Pequeno prodígio brasileiro pede à ONU que português seja sua língua oficial

Com apenas oito anos, o menino tem dois livros bilíngues publicados e é ganhador de concurso promovido pela Nasa com história relatada em estação espacial.

0

Seria uma quinta-feira normal para Jayathma Wickramanayake, Secretária-Geral da ONU para a Juventude, não fosse a visita de um pequeno prodígio brasileiro, de apenas oito anos. Nas mãos dele, um pedido para que a Língua Portuguesa figure entre os idiomas oficiais da Organização das Nações Unidas.

O encontro entre os dois aconteceu ontem, em Nova York. João Paulo Guerra, autor de dois livros bilíngues (em inglês e português), entregou à Secretária uma carta tratando, também, de “ciências, tecnologia, inovação, sobre proteger o planeta, reciclar as coisas e ensinar o que sabemos, ter respeito pelas pessoas e ser feliz”.

Apenas para entender a dimensão do pedido de João, a ONU tem, atualmente, seis línguas oficiais, sendo elas o russo, inglês, francês, espanhol, chinês e árabe. Os idiomas foram incluídos entre 1946 e 1973 e são línguas de trabalho das entidades e organismos ligados à organização. Com isso, os documentos emitidos estão disponíveis em todas elas.

O que João pretende é que o português figure nesta lista. A língua praticada por 223 milhões de habitantes em 15 países fica à frente de dois idiomas que estão no rol da ONU – o francês e o russo. Para ter seu pedido atendido, o jovem chegou a endereçar uma carta, escrita de próprio punho, ao Secretário-Geral da ONU, António Guterres. Confira o trecho:

Encontro com Secretária-Geral

A carta foi entregue, oficialmente, à ONU nesta quinta-feira, durante o encontro com Jayathma que prometeu entregar o texto à Guterres. João recebeu, também, um pin de 17 cortes representando a Agenda 2030 da organização que trata do desenvolvimento sustentável.

Carta escrita por João Paulo Guerra Barrera
Carta escrita por João Paulo Guerra Barrera

Quanto a isso, a Secretária-Geral afirmou que os 17 objetivos da Agenda (que, inclusive, foi mencionada na carta de João), são evidenciados pelos objetivos do garoto. Ela, ainda, comentou que “mesmo com oito anos, João Paulo consegue transmitir de maneira simples e lúdica que esses objetivos são possíveis para os jovens do Brasil e do mundo”.

João Paulo Guerra Barrera nasceu em São Paulo e, no ano passado, ganhou um prêmio da Nasa ao escrever um livro e criar um game sobre o espaço. Escrito em inglês e português, “No mundo da Lua e dos planetas” rendeu a ele uma participação na Bienal Internacional do Livro em São Paulo, em 2016, evento ao qual ele deve retornar em 2018.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.