Manifestações Culturais da Região Nordeste

Em Pernambuco o frevo faz parte de uma das manifestações típicas da região nordeste, o ritmo carnavalesco conhecido por sua animação surgiu no início do século XX entre os anos de 1910-1911.

0

A cultura de uma região é simbolizada pelas diversas manifestações das tradições e costumes que dão origem a construção da identidade cultural daquele povo. Esses elementos permanecem na história através da sua transmissão de uma geração para a outra, a dança, culinária, músicas, ritmos, vocabulário, arte, religião são alguns dos fatores que compõe a construção de uma cultura.

O processo de globalização vem interferindo na permanência das manifestações culturais, a facilidade com a qual as pessoas se deslocam e se comunicam acaba modificando ou agregando novos valores a essa identidade ou até mesmo tentando padroniza-la no contexto de um mundo capitalista que prioriza mais o que vem de fora do que aquilo que é produzido em seu país, para não corrermos o risco de vermos a nossa cultura descaracterizada ou simplesmente abandonada, devemos buscar meios de repassar essas tradições para as próximas gerações, incentivá-las sobre a importância da manutenção da cultura popular para a permanência da nossa própria identidade.

A região Nordeste é composta por nove Estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, a natureza privilegiada e a beleza das muitas praias atrai milhares de turistas todos os anos. Mas além desses atrativos a região também possui diversos problemas sociais, muitos deles reflexos do baixo índice de chuva, o que prejudica o desenvolvimento da agricultura, da pecuária e provoca um êxodo rural em busca de melhores condições de vida nos centros urbanos, o que acaba por aumentar o número de desempregados nas cidades.

No entanto, ao contrário do que muitos acreditam a seca no Nordeste atinge com mais intensidade a região conhecida como Polígono das Secas, que abrange oito Estados nordestinos: Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, nesses lugares a temperatura elevada aliada ao baixo índice pluviométrico (baixa quantidade de chuva) contribui para o clima semiárido e a intensificação dos problemas sociais.

O governo vem criando algumas medidas para tentar diminuir o impacto da seca no desenvolvimento social, a transposição do rio São Francisco é um dos projetos que busca levar irrigação para as regiões mais áridas e beneficiar a agricultura. Apesar de todos os problemas, o povo nordestino também é conhecido por seu orgulho em preservar as suas tradições e costumes, eles sabem que ao manter viva a cultura popular eles estarão contribuindo para a preservação da história e identidade da sua região. Leia abaixo algumas das manifestações culturais do Nordeste:

Bumba- meu -Boi

Bumba-meu-boi festa típica do Estado do Maranhão.
Bumba-meu-boi festa típica do Estado do Maranhão.

O bumba-meu-boi é uma das manifestações folclóricas típicas do Estado do Maranhão. A tradição vem sendo repetida desde o século XIX, e gira em torno de um personagem vestido de boi que realiza diversas coreografias ao som de músicas regionais, ao seu lado participam diversos personagens do Brasil colonial: o escravo, o senhor de engenho, capitão do mato, vigário, cobrador de impostos. Segundo a lenda, um fazendeiro da região encontrou o seu boi preferido morto e recorreu ao pajé para ressuscitá-lo, após a realização de alguns rituais indígenas o animal reviveu e saiu dançando feliz ao lado do seu dono.

Maculelê

Maculelê
Maculelê

Dança afro-indígena trazida pelos africanos para o Brasil, ao chegar ao país incorporou alguns rituais dos povos indígenas. Consiste em uma dança executada por homens portando bastões que ao batê-los ao final de uma música produzem um som próximo ao ritmo cantado por eles. A dança era realizada nos canaviais dos senhores de engenhos e era uma forma do negro extravasar a sua raiva. Atualmente o maculelê está inserido em apresentações de capoeira.

Literatura de Cordel

Aposentadoria de Mané do Riachão

Poesias populares impressas em papeis coloridos através da técnica da xilogravura recebeu esse nome, pois, em Portugal era exposta amarrada em cordões em ruas próximas aos mercados populares. Foi introduzido no Brasil pelos portugueses no século XVIII, os livrinhos são vendidos pelos próprios autores a um custo muito baixo. O Cordel ficou conhecido por divulgar assuntos sócio-políticos utilizando uma linguagem mais cômica e próxima a linguagem simples dos moradores. Entre os principais representantes do gênero podemos destacar: Leandro Gomes de Barros (1865-1918), Patativa do Assaré, Chico Traíra e José Pacheco da Rosa. Abaixo segue um trecho da poesia de Patativa do Assaré.

Aposentadoria de Mané do Riachão
Seu moço fique ciente
De tudo que eu vou contar,
Sou um pobre penitente
Nasci no dia do azá,
Por capricho eu vim ao mundo
Perto de um riacho fundo
No mais feio grutião
E como ali fui nascido,
Fiquei sendo conhecido
Por Mané do Riachão.

Festas Juninas

Festas Juninas
Festas Juninas

As festas juninas fazem parte do calendário festivo da região Nordeste como uma homenagem a três santos da Igreja Católica: Santo Antônio, São Pedro e São João. No entanto, a origem dessas danças é anterior à era cristã. Diversos povos da antiguidade realizavam festas pagãs para comemorar as colheitas e agradecer aos deuses. Hoje Caruaru (PE) e Campina Grande (PB) ganham destaque na realização dos festejos juninos.

Samba de Roda

Samba de Roda
Samba de Roda

Festa popular que combina música dança e poesia, foi introduzida na região do recôncavo baiano no Estado da Bahia durante o século XVII. O samba de roda é uma mistura de tradições dos escravos africanos com elementos da cultura portuguesa. A coreografia consiste na disposição dos participantes em uma roda em que a mulheres uma de cada vez vão ao seu centro realizar uma dança que baseia se nos movimentos das mãos, dos pés e dos quadris.

Culinária Nordestina

Culinária Nordestina
Culinária Nordestina

Um dos grandes atrativos da região nordeste é a culinária diversificada. Os pratos típicos da região agregam influências da cultura indígena, africana e portuguesa. Iguarias preparadas a partir do uso de frutos do mar, milho, carne seca, mandioca e coco fazem da culinária nordestina uma das mais apreciadas do Brasil.

Acarajé, bolinho feito de feijão fradinho e frito no azeite de dendê. A profissão das baianas do acarajé foi declarada patrimônio histórico do Brasil em 2012.

Lorena Castro Alves
Graduada em História e Pedagogia

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.