5 Lendas Folclóricas da Região Sul

O folclore brasileiro contém diversas manifestações culturais, sendo singular em cada região. Conheça as lendas folclóricas da região Sul.

0

A região Sul é o única e cheia de detalhes na arquitetura, na música, na literatura, nas danças, celebrações, mitos e lendas. Estas duas ultimas são itens especiais na cultura dessa região. Pensando nisso, separamos 5 Lendas Folclóricas da Região Sul para você ficar por dentro do contexto cultural dessa região. Confira:

Veja também: 5 Lendas Folclóricas da Região Sudeste

Gralha azul:

A lenda conta sobre um dia que uma gralha negra dormia sobre um galho de pinheiro e acabou sendo acordada por golpes de um machado. Assustada, a gralha voou para cima, no qual ouviu uma voz pedindo para que retornasse ao local, pois assim, ela seria azul celeste e passaria a plantar pinheiros. Ao aceitar, a gralha negra passou a ter penas azuis, exceto ao redor da cabeça, onde permaneceu o preto dos corvídeos. Há quem realmente acredite nessa lenda, já que de fato,a Gralha-azul tem o hábito de enterrar pinhões, que posteriormente pode se transformar em pinheiros.

Cuca:

Sendo um dos personagens mais famosos do folclore brasileiro, a cuca é conhecida popularmente como uma velha feia na forma de jacaré que rouba as crianças desobedientes. A Cuca dorme uma noite a cada 7 anos, e quando fica brava ou enfurecida dá um berro tão alto que dá pra ouvir à 10 léguas de distância. Já que a Cuca vive acordada, alguns pais tentam passar medo em seus filhos que resistem dormir, dizendo que se elas não dormirem, a Cuca irá pegá-las durante a noite.

João de Barro:

Essa lenda conta a história de um jovem apaixonado que ao conhecer o pai de sua amada, diz fazer um sacrifício a prova de seu amor, de ficar nove dias de jejum para impressionar o sogro. Após passados os nove dias, olhos do rapaz brilharam, seu sorriso tinha uma luz mágica. Sua pele estava limpa e tinha cheiro de perfume de amêndoas. Todos se admiraram e ficaram mais admirados inda quando o jovem, ao ver sua amada, se pôs a cantar como um pássaro enquanto seu corpo, aos poucos, se transformava num corpo de pássaro! Em seguida, a moça também se transforma em um pássaro e vai voando atrás de seu amado. Depois, os dois jovens construíram sua casa e protegeram seus filhotes, assim como o passarinho João de Barro.

Pé de Garrafa:

Segundo a lenda, o pé-de-garrafa é um ser que habita florestas do Paraná. Possui corpo de um homem, pode ser de cor negra ou branca, tem o umbigo branco, corpo coberto de pelos, possui apenas um olho e um chifre localizados na testa, apenas um braço, mão com grandes garras e uma perna que não possui pé e sim um formato de fundo de garrafa (o que lhe dá o nome). A história é que essa criatura grita procurando saber o caminho da mata. As pessoas que escutam não devem responder, pois o Pé-de-Garrafa seguirá essa pessoa.

O Negrinho do Pastoreiro

Trata-se de uma história de estancieiro malvado com negros e peões. Em uma ocasião, este fez com que um negrinho de 14 anos fosse pastorear cavalos e potros que acabara de comprar. O menino obedeceu mas acabou perdendo um cavalo baio. O estanceiro furioso pegou o chicote e deu uma surra tão grande no menino que ele ficou sangrando. Além disso, ordenou que o menino achasse o cavalo. O menino achou mas deixou escapar novamente. De volta à estância, o estancieiro, ainda mais irritado, bateu novamente no menino e o amarrou nu, sobre um formigueiro. No dia seguinte, o menino estava intacto sem nenhuma marca no corpo. Ao lado dele, a Virgem Nossa Senhora, e mais adiante o baio e os outros cavalos. O estancieiro se jogou no chão pedindo perdão, mas o negrinho nada respondeu. Após, o negrinho partiu conduzindo o pastoreio, uma tropilha de tordilhos montado em um cavalo baio.

Desde então, quando qualquer cristão perdia uma coisa, fosse qualquer coisa, pela noite o Negrinho procurava e achava, mas só entregava a quem acendesse uma vela,
cuja luz ele levava para pagar a do altar de sua madrinha, a Virgem, Nossa Senhora, que o livrou do cativeiro e deu-lhe uma tropilha, que ele conduz e pastoreia, sem ninguém ver.

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.