Quem conta essas mentiras no trabalho pode ser demitido por justa causa

O trabalho irá exigir comprometimento moral do trabalhador, de modo que as mentiras são por vezes indesculpáveis.

A demissão por justa causa é o recurso que o empregador tem de dispensar um trabalhador que ultrapassou os limites do contrato e prejudicou a empresa. Nesse caso, o colaborador perde os benefícios trabalhistas por conta da tentativa de lesar o patrão e isso inclui contar mentiras. Talvez você não soubesse disso, mas a depender do que é dito, as consequências podem ser grandes.

Assim sendo, veja aqui as mentiras que geram demissão por justa causa.

Leia Mais: Saiba se o saque extraordinário pode comprometer a multa por demissão.

O que acontece quando há demissão por justa causa?

Antes de conhecer as mentiras, é importante saber exatamente quais as consequências para os casos de demissão por justa causa. Bem, elas referem-se diretamente aos direitos trabalhistas, visto que, segundo a legislação, esses devem ser observados por ambos os lados do contrato. Assim, quem for demitido irá ter que lidar com a perda dos seguintes direitos:

  • 13º Salário;
  • Férias Proporcionais;
  • Aviso Prévio;
  • Indenização de 40% do FGTS;
  • Seguro desemprego
  • Saque do FGTS.

Mentiras que podem resultar em demissão

Agora que você sabe qual o nível de seriedade e impactos de uma demissão por justa causa, saiba o que evitar falar para não correr o risco de ser demitido dessa maneira. Mesmo com tais consequências, muitos trabalhadores não se atentam para o fato de que mentir para o patrão também é uma forma de romper com os limites do contrato. Afinal, o empregador espera a responsabilidade moral do trabalhador da mesma forma que ele precisa fornecer. É exatamente por essa razão que o profissional poderá resultar na perda dos direitos trabalhistas.

  • Mentir no Currículo

Atualmente, mentir no currículo já é uma prática recorrente e acredita-se que não tenha impactos. Porém, essa não é a verdade, visto que, caso a mentira afete diretamente o ofício, a empresa pode realizar o desligamento e atestar justa causa. Em casos de mentira de formação, por exemplo, é certo que a demissão aconteça.

  • Falsa morte de parente

Quando algum parente próximo de um colaborador morre, ele possui o direito a ter no mínimo dois dias de folga. Com isso, existem aqueles que alegam que um parente faleceu apenas para se livrar do trabalho. Entretanto, a comprovação dessa falsidade pode levar a demissão por justa causa ou até mesmo a um processo.

  • Alegar uso de vale-transporte

A prática de solicitar reembolso por uso de transporte público ou vale-transporte e ir a pé ou de outras formas ao trabalho é uma grave infração. Nesse caso, a empresa pode demitir por justa causa e até mesmo reivindicar esse dinheiro de volta.

  • Usar atestado médico falso

Mentir que se está doente para faltar ao trabalho é uma infração muito comum até os dias de hoje. Inclusive, muitos recorrem a atestados falsos para enfatizar a mentira. Porém, esse ato certamente gera demissão por justa causa e até mesmo processos.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More