5 Lendas Folclóricas da Região Sudeste

Mitos e lendas são elementos essenciais no folclore brasileiro. Destacam-se algumas na região Sudeste.

0

Lendas e mitos são muito comuns em todos os estados do Brasil de acordo com suas crenças e culturas. Cada uma possui uma origem específica e por isso atormenta os moradores dessas regiões. Pensando nisso, trataremos sobre 5 Lendas Folclóricas da Região Sudeste. É importante lembrar que as lendas e mitos variam suas versões de acordo com a região que é contada. Veja:

Veja também: 5 Lendas da Região Centro-Oeste

Bicho Papão:

1 Bicho Papão:

Essa é uma das lendas que os pais usam para colocar medo nas crianças desobedientes. Segundo a tradição popular, o bicho-papão se esconde no quarto das crianças mal educadas, nos armários, nas gavetas e debaixo da cama para assustá-las no meio da noite. Há versões em que o bicho papão aparece nas noites sem luar e coloca as crianças mentirosas em um saco pra fazer sabão.

Mula-Sem- Cabeça:

2 Mula-Sem- Cabeça:

Embora seja conhecida no Brasil inteiro, essa lenda é uma das mais fortes na região Sudeste. Se trata de é o fantasma de uma mulher que foi amaldiçoada por Deus pelo seus pecados e condenada a se transformar em uma mul mula sem cabeça que tem fogo ao em vez de uma cabeça, galopando através dos campos desde o sol de quinta-feira até o nascer do sol de sexta-feira. O mito tem várias variações em relação ao pecado que transformou a mulher amaldiçoada no monstro.

Mão cabeluda:

3 Mão cabeluda:

Essa lenda conta que a “mão cabeluda” , toma forma de diversas assombrações como: Cobra; mulher gritando em volta do açude e em uma grande mão que tenta agarrar os banhistas principalmente os noturnos Há relatos que contam que esta mão começou a aparecer, depois que morreu um senhor afogado no açude. Este senhor gostava de tomar banho altas horas da noite.

Procissão das Almas:

4 Procissão das Almas:

Essa lenda conta a história de uma senhora que costumava ficar sozinha em sua casa observando a movimentação da sua janela. Em uma noite, ela viu uma cena um tanto quanto inusitada. Era uma procissão, todos estavam vestidos com roupas largas brancas (como fantasmas) com velas nas mãos e ela não conseguia identificar ninguém, logo estranhou, pois sabia que não haveria procissão naquele dia e la conhecia os fiéis da igreja. Enquanto a procissão passava, uma das pessoas foi até a janela e entregou uma vela pra senhora, e disse que voltaria pra buscar no outro dia. A senhora guardou a vela e dormiu. Ao acordar, o local em que deveria estar a vela estava um osso de uma pessoa já adulto e de uma criança.

Quibungo:

5 Quibungo:

Essa é outro exemplo de lendas urbanas da região sudeste, no qual os pais usam para tratar e educar seus filhos. O Quibungo é uma espécie de Bicho-Papão negro, cuja principal função era disciplinar, pelo medo, as crianças rebeldes e relutantes em dormir cedo. Fala-se nesse personagem da literatura oral afro-brasileira, como cruel voracidade, enorme feiura, brutalidade e inexistente finalidade moral.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.