Suspeita de fraude no mercado Bitcoin: Idoso perde R$ 192 mil e Itaú processa a corretora

Caso tramita na Justiça desde 2019, mas só teve diligência do processo atendida agora em março de 2022.

Um idoso de 81 anos teve sua conta invadida e perdeu uma quantia de quase R$ 200 mil em 2019. No caso, suspeita-se de fraude no mercado de Bitcoin, já que a quantia provavelmente passou por uma conversão para essa moeda digital. Isso porque corretoras como a Mercado Bitcoin trabalham diretamente como uma ponte entre o consumidor e as criptomoedas, semelhante a uma corretora de ações. Porém, o risco de fraudes nesse tipo de transação ainda é grande a depender da corretora.

Leia mais: App que prometia ler QR Codes pode ter infectado 10 milhões de celulares.

Itaú processa Mercado Bitcoin

O cliente Itaú notou que houve uma invasão em sua conta quando um valor de aproximadamente R$ 200 mil sumiu de seu saldo. Logo, o mesmo se dirigiu até a agência do banco, registrou o ocorrido e, assim, foi possível localizar Guilherme Arruda Guimarães, suspeito do crime.

Além disso, foi observado que o dinheiro passou por uma lavagem, conforme indica publicação no Diário de Justiça de São Paulo. Aparentemente, a lavagem aconteceu por meio de uma Exchange, isto é, uma conversão do valor em real para Bitcoin (BTC).

Foi então que o Banco Itaú decidiu entrar com um processo judicial contra a corretora Mercado Bitcoin, que logo em seguida bloqueou a conta do usuário. Assim, acredita-se que a conversão aconteceu por meio dessa corretora, já que o suspeito tinha conta ativa na mesma, mas a Mercado Bitcoin nega o ocorrido.

Como aconteceu a lavagem de dinheiro?

As investigações concluíram que o dinheiro roubado passou por uma conversão para criptomoedas e logo em seguida para real novamente. Essa é uma manobra de lavagem de dinheiro que busca desvincular a quantia original, mas reter o valor ou até mesmo multiplicá-lo.

Nesse interim, o cliente do banco Itaú segue sem o retorno da quantia que perdeu, embora agora se aproxime da conclusão do caso. Isso porque o juiz encarregado pediu a diligência do processo, ao passo que o Itaú pressiona ainda mais a corretora para que o valor seja ressarcido. Entretanto, a Exchange segue negando que foi alvo desse dinheiro e se recusa a fazer a transferência.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More