Portfólio Escolar – Passo a passo de como fazer

O portfólio é considerado uma das melhores de maneiras de acompanhar a evolução da aprendizagem individual e da classe como um todo.

0

De forma bastante resumida, na educação, o portfólio escolar é uma forma de agrupar trabalhos, atividades, avaliações, fotografias e outros, em uma pasta individual. Geralmente ele é feito dentro do prazo de um ano ou semestre letivo.

O maior objetivo do portfólio é reunir em um único local toda a produção de cada aluno, para que ao final, seja possível acompanhar como foi a evolução dele em relação ao aprendizado daquele período. O portfólio permite, ainda, que o educador trace um panorama geral da classe, uma vez que ele terá acesso ao material de todos os estudantes.

Alguns professores adotam o portfólio como um instrumento metodológico de avaliação, possibilitando, inclusive, uma verificação a respeito das maiores dificuldades dos alunos, pontos que precisam ser reforçados e ajustados, além das ações a serem realizadas.

Caso o professor não tenha espaço para armazenar todos os portfólios, ou ainda, prefere armazená-los de forma prática, uma opção interessante é armazenar todas as produção em meio digital.

Para isso, a opção mais interessante é escanear as atividades e criar uma pasta para cada aluno, seja no computador ou online, em algum tipo de drive. Depois de realizar o arquivamento, o material pode ser devolvido para os estudantes.

Portfólio Escolar Passo a Passo

Antes de tudo, vale salientar que o processo de criação do portfólio não precisa ser unilateral, e que na medida do possível, os estudantes podem atuar como agentes ativos nesta tarefa.

Se o volume de atividades for muito alto, é possível pedir que eles mesmos escolham quais são os melhores desenhos, atividades e textos. Outra possibilidade é o auxílio em algumas etapas, como a identificação e apresentação.

Dito tudo isso, vamos ao passo a passo de como fazer um portfólio escolar?

1. Identificação

Conforme citado acima, o portfólio vai acompanhar o professor durante todo o ano, ou semestre letivo. Por isso, é importante que a identificação seja fácil e duradoura. Se ele for físico, algumas opções são as pastas específicas para arquivos. No mercado há uma infinidade de materiais e formatos.

A identificação pode ser feita na capa ou na primeira página. Uma solução interessante, e que envolve o aluno, é pedir que ele faça algum desenho que o identifique, como um autorretrato, por exemplo.

Outras possibilidades envolvem o uso de uma foto do estudante, um pequeno texto em que ele fala a respeito de si. Independente da opção, lembre-se sempre que o nome deve ficar em uma posição de destaque e que colocar a data também é importante.

2. Atividades anteriores

Se a criança continuar na mesma escola do ano anterior, é possível dar continuidade a um portfólio com as atividades do último ano. Algumas escolas, oferecem ainda, a entrega do portfólio quando o aluno pede transferência, então, é sempre bom checar.

Essa continuidade proporciona uma visão mais abrangente dos processos de aprendizado, principalmente no que diz respeito à alfabetização e desenvolvimento da coordenação motora.

3. Atividades mais importantes

O portfólio escolar é um instrumento vivo, que está sempre em construção. Ou seja, um dos pontos mais favoráveis a ele é justamente este, a possibilidade de ser construído com o passar do tempo.

Na metodologia de ensino de alguns professores, há atividades todos os dias. Entretanto, não é necessário colocar todas no portfólio. É possível escolher aquelas que proporcionam meios mais significativos para fazer o diagnóstico do aprendizado.

Também é possível escolher uma atividade relacionada a cada tópico de ensino. O importante, aqui, é conseguir visualizar o progresso do aluno, sem que isso seja transformado simplesmente em uma pasta que arquiva provas e atividades. Quanto maior a variedade, maior será a eficácia do método.

4. Fotos

Uma opção interessante, é acrescentar registros fotográficos dos alunos no portfólio. Pode ser datas comemorativas, apresentações e todos os momentos importantes que aconteceram no decorrer da construção.

Na educação infantil e alfabetização as crianças estão se desenvolvendo a todo vapor, tanto em relação ao aprendizado, quando no que diz respeito ao crescimento físico. Então, ao final do ano ou do semestre será uma surpresa recordar o quanto eles evoluíram em todos estes quesitos.

5. Singularidade dos estudantes

Também é importante observar que o portfólio é uma construção individual, então, é necessário respeitar as particularidades de cada aluno desde a identificação, passando pelas atividades, até a conclusão.

Como apresentar

A apresentação depende muito de como o portfólio será construído, ou seja, se ele é físico ou digital. Na segunda opção, os pen drives, CD’s e DVD’s podem ser utilizados. Para isso, basta copiar a mídia do computador para alguma das opções citadas.

Agora, se ele foi feito em uma pasta, caso haja necessidade, ela poderá ser apresentada em reuniões de pais ou reuniões com a coordenação. Uma vez que ela pode ser continuada no ano seguinte, cabe à escola decidir se vai entregá-la para a família ao final do ano ou se vai mantê-la como um arquivo.

Como fazer portfólio de uma turma ou projeto

Os portfólios podem ser usados também como uma forma de o professor arquivar tudo o que foi realizado durante todo o trabalho daquele ano ou projetos específicos. Nesse sentido, ele pode ser válido até como um registro profissional.

A montagem desses dois segmentos citados acima também pode ser online ou física. O importante é tentar colocar o máximo de detalhes possível a respeito de tudo que foi realizado. Alguns educadores optam por fazer anotações, reflexões, colocar fotos, atividades que foram usadas e tudo o que ajudar a remontar o ano letivo daquela turma.

No caso de um portfólio de uma turma, há uma estrutura que pode ser utilizada como base:

  • Identificação (escola, educador, data, foto da turma, etc.);
  • Nome de todos os alunos que compõem a classe;
  • Pequeno texto que descreva detalhadamente a turma na visão do professor;
  • Objetivos e expectativas para o período (bimestre, semestre, ano letivo, etc.);
  • Página com as sondagens de hipótese de escrita e possibilidades de intervenção;
  • Planejamento anual da alfabetização;
  • Páginas reservadas para os dados pessoais de cada estudante e os registros necessários no decorrer do período;
  • Espaço para os registros e conclusões do educador, além de outros documentos que julgar pertinente.

Em relação aos portfólios de projetos específicos, há também uma estrutura que pode ser facilmente adaptada conforme as necessidades do professor:

  • Capa com identificação (escola, nome do projeto, data, etc.);
  • Introdução, justificativa e etapas do projeto;
  • Objetivos;
  • Relato das ações e atividades;
  • Conclusão;
  • Fotos com legenda;
  • Material usado (filmes, livros, textos, etc.);
  • Referências bibliográficas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.