Desrespeito aos Direitos Humanos não vai zerar a redação no Enem 2018

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve o edital publicado na última semana. A publicação, que está no Diário Oficial do dia 21 de março, teve algumas mudanças em relação ao ano passado.

0

Uma dessas mudanças é que diferente dos anos anteriores os candidatos que desrespeitarem os direitos humanos na prova de redação não terão a nota zero atribuída à avaliação.

No texto no edital não consta esta como uma causa capaz de fazer com que a banca dê nota zero nesse caso. Inicialmente a regra foi suspendida pela Procuradoria Geral da República (PGR).

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmem Lúcia manteve a decisão da PGR. E a regra passou a valer já para o exame de 2017. Na época da decisão do STF, o coordenador do Movimento Escola Sem Partido, Miguel Nagib, responsável pela ação pública, declarou que esperava pela decisão favorável do STF.

A alegação do Movimento que moveu ação é de que os critérios de correção no Enem ao zerar redações que ferem os direitos humanos em redações passadas, é que o direito à livre manifestação de pensamento dos candidatos seria ofendida.

Em 2018, na prática, os alunos que realizarem as provas do Enem não poderão receber nota zero caso o avaliador da banca considere que o texto está indo contra aos princípios dos direitos humanos, como em casos de defesa do aborto, por exemplo.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.