Nasa busca voluntários para passarem um ano em “Marte”

Missão estudará como os seres humanos conseguem sobreviver no planeta vermelho. A missão é para ficar por um ano em uma espécie de simulador de Marte.

A hora de matar a vontade de tirar férias da Terra parece estar chegando. Brincadeiras à parte, a Nasa está em busca de voluntários para passar uma temporada em “Marte”. Os selecionados vão saber por um ano como seria a vida no planeta vermelho.

Leia mais: Jovem recebe tratamento VIP ao viajar sozinha em avião durante a pandemia

Na verdade, não é exatamente uma missão para fora do planeta Terra. Infelizmente para alguns, esse momento ainda está um pouco distante de ocorrer. A missão é para ficar por um ano em uma espécie de simulador de Marte.

A empresa norte-americana Icon Technology vai construir um ambiente análogo ao marciano. A réplica ficará localizada no Centro Espacial Johnson, perto de Houston, no Estado do Texas.

O “Mars Dune Alpha” contará com uma área de 160 metros quadrados. A Nasa vai remunerar os voluntários para uma espécie de exploração simulada. A missão vai contar com comunicação limitada com a Terra, restrição de recursos e possíveis falhas tecnológicas.

Participantes terão dieta de astronauta

Os alimentos serão os mesmos que os astronautas comem. Ainda não se sabe se o cenário terá janelas, mas será possível cultivar alguma planta. A ideia é criar três experimentos como esse, sendo o primeiro já em 2022. 

Tendo o experimento como base, a proposta é entender como os seres humanos agem em situações assim. Os cientistas querem estudar a maneira de sobreviver em solo marciano de modo próximo ao da realidade.

Para se candidatar ao experimento é necessário ser residente permanente dos EUA. Além disso, também é preciso ter entre 30 e 35 anos de idade e nível de formação em mestrado. A pós-graduação tem que ser em matemática, engenharia, biologia, física ou computação.

Experiência com aeronaves é necessária

Os participantes terão que comprovar 2 anos de experiência ou 1 mil horas no comando de aeronaves a jato. Todos serão submetidos à avaliação física de astronautas para missões de longa duração.

O astronauta canadense Chris Hadfield comentou o experimento em uma reportagem no site Phys. Para ele, a iniciativa de procurar pessoas com perfil de astronautas é uma ótima ideia. Experimentos anteriores não tiveram bons resultados, como o Mars 500 (Rússia).

Ele também diz que ter um ano inteiro longe da vida cotidiana por ser algo positivo. “Imagine o quanto de Netflix você poderá assistir […]. Se você levar um instrumento musical, poderá entrar no experimento não sabendo nada e sair como um músico capaz de se apresentar em um concerto, se quiser”, brincou Hadfield.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More