Não deu ‘match’: Tinder e Google enfrentam batalha judicial nos EUA

Match Group informa que a instituição tecnológica violou as leis antitruste federais e estatais, perante as diretrizes impostas pela Play Store.

A empresa na qual coordena o Tinder, processou o Google. Em queixa utilizada no dia 8 de maio, através do Tribunal Federal da Califórnia, a Match Group informa que a instituição tecnológica violou as leis antitruste federais e estatais, perante as diretrizes impostas pela Play Store.

O processo ocorre devido a uma política que o Google está planejando executar para o ano de 2022. Vale lembrar que, em 2020, a empresa deixou claro a sua postura quanto as compras realizadas pelo aplicativo, exigindo por parte dos desenvolvedores do Android a cobrança de pagamentos que contivessem bens e serviços digitais, através da plataforma Play Store.

Além disso, o planejamento da empresa era realizar a nova política em setembro de 2021, onde não ocorreu, sendo preciso a extensão para junho deste ano. Em contrapartida, a empresa Match informou que o Google havia deliberado previamente o uso dos meios de pagamento pertencentes a ela.

Disputa

A Match ainda alegou que o Google havia ameaçado excluir os aplicativos referentes a empresa da plataforma Play Store em caso de descumprimento da política até 1⁰ de junho deste ano. Segundo eles, o buscador, inicialmente, rejeitou as atualizações dos aplicativos que ainda possuíam sistema de pagamentos próprios, como em serviços de relacionamento.

Já o buscador informou que o Tinder é considerado uma plataforma em que é capaz de pagar os 15% referentes às compras realizadas no próprio aplicativo, uma vez que é uma das mais baratas entre as outras. Para o Google, essa campanha é de um interesse comum dentro da Match Group, a fim de evitar um pagamento no qual não é relativo às plataformas móveis construídas.

Por fim, o processo atualmente ocorre em meio a um conflito entre o Google e a Apple, alterando suas políticas na loja de aplicativos pertencentes às duas empresas. Em fevereiro deste ano, a Lei de Mercados Digitais obteve um avanço por parte do Comitê Judiciário Americano, impedindo o bloqueio de desenvolvedores terceirizados nos sistemas de pagamento.

No entanto, essa decisão só será aprovada caso vire lei. A empresa Google acusa a Tinder de se reaproveitar dos investimentos feitos ao invés de se tornar um parceiro agregador, chamando-a ainda de “cínica”.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More