Novo visto para o Reino Unido facilita entrada de graduados; entenda

Com o novo modelo de visto, pessoas de todos os locais do mundo, formados nas melhores universidades, poderão ingressar no país.

Algumas novas regras ampliaram o acesso de milhares de pessoas ao Reino Unido, incluindo os brasileiros, permitindo mais do que apenas viajar para conhecer o país. Nesse sentido, com o novo visto, foi disponibilizada a opção de permanência no país por até três anos. A mudança elimina a necessidade de oportunidades de emprego nas empresas britânicas.

Se você quiser saber mais sobre como vai funcionar o novo visto do Reino Unido, é só continuar lendo este artigo.

Leia mais: Saiba qual será o primeiro estado a emitir o novo RG

Novo visto para o Reino Unido facilita entrada de graduados que desejam trabalhar e morar no país

O Reino Unido (UK) revelou recentemente um novo modelo de visto. Dessa forma, as pessoas com diplomas das principais universidades do mundo agora podem solicitar o documento, que é válido por dois a três anos.

A ideia por trás dessa nova visão, oferecida por esse grupo de países, é atrair as mentes mais brilhantes do mundo para essas terras, mas a novidade vale apenas para quem recebeu o diploma nos últimos cinco anos.

Como vai funcionar o novo visto?

Os candidatos que solicitarem o documento e forem aprovados poderão permanecer por dois anos se forem bacharéis ou mestres. No caso dos doutores, o tempo salta para três anos.

Com isso, quem consegue trabalho, por exemplo, pode buscar outros tipos de vistos de longa duração para garantir a continuidade do emprego. A nova lei abre portas para quem opta por viver temporariamente no Reino Unido ou pretende passar o resto da vida num dos países em questão.

Para ter acesso ao novo modelo de visto, no entanto, a pessoa deve ter cursado uma das universidades que estão na lista das melhores do mundo, e esta deve aparecer no ranking há pelo menos dois anos. O governo do Reino Unido divulgou uma lista de nomes de universidades, facilitando a verificação.

Apesar de nenhuma instituição brasileira estar na lista das melhores do mundo, isso não impede os brasileiros de se candidatarem, pois o principal requisito é onde os alunos se formaram, não onde nasceram.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More