Tudo que você precisa saber sobre a Ariranha

Conheça as características, distribuição e modo de vida da maior lontra do mundo.

0

A ariranha (Pteronura brasiliensis), também conhecida como lontra-gigante, é o familiar sul-americano das lontras da América do Norte, Europa e da África. A lontra-gigante pode crescer até mais de 2 metros de comprimento, sendo a maior da sua espécie.

São encontradas nas florestas tropicais da Amazônia, até o Pantanal, a maior área úmida do mundo. A caça por sua pele, juntamente com a perda de habitat, reduziu seus indivíduos para um número estimado de 2.000 a 5.000.

Características

No comprimento do corpo, a Pteronura brasiliensis, é a maior das 13 espécies de lontras do mundo. Os machos das ariranhas atingem um comprimento total de 1,5 a 1,8 metros e um peso entre 26 e 32 kg. Já as fêmeas geralmente medem de 1,5 a 1,7 metros de comprimento e podem pesar entre 22 e 26 kg.

É difícil distinguir entre a ariranha macho e fêmea, porque não há diferença fundamental no tamanho da cabeça ou do corpo. A cor do pelo varia entre o castanho-avermelhado e o castanho-escuro, sendo que a pele densa e aveludada é composta principalmente por pelos curtos e impermeáveis.

A garganta e o tórax são geralmente marcados com manchas ou manchas irregulares de cor creme. O focinho, lábios e queixo são frequentemente manchados de branco. A cauda é achatada dorsoventralmente como a de um castor e grossa e musculosa na base. A cabeça é larga e com um focinho rombudo e inclinado.

Os bigodes são altamente sensíveis, a fim de facilitar a localização das presas em águas turvas, quando a visão é prejudicada. As narinas e orelhas pequenas podem ser fechadas para evitar a entrada de água durante o mergulho.

Habitat

A ariranha habita rios, córregos, lagos e pântanos de florestas tropicais de terras baixas. Esta espécie é particularmente vulnerável à perturbação humana. As lontras gigantes vivem em rios, lagos e riachos de água doce que se movem lentamente, com margens levemente inclinadas e vegetação saliente.

Distribuição

Historicamente, as ariranhas percorriam as florestas tropicais de várzea e as terras úmidas da América do Sul. Atualmente existem populações remanescentes na Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela, mas a ariranha é considerada extinta na Argentina e no Uruguai.

Reprodução

São animais muito sociais. As ariranhas vivem em famílias extensas de talvez dez lontras. Elas caçam cooperativamente e compartilham deveres na hora de cuidar dos filhotes. Os grupos respeitam territórios e não lutam entre si. A estrutura social estável é centrada no par dominante, que é o único que se reproduz. O grupo geralmente tem de um a quatro filhotes por ano, sendo que a gestação dura de 65 e 72 dias.

Estado de conservação

Esse animal encontra-se listado como “espécie em perigo” pela Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN).

Atualmente, a maior ameaça às lontras gigantes é a perda de habitat devido à poluição e ao assentamento humano. As ariranhas requerem proteção de suas presas, e os estoques de peixes do Pantanal são prejudicados pela destruição do habitat, pesca excessiva e poluição. A mineração é uma fonte significativa desse problema.

Caça

No passado, as lontras gigantes eram frequentemente caçadas por suas peles. Este comércio de peles de ariranhas é uma das principais razões pelas quais elas estão em perigo na natureza. Esta espécie é ativa durante o dia, muito vocal e não tem medo de se aproximar de humanos, ou seja, eram fáceis de caçar. Grande parte da população foi dizimada até que finalmente foram feitos esforços para protegê-los nos anos 70.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.