sobre a História da África e suas principais civilizações.
    Muito agradecido

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.