Bolsonaro não leu e não lerá a prova do Enem, diz ministro da Educação

Ao criticar uma questão da última edição do Enem, o presidente Jair Bolsonaro, disse que em sua gestão, o MEC não abordaria questões "dessa forma".

0

Na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizada em 2018, o atual presidente da república, Jair Bolsonaro, criticou uma questão que tratava de um dialeto usado entre gays e travestis, e ainda ressaltou que em sua gestão, o Ministério da Educação não abordaria questões “dessa forma” e que ainda iria tomar conhecimento da prova antes da aplicação.

Embora o governo de Bolsonaro tenha criado uma comissão para fazer uma avaliação ideológica das questões do Enem, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, relatou que o presidente “não leu nem lerá” a prova do Enem 2019.

“Salvo uma coisa totalmente fora do ‘script’, eu não consigo imaginar [que ele leria]. O presidente está com uma agenda tão atribulada, por que ele vai parar para ler a prova? Ele não leu, e não lerá”, afirmou o ministro.

Em uma recente audiência pública na Câmara dos Deputados, o presidente substituto do Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísito Teixeira, Camilo Mussi, afirmou que os professores que fazem parte da comissão e tiveram acesso às questões assinaram um termo de sigilo, e caso descumprirem e haja qualquer tipo de vazamento, serão punidos pelo Código Penal.

“Eu não li, o presidente não leu, ninguém que está aqui nessa mesa leu”, disse Weintraub. Ao seu lado, estavam Mussi e Alexandre Lopes, presidente do Inep.

Em função da orientação passada pelo presidente de qualquer conduta “ideológica” na elaboração das provas ser eliminada, o ministro da Educação, afirmou ter demitido um funcionário por não desempenhar essas instruções adequadamente.

“As pessoas que não performarem adequadamente serão desligadas [da pasta]”, completou Weintraub.

Segundo o Ministério da Educação, a edição do Enem 2019 já está pronta e está na gráfica para impressão. O exame tem data para aplicação nos dias 3 e 10 de novembro.

Enem digital

Segundo declarações de Weintraub, haverá mudanças na forma de aplicação do Enem, passando a adotar a forma digital. Já no ano que vem, será aplicado um modelo piloto, de forma opcional para os candidatos.

A prova piloto será oferecida a 50 mil alunos de 15 capitais brasileiras nos dias 11 e 18 de outubro de 2020. Já as provas tradicionais em papel, será realizada nos dias 1 e 8 de novembro do ano que vem. Até 2026, 100% das provas serão digitais.

“Este ano, a aplicação do Enem é normal, em papel, mas vamos começar o preparativo para o piloto digital em 2020”, disse o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Alexandre Lopes.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.