Senac oferta 13 mil vagas em cursos para famílias de baixa renda

O Senac de Minas Gerais disponibilizará 13 mil vagas em cursos online e gratuitos para famílias de baixa renda. Para participar, a renda mensal da família do candidato não pode ser maior que dois salários mínimos.

0

Diante do cenário de confinamento devido a pandemia, o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senac) de Minas Gerais disponibilizará, neste mês, 13 mil vagas em cursos cursos virtuais gratuitos. Os cursos serão ofertados por meio do Programa Senac de Gratuidade, instrumento criado para garantir o acesso à educação profissional de qualidade por famílias de baixa renda.

Para participar, a renda mensal da família (per capita) do candidato não pode ser maior que dois salários mínimos. As 13 mil vagas estão distribuídas entre 23 opções de cursos que podem ser realizados na modalidade à distância, no local e data de preferência do aluno.

O superintendente educacional do Senac em Minas, Anderson Ceolin, explica que as vagas gratuitas foram ampliadas devido ao momento caótico que o mundo tem passado. “É uma oportunidade para enriquecer a formação ou mesmo buscar uma nova área de atuação”, informa Anderson.

Cursos

No total, são 23 cursos gratuitos direcionados para as áreas de gestão, comércio, saúde, informática, moda, eventos, hospedagem e design. Confira algumas das opções:

  • Assistente Administrativo
  • Assistente Financeiro
  • Assistente de Recursos Humanos
  • Atendente de Farmácia
  • Consultoria de Imagem
  • Operador de Computador
  • Consultoria de Imagem
  • Webdesigner
  • Operador de Telemarketing
  • Recepcionista
As aulas acontecerão de maneira remota conforme o mesmo cronograma estabelecido em sala de aula. Ao final do curso, os alunos receberão um certificado com reconhecimento nacional. O aluno interessado deve escolher uma unidade e realizar a consulta de vagas.

Programa Senac de Gratuidade

O Programa Senac de Gratuidade (PSG) foi criado pelo Senac em 22 de julho de 2008, em parceria com o Ministério da Educação, Ministério do Trabalho, Ministério da Fazenda e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O programa tem como objetivo garantir o acesso à educação profissional de qualidade para pessoas cuja renda familiar mensal per capita seja de até dois salários mínimos.

Inscrições

Cada unidade define as datas, os cursos e os turnos de oferta. As turmas são divulgadas em Consulta de Vagas e em outros canais de comunicação das cidades de realização.

Para se matricular, além de ser necessário atender aos requisitos do curso escolhido, o candidato deve anexar na inscrição os seguintes documentos: Documento de Identidade, CPF, Comprovante de Endereço Residencial e Comprovante de Escolaridade.

As matrículas serão realizadas por ordem de inscrição, até o limite do número de vagas.

Leia também: Empresa lança cursos online e gratuitos para desempregados

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.