13 Brincadeiras com Papel

Estimule a interação entre as crianças por meio de brincadeiras simples, que precisam apenas de papel e muita criatividade. Veja nossas sugestões!

0

Brincadeiras com Papel

Sabe aqueles dias chuvosos que não dá para sair e brincar no quintal? Ou então quando dá aquela vontade de fazer algo diferente no recreio da escola? Nessas situações, as primeiras ideias que vem à cabeça envolvem os celulares, tablets e jogos eletrônicos.

Mas que tal deixar esses brinquedos tecnológicos um pouco de lado e conhecer algumas brincadeiras com papel? Elas podem ser tão divertidas quanto aquelas que dependem da internet, e o melhor de tudo, quase todas são feitas em grupo, o que proporciona momentos incríveis junto aos amigos, vizinhos ou primos.

Além disso, aqui, pais e professores que estão em busca de atividades alternativas para os pequenos encontram várias ideias e sugestões de brincadeiras com papel e caneta. Junte vários papéis, canetas coloridas, muita criatividade, e mãos à obra!

Quem sou eu?

É uma brincadeira ideal para ser feita com crianças já alfabetizadas. As regras do jogo são muito simples. Peça para que cada um deles escreva o nome de um personagem, animal ou outra categoria em um pedaço de papel. Sem mostrar a ninguém, deverão passá-lo ao colega do lado, que também não pode olhar.

Todos devem colar o papel que recebeu na testa (vale usar fita adesiva ou post it). Em seguida, para descobrir o nome que está em sua testa, cada competidor, a sua vez, fará perguntas as demais, que respondem apenas com SIM ou NÃO. Aquele que descobrir primeiro vence a brincadeira, que pode recomeçar quantas vezes as crianças quiserem.

Desenho livre e colagens

A mistura dessas duas técnicas pode gerar obras únicas e muito criativas. Procure em revistas velhas figuras bem coloridas e bonitas. Recorte-as e cole em folhas A4. Mas lembre-se que elas não devem ocupar todo o espaço em branco. Distribua vários lápis coloridos e peça para que as crianças completem o desenho, preenchendo todo o papel. Com certeza o resultado será surpreendente!

Detetive

Para o jogo ficar mais animado é interessante realizá-lo com cinco pessoas ou mais. Em pequenos pedaços de papel escreva o nome de todos os personagens (um detetive, um assassino e quantas vítimas forem suficientes para completar os demais participantes).

Dobre-os e coloque em um pequeno pote para fazer o sorteio entre os participantes. Cada um deve tirar um papelzinho, mas sem dizer nada aos outros. Posicionados em um círculo o assassino vai começar a matar as vítimas com uma piscada de olho. A vítima, ao receber a piscada, deve dizer “morri!”.

O objetivo do detetive é descobrir quem é o assassino, apontá-lo e dizer “preso em nome da lei”. A brincadeira termina quando o assassino mata todas as vítimas ou quando o detetive consegue prendê-lo. Aí, é só começar tudo de novo.

Jogo da velha

Brincadeiras com papel: Jogo da velha

Em um papel, faça duas linhas verticais paralelas, depois cruze-as com outras duas linhas paralelas, dessa vez, na horizontal, de modo a formar nove quadradinhos. Cada participante vai escolher um símbolo (X ou O). O objetivo é completar uma fileira na horizontal, vertical ou diagonal. Quem alcançá-lo primeiro vence. Se ninguém o fizer, será velha.

Stop ou adedonha

O nome da brincadeira depende muito de cada região brasileira. Para brincar é necessário apenas uma folha de papel e uma caneta para cada participante. Para montar a tabela devem ser definidas as categorias: nome próprio, CEP (cidade, estado, país), fruta, animal, carro, cor, marca e flor são algumas das opções.

Cada jogador deve montar as colunas em sua folha. A maneira mais tradicional de escolher a letra da rodada é pelos dedos dos jogadores. Escolhida a letra todos devem começar a completar as categorias. Quem terminar primeiro grita “stop!” e os demais devem parar de escrever imediatamente.

Se várias pessoas escreverem a mesma palavra em uma categoria, somam-se 5 pontos. Para respostas diferentes, 10 pontos. Se apenas uma pessoa completar determinada categoria, são 15 pontos. Ao final, vence quem fizer a pontuação mais alta.

Desenho cego

Dê uma folha de papel e uma caneta para cada uma das crianças. Peça para que ela fechem os olhos e façam movimentos aleatórios com a caneta no papel. Depois, já com os olhos abertos, é só colorir cada um dos espaços, formando um belo desenho abstrato.

Forca

Um dos jogadores deve pensar em uma palavra e colocar em um papel um risquinho para cada letra. Caso as crianças sejam muito pequenas, para facilitar o jogo é possível dizer a qual categoria pertence a palavra escolhida. Ao lado dos risquinhos será desenhada uma forca, ou mais, se houverem mais competidores.

O objetivo é adivinhar a palavra. Para isso, a cada rodada alguém deve dizer uma letra do alfabeto. Se acertar, basta colocá-la em seu respectivo risquinho, mas se o competidor errar, seu bonequinho vai ganhando membros na forca (cabeça, troncos, braços e pernas). O jogo termina quando alguém acerta a palavra. Jogadores que tiverem o bonequinho enforcado serão eliminados.

Jogo dos pontinhos

Jogo com papel: Pontinhos

Escolha um papel um pouco mais grosso e faça os pontinhos à caneta, conforme ilustrado na figura acima. Cada jogador, a sua vez, deve fazer um risquinho a lápis entre dois pontos, sempre na horizontal ou vertical, nunca na diagonal.

Quem conseguir formar um quadradinho faz sua inicial dentro dele. Quem completa o quadradinho tem direito a uma nova jogada. Se na sequência formar outro, segue jogando. Vence a brincadeira quem, ao final, tiver o maior número de quadradinhos. Depois é só apagar e começar tudo de novo.

Descubra o objeto

Para brincar será necessário diversas folhas de papel e canetinhas de ponta mais grossa. Escrava em pedacinhos de papel algumas palavras que sejam fáceis de desenhar (animais, objetos, itens da natureza, entre outros), dobre e coloque-os em um recipiente.

O participante da rodada deve escolher um dos papeizinhos e começar a desenhar o que está escrito nele. O objetivo dos demais é acertar do que se trata no menor tempo possível. Ao final da brincadeira, vence quem tiver o maior número de acertos.

Era um vez

Quanto mais crianças estiverem presentes, mais divertida será a brincadeira. Além disso, na hora de brincar, quanto mais criatividade, melhor. Escreva em uma folha de papel a frase “Era uma vez…”. O objetivo é escrever uma história conjunta.

Para isso, a cada rodada as crianças devem escrever uma frase que dê continuidade ao que foi escrito. Todos devem soltar a imaginação, para que o conto fique super divertido. Quando a folha estiver completa, é só fazer a leitura da história que foi escrita.

Forme palavras

Para enriquecer as atividades das crianças que estão sendo alfabetizadas, lance mão dessa brincadeira. Coloque uma folha A4 na horizontal e escreva sílabas em suas laterais. Tenha atenção apenas para que todas elas formem palavras.

Depois, é só entregar canetinhas ou lápis coloridos e pedir para que os pequenos liguem as sílabas formando palavras. Ainda que simples, essas palavrinhas vão proporcionar grande estímulo no desenvolvimento da leitura e escrita.

Adivinhe o número

Apesar de muito simples, a brincadeira é uma grande aliada na hora de desenvolver atenção e memória auditiva. Escreva, em uma folha de papel, uma sequência numérica de aproximadamente cinco dígitos e entregue a um dos participantes. Para o outro, entregue papel e lápis.

Aquele que está com o número em mãos deve bater a quantidade de palmas referente a cada um dos números, um de cada vez. O objetivo do outro é, apenas pelas palmas, adivinhar qual é a sequência numérica.

Mímica

Escolha uma categoria para a mímica (filmes, personagens, ações, sentimentos…). Use vários pedaços de papel para escrevê-los. Os jogadores, cada um a sua vez, devem escolher um dos papéis. O objetivo é que, sem dizer nenhuma palavra, ele encene o que está escrito. Os demais devem descobrir do que se trata. Quem desvendar será o próximo a fazer a mímica.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.