Coqueluche – O que é, sintomas, transmissão, tratamento, vacina

A coqueluche é uma infecção causada por uma bactéria que acomete em maior número as crianças. Descubra como tratar e prevenir a doença.

A coqueluche é uma doença que pode se parecer muito com a gripe comum, porém, é facilmente identificada porque apresenta uma característica própria diferente: a tosse.

Além disso, ela pode desencadear casos graves se não for tratada adequadamente.

O que é coqueluche?

A coqueluche é uma infecção respiratória causada pela bactéria Bordetella pertussis e sua a principal característica é crise de tosse seca.

Essa doença é altamente contagiosa e pode apresentar casos mais graves principalmente em crianças.

Além disso, a infecção pode ser transmitida em qualquer época do ano e pode atingir pessoas de todas as idades, mas acomete principalmente crianças com menos de dois anos de idade.

Em casos mais graves, as complicações podem acometer seriamente os pulmões, alguns aspectos neurológicos, hemorrágicos, desidratação e até levar à morte.

Quais os sintomas de coqueluche?

Os sintomas da coqueluche podem variar de acordo com o nível da doença. O primeiro nível é o mais brando, com sintomas mais leves, como o de um resfriado, manifestando mal-estar geral, corrimento nasal, febre baixa e tosse seca.

Já no estágio intermediário e em um nível mais avançado a tosse se torna severa, descontrolada e comprida que pode causar: possíveis problemas de respiração, eventual ânsias de vômito e cansaço extremo.

Além disso, a contração da doença pode acarretar em outros problemas de saúde como pneumonia, infecção do ouvido, ou mais gravemente, desidratação, paradas respiratórias, convulsões e lesão cerebral.

Como acontece a transmissão e fatores de risco

Como já dito, a coqueluche é uma doença infecciosa bacteriana. Assim, ela é altamente transmissível e seu contágio ocorre justamente através do contato com outra pessoas contaminada.

As formas de transmissão são pelas gotículas eliminadas pela tosse, espirro ou durante a fala. Outras formas de contágio são por objetos contaminados com secreções de pessoas doentes, apesar de ser mais raro, pois as bactérias não vivem facilmente fora do organismo humano.

Porém, vale ressaltar que existe vacina específica e, assim, só pessoas não imunizadas contraem a doença.

Os fatores de risco e prevenção estão ligados à vacina, de forma que a doença está amplamente relacionada com a falta de imunidade. Assim, a forma de se precaver é tomando a vacina.

A vacina para coqueluche

Como a coqueluche é mais propensa a atingir crianças e muito mais recorrente nestas, as vacinas são oferecidas para os bebês, tendo de ser tomadas três doses da vacina antes dos 4 anos de idade.

Entretanto, os adultos que tomaram a vacina quando crianças podem ficar suscetíveis a doença pois a vacina pode perder seu efeito.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito principalmente com a constatação ou suspeita médica a partir da tosse típica e comprida da coqueluche, ou podem relacionar aos outros sintomas.

Para confirmar o diagnóstico é feito um exame do muco do nariz e boca. Esse exame é realizado com a cultivação desse muco e aplicado um teste nas amostras para a detecção das bactérias.

Tratamento de coqueluche

O tratamento é feito com o uso de antibióticos específicos, prescritos pelos profissionais de saúde.

Dependendo da gravidade ou caso, recomenda-se a internação. Por exemplo, nas crianças, a internação é feita na maioria dos casos, por serem mais vulneráveis e a doença se manifestar mais gravemente, podendo até causar a morte.

Entretanto, após a conclusão do tratamento a doença e a bactéria é totalmente eliminada do organismo, com isso se obtém uma certa resistência a doença, apesar de não ser ser permanente.

Veja também: Sarampo – Sintomas, tratamento, vacina, causas, transmissão

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More