Jovem recebe tratamento VIP ao viajar sozinha em avião durante a pandemia

Caso aconteceu na Europa. Mulher era a única passageira em um voo de 189 lugares. A viajante disse que a experiência foi única e pode aproveitar os cuidados.

Já imaginou receber tratamento exclusivo e vip de toda a equipe de voo em uma viagem? Pois foi o que aconteceu com uma britânica de 28 anos no último dia 17 de julho. Ela era a única passageira de um voo da companhia Ryanair entre Espanha e Inglaterra.

Leia mais: 15 Maiores economias do mundo

Pela ausência de outros passageiros, a jovem recebeu tratamento vip. Os cinco comissários de bordo atenderam a passageira, que ainda contou com muito espaço disponível.

O jornal britânico Daily Mail entrevistou a viajante solitária. Nadine Liu se assustou ao perceber que estava só no avião. “Cheguei ao portão de embarque e não encontrei mais ninguém lá”, relatou ao jornal.

Ela ainda acrescenta que ficou preocupada ao perceber que mais ninguém a acompanharia. “Fiquei um pouco preocupada, pensando que tinha ido para o portão errado. Então perguntei a uma mulher se eu estava no lugar certo para o voo de Liverpool e ela disse que sim”.

O Boeing 737-800 tem capacidade para 189 passageiros e levou Liu sozinha até Liverpool. “A moça no balcão me disse: a propósito, você é a única pessoa no voo. Achei que ela estava brincando, mas descobri que estava falando sério”.

“Experiência única”

A viajante disse que a experiência foi única e pode aproveitar bastante os cuidados exclusivos. “Parecia um jato particular, embora eu nunca tenha estado em um antes”.

Ela ainda teve direito de escolher a poltrona que achasse mais adequada. O assento era o 18A, mas por ser a única ela escolheu o mais espaçoso do avião. A companhia não comentou o acontecimento, porém Liu sentiu-se muito bem acolhida.

“Os cinco tripulantes de cabine foram muito amigáveis ​​e um deles me disse que era a primeira vez que ela estava em um avião com um passageiro em seus 15 anos com a Ryanair”, enfatizou.

O voo tinha duração de duas horas e meia e a passagem custa em média 50 libras. A Ryanair é uma das empresas aéreas mais populares da Europa e pratica viagens de rotina a um bom custo. 

Contudo, a ausência de passageiros pode ser justificada pelas medidas de restrição frente à pandemia de Covid-19. O país passa por uma lenta flexibilização das normas de convívio social.

No dia do voo de Nadine, passageiros vindos de locais de risco (como a Espanha) precisaram cumprir quarentena. Provavelmente este foi o motivo que resultou na viagem particular exclusiva da inglesa.

Além disso, as empresas aéreas europeias precisam realizar certos voos por obrigação. O motivo é garantir um determinado percentual de uso dos seus slots. Apesar de não ser possível precisar o motivo do voo solitário de Nadine, “voos fantasmas” aconteceram durante a pandemia.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More