África do Sul – Apartheid, história, mapa, bandeira e principais fatos

Conheça toda a história da África do Sul, um país marcado pela segregação racial e pela luta de um símbolo da paz, o presidente Nelson Mandela.

0

Ser livre não é apenas quebrar as próprias correntes, mas viver de uma maneira que respeite e aumente a liberdade dos outros.

A frase foi proferida por Nelson Mandela, um dos principais líderes mundiais que tem origem na África do Sul, país localizado no continente africano.

O pensamento de Mandela condiz com a história de seu país, uma nação marcada pela segregação racial e luta pela liberdade, tanto como colônia inglesa quanto da maioria de seu povo contra a supremacia branca. Conheça, a seguir, um resumo da história da África do Sul, os principais acontecimentos e o que foi o apartheid.

O que é a África do Sul?

A África do Sul é um país localizado no sul do continente africano, na parte oriental do planeta Terra, ao sul do paralelo do Equador, ou seja, no Hemisfério Sul. Sua localização geográfica o permite ser banhado pelos oceanos Atlântico e Índico. A estimativa é de que o país abrigue cerca de 50 milhões de pessoas em seus 1.221.037 km² de área.

Africa do sul - mapa
África do sul – mapa

A maior parte de sua população é negra, representando 70% do total. Em seguida, vêm os brancos descendentes de ingleses e holandeses, na fração de 12% da população. O restante é composto por 13% de indianos e 2% de outras etnias. O país comporta dez línguas oficiais, sendo elas: inglês, zulu, xhosa, swazi, ndebele, seSotho do sul, seSotho do norte, tsonga, tswana, venda e afrikaans.

África do Sul – pré história

Registros históricos dão conta de que a região atualmente pertencente à África do Sul tem habitação antiga iniciada há cerca de 3 milhões de anos. Inicialmente, vieram os Khoisan, Xhosa e Zulu. Posteriormente, entre os séculos I e V, os Khoisan foram conquistados pelos Bantu, povo que passou a dominar o território desde então.

Os bantus foram os responsáveis pela criação de cidades mais estruturadas, além do cultivo de cereais e técnicas de metalurgia. Mais a frente, já no período pré-colonial, instaurou-se o Império Mapungubwe, desenvolvido entre os séculos IX e XIV.

África do Sul – período colonial

O período colonial na África do Sul começa em 1488 quando o navegador português Bartolomeu Dias passa pelo Cabo da Boa Esperança. A partir daí, começa a usar a Ilha Robben, terra disputada por portugueses, holandeses e ingleses, como uma feitoria de passagem para as Índias Orientais.

Mais de um século depois, em 1652, o administrador holandês das Índias, Jan van Riebeeck, cria a Colônia Holandesa do Cabo – ou, Cidade do Cabo. Porém, ao longo dos séculos XVII e XVIII, calvinistas aportaram na região com o objetivo de colonizar o país. A colônia é invadida pelo ingleses em 1795 após a conquista de colônias holandesas pelas tropas de Napoleão.

É importante frisar que, antes disso, as Guerras dos Cafres (1779-1981) tornaram comum a importação de escravos indonésios, indianos e de Madagascar, algo que só foi abolido em 1835. Entre 1899 e 1902, os ingleses entram em disputa com os colonos franceses e holandeses devido às minas de diamante. O período ficou conhecido como a Guerra dos Boers. Com a vitória britânica, eles passaram a dominar a maior parte da região.

A dominação britânica foi consolidada pelo Tratado de Vereeniging, em 31 de maio de 1902. Já no século XX, a África do Sul permanecia sob o domínio inglês e, em 1910, foi fundada a União da África do Sul. O idioma inglês foi determinado como oficial e os negros ficaram sem seus direitos sociais e políticos. Ademais, foram unificados Transvaal, Colônia do Cabo, Colônia de Natal e Colônia do Rio Orange.

Em 1948, foi criada a estrutura conhecida como Apartheid, cujos detalhes veremos adiante. A independência só veio em 1961 quando a União torna-se a República da África do Sul. Porém, o fim do apartheid deu-se bem mais tarde, apenas em 1994, com as eleições livres do dia 27 de abril daquele ano quando Nelson Mandela foi eleito o presidente do país.

Como foi a independência da África do Sul?

A independência da África do Sul foi declarada em 1961, após um referendo do qual somente os brancos puderam participar. Apesar da oposição interna e externa, o governo manteve o apartheid, manchando o processo de independência do país.

O que foi o apartheid?

O apartheid foi um sistema legalizado de discriminação racial que garantia o domínio da minoria branca na África do Sul. O termo africâner expressou a segregação que, de fato, teve suas raízes em 1910 quando, na instituição da União da África do Sul, africanos não brancos que residiam fora da região do Cabo foram proibidos de votar. Em 1911, a Lei de Regulamentação do Trabalho Indígena foi regulamentada.

Segundo o texto, o crime de quebra de contrato só seria configurado quando os trabalhadores fossem africanos. Três anos depois, a Lei da Terra delimitou a posse entre negros e brancos, dando 92,5% de posse aos últimos contra 7,5% dos primeiros. Em 1917, o termo apartheid já era abertamente empregado nos discursos do primeiro ministro Jan Smuts.

A admissão do regime só veio em 1944, mas adquiriu formato de combate ao comunismo sendo, assim, largamente aceito pelas potências mundiais na Guerra Fria. Porém, a África do Sul foi vetada pela ONU em 1960 e passou a sofrer sanções econômicas. Em 1972, mais um impedimento, desta vez, em participar das Olimpíadas de Munique. Como tentativa de manter o regime, a Lei da Proibição dos Casamentos Mistos foi promulgada em 1991.

No entanto, a transição do regime racista já era negociada pelo então presidente Frederik de Klerk. Sua consolidação deu-se mediante a eleição de Nelson Mandela como presidente da África do Sul, em 1994. Mandela foi o primeiro presidente negro do país após 27 anos de prisão.

O apartheid foi o motivo de diversos conflitos ao longo de sua existência, ocasionando uma verdadeira guerra civil no país. Em 1960, setenta manifestantes negros foram mortos durante um ato pacífico em Shaperville. Os protestos contra o regime racista cresceram após a prisão de Nelson Mandela, um dos principais líderes oposicionistas. Em 1976, uma rebelião, no distrito negro de Soweto e em outros municípios, terminou com 600 mortos.

Quem foi Nelson Mandela?

Presidente Nelson Mandela

Nelson Rolihlahla Mandela foi um advogado, líder rebelde e o primeiro presidente negro da África do Sul. Seu mandato foi cumprido de 1994 a 1999. Mandela é considerado como o mais importante líder da África Negra. Nascido em uma família de nobreza tribal, recusou o destino de tornar-se chefe da tribo para começar sua atuação na capital, Joanesburgo, aos 23 anos.

Transformou-se em um advogado e líder da resistência não-violenta da juventude, mas acabou como réu em um julgamento por traição. Após um tempo foragido, foi detido e permaneceu preso por longos 27 anos. Primeiro, em Robben Island e, depois, nas prisões de Pollsmoor e Victor Verster. Foi libertado em 1990 mediante uma intensa campanha internacional em meio a uma verdadeira guerra civil no país.

Foi eleito como o primeiro presidente negro da África do Sul e marcou a transição para a democracia multirracial. Em seu governo, fundou a Comissão da Verdade e Reconciliação, encarregada de apurar os fatos ocorridos durante o apartheid. Faleceu em 05 de dezembro de 2013.

África do Sul na atualidade

A partir da Constituição de 1993, a República da África do Sul ficou dividida em nove províncias, cada uma com sua legislatura, primeiro-ministro e ministros. Conhecida como “nação arco-íris” por sua diversidade de raças, a África do Sul possui três capitais: Executiva (Pretória), Legislativa (Cidade do Cabo) e Judiciária (Bloemfontein).

A moeda que circula no país é o Rand Sul-Africano. Atualmente, o país se destaca como forte polo turístico, agricultura e mineração. Na cultura, é berço de grandes nomes literários e destino de cinco Prêmios Nobel – Desmond Tutu (1984); Nelson Mandela e Frederik de Klerk (1993); Nadine Gordimer (1991); e John Maxwell Coetzee (2003).

Em 2010, as atenções do mundo se voltaram para a África do Sul quando o país sediou a edição da Copa do Mundo de futebol. Bilhões de dólares foram investidos na infraestrutura do país com esforços governamentais e da iniciativa privada. Nisso foram construídos hotéis, aeroportos, estádios e rodovias.

Filmes sobre a África do Sul

  • Zulu (1964)
  • Um grito de liberdade (1987)
  • Sarafina (1992)
  • Cry, the beloved country (1995)
  • Infância roubada (2005)
  • Desonra (2008)
  • Invictus (2009)
  • Distrito 9 (2009)
  • How to steal 2 million (2011)

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.