Charles Chaplin

Conheça agora a história do grande nome do cinema mudo. Além disso, confira os momentos de sua carreira e seus principais filmes.

0

Charles Chaplin foi um importante ator, dançarino, diretor e produtor inglês. Conhecido como um dos grandes nomes do cinema mudo, suas mímicas e comédias eram bem conhecidas como “pastelão”.

Seu personagem mais famoso foi Carlitos, que de uma forma muito engraçada denunciava as diferenças sociais. Esse personagem passou a ser a figura central de vários outros filmes do artista britânico.

Charles Chaplin morreu de causas naturais no natal de 1977. No dia 3 de março de 1978 seu corpo foi roubado e só foi encontrado no dia 18 de maio do mesmo ano. Hoje, ele possui uma estrela na calçada da fama, localizada em 6751 Hollywood Boulevard.

Biografia de Charles Chaplin

Charles Spencer Chaplin nasceu no dia 16 de abril de 1889 em Londres, Inglaterra. Seu pai, Charles Spencer Chaplin era vocalista e ator e sua mãe, Hannah Chaplin era cantora e atriz.

Antes do artista completar três anos de idade, seus pais se separaram. Seu pai era alcoólatra. Por isso, em 1901, morreu por conta de uma cirrose hepática. Depois, sua mãe foi internada em um asilo, fazendo com que Chaplin fosse transferido para um orfanato.

A vida sentimental do artista sempre foi muito intensa. Ele se casou quatro vezes, sendo que as três primeiras eram estrelas de seus filmes. Destas, se divorciou por conta de escândalos. Seus nomes eram: Milded Harris, Lita Grey e Paulette Goddard.

Aos 54 anos conheceu Oona O’Neill, filha do teatrólogo irlandês Eugene O’Neil. A moça tinha apenas 18 anos e com ela, Chaplin casou-se, teve seis filhos e permaneceu até o fim de sua vida.

Após o filme “O Grande Ditador”(1940), o astro do cinema passou a ser perseguido pelo governo norte-americano, pois foi acusado de propagar ideias consideradas comunistas. Nesse período, Charles estava nos Estados Unidos e foi exportado no país.

Até que em 1972 ele volta aos Estados Unidos. Dessa vez, para receber um Oscar. As palavras do discurso de Charles Chaplin foram: “Palavras são tão fúteis, tão frágeis. Gostaria apenas de dizer obrigado pela honra do convite”.

Em 1975 o artista foi condecorado pela rainha Elizabeth com Sir, a Excelentíssima Ordem do Império Britânico. Com essa ordem da cavalaria britânica, ele foi reconhecido por sua contribuição para as artes e as ciências.

No dia 25 de dezembro de 1977, na cidade de Vevey, Suíça, Charles Chaplin morreu de causas naturais. O ícone tinha 88 anos.

Trajetória de Charles Chaplin

Com 19 anos (1908), Charles Chaplin passou a fazer sucesso como mímico no teatro de variedades. Até que em 1910, em uma turnê, foi visto por um produtor cinematográfico. Então, em 1913 estreou como ator de cinema na Keystone Film Company.

Contratado pela Essanay em 1914, o artista começou a receber um alto salário e ainda ganhou sua própria unidade de produção. No ano de 1915, ele produziu sua primeira comédia, que foi “O vagabundo”.

Nessa obra, foi criado um de seus personagens mais conhecidos, o “Carlitos”. Este passou a estar presente em praticamente todos os filmes de Chaplin, com seu jeito refinado, pobretão, andarilho, vestido com casaco esgarçado, calças e sapatos desgastados e um chapéu-coco.

No ano de 1919, o artista fundou a United Artists, sua própria produtora. Com o “Carlitos”, Charles mesclou humor, poesia, ternura e crítica social. Então, pode-se citar: O garoto (1921), Em busca do ouro (1925), O circo (1928), dentre outros.

Em 1927, iniciou a era do cinema falado. A princípio, Chaplin tinha muita resistência. Com isso, ele criou filmes como “Luzes da cidade” (1931) e “Tempos modernos” (1936). Até que em 1940 o artista criou seu primeiro filme falado, nomeado como “O Grande Ditador”.

No ano de 1975, publicou sua autobiografia “Minha Vida”. Em 1972, ele foi premiado com o Oscar Honorário de melhor trilha sonora pelo filme “Luzes da Ribalta”.

Carlitos

Carlitos foi o personagem de Charles Chaplin que mais encantou o mundo. Vagabundo, sensível, se metendo em diversas confusões e com roupas que não combinavam em nada, foi uma das estrelas do humor.

O personagem veio ao público pela primeira vez no dia 7 de fevereiro de 1914, com o filme “Automóveis para meninos”. Para alguns, Carlitos só demonstrava vulgaridade, mas a grande maioria, amava a comédia pastelão.

A criação de Charles Chaplin permaneceu por 22 anos após sua estreia. Durante sua filmografia, o brega e sensível criticaria alguns problemas que estavam presentes na sociedade. Isso de uma forma dinâmica e discreta.

Filmes de Charles Chaplin

1 Luzes da Cidade (1931)

Luzes da Cidade (1931)


O vagabundo se apaixona por uma jovem florista cega. Sabendo que ela e sua avó estão prestes a serem despejadas, ele tenta encontrar maneiras de pagar o aluguel. Por isso, se mete em várias confusões.

2 Tempos Modernos (1936)

Tempos Modernos (1936)


No filme, Carlitos trabalha em uma fábrica. Na rotina, as máquinas passam a dominá-lo de uma forma que o levam para a prisão. Nessa passagem, ele conhece uma garota órfã. A partir de então, ambos tentam lidar com a dificuldade da vida moderna.

3 O Grande Ditador (1940)

O Grande Ditador (1940)


Esse filme mostra um barbeiro judeu que passa anos em um hospital do exército se recuperando de suas feridas (ele serviu na Segunda Guerra). Quando retorna ao seu bairro, nota diversas mudanças brutas e se une com seus vizinhos para se rebelar.

4 O Vagabundo (1915)

O Vagabundo (1915)


Encontramos Carlitos, um andarilho que com seu jeito gentil, simples e ingênuo, se mostra um verdadeiro cavalheiro. Ele encontra a mulher da sua vida e busca formas de achar um trabalho para uma família.

Outros filmes de Chales Chaplin

Confira outros filmes do grande nome do cinema mudo:

  • Carlitos Casanova (1914);
  • O Vagabundo (1915);
  • O Imigrante (1917);
  • Vida de Cachorro (1918);
  • Carlitos nas Trincheiras (1918);
  • O Garoto (1921);
  • Pastor de Almas (1923);
  • O Circo (1928);
  • Luzes da Ribalta (1952);
  • Um Rei em Nova Iorque (1957);
  • A Condessa de Hong Kong (1967).

Frases de Charles Chaplin

A persistência é o caminho do êxito.

A vida é maravilhosa se não se tem medo dela.

Pensamos demasiadamente e sentimos muito pouco. Necessitamos mais de humildade que de máquinas. Mais de bondade e ternura que de inteligência. Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá.

Se matamos uma pessoa somos assassinos. Se matamos milhões de homens, celebram-nos como heróis.

Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.

O amor perfeito é a mais bela das frustrações, pois está acima do que se pode exprimir.

A beleza é a única coisa preciosa na vida. É difícil encontrá-la, mas quem consegue descobre tudo.

Leia também: Lamartine Babo: Quem foi, Biografia e Músicas

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.