Telescópio James Webb revela galáxia mais antiga do universo

Depois de mostrar formações estelares, o telescópio James Webb atinge novo marco.

Com início em julho de 2022, as operações científicas do telescópio James Webb têm apresentado êxito. Após fornecer imagens exclusivas de formações estelares, morte e um fragmento do céu repleto de galáxias antigas, ele registrou um novo marco.

Leia mais: Descubra que fotografia da galáxia foi tirada no seu aniversário

Galáxia mais antiga do universo

Não há dúvidas de que o universo que habitamos possui milhares de anos. No entanto, o telescópio Webb detectou galáxias de quando o universo possuía 300 milhões de anos, a infância dos elementos cósmicos.

Os pesquisadores agora analisam as galáxias candidatas ao título de mais antigas do universo, a GLASS-z11 e GLASS-z13. Segundo eles, a luz da GLASS-z13 demora aproximadamente 13,4 bilhões de anos-luz para atingir os espelhos da espaçonave, posicionada a uma distância de 15 milhões de km da Terra.

Telescópio James Webb.
T. Treu/GLASS-JWST/NASA/CSA/ESA/STScI

Mistério no mundo da astronomia

Muito já se sabe sobre a formação do universo. Porém, os cientistas buscam a solução para certas perguntas, como responder com exatidão quando e em quais circunstâncias as primeiras galáxias se formaram.

Os astrônomos acham incompreensível como a luz da galáxia levou 13 bilhões de anos para chegar até o telescópio, enquanto agora se localiza a uma distância superior a 33 bilhões de anos-luz. E continua a se afastar, porque o universo se expande em um ritmo acelerado.

Até o momento, os astrônomos confirmam a existência de apenas uma galáxia, a GNz11. Ela se formou nas primeiras centenas de milhões de anos após o Big Bang, responsável por trazer vida ao universo.

A galáxia GLASS-z11, segundo Rohan Naidu, astrônomo de Harvard, apresenta um perfil de luz que se estende de modo exponencial, com contornos consistentes a uma galáxia de disco, aquela imagem conhecida por todos nós quando pensamos sobre o assunto.

A numeração 11 e 13 se refere ao desvio para a cor vermelha da galáxia, que se relaciona com o quanto a luz dessas galáxias precisou se esticar em virtude da expansão do universo. Assim, o número mais alto indica que a galáxia se encontra mais distante da Terra. Após a revisão da pesquisa pelos pares, será uma descoberta inovadora caso venha a ser confirmada. Para tanto, será usada uma ferramenta do telescópio Webb para detectar luzes infravermelhas próximas à galáxia.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More