Desrespeito aos Direitos Humanos não vai zerar a redação no Enem 2018

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve o edital publicado na última semana. A publicação, que está no Diário Oficial do dia 21 de março, teve algumas mudanças em relação ao ano passado.

Uma dessas mudanças é que diferente dos anos anteriores os candidatos que desrespeitarem os direitos humanos na prova de redação não terão a nota zero atribuída à avaliação.

No texto no edital não consta esta como uma causa capaz de fazer com que a banca dê nota zero nesse caso. Inicialmente a regra foi suspendida pela Procuradoria Geral da República (PGR).

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmem Lúcia manteve a decisão da PGR. E a regra passou a valer já para o exame de 2017. Na época da decisão do STF, o coordenador do Movimento Escola Sem Partido, Miguel Nagib, responsável pela ação pública, declarou que esperava pela decisão favorável do STF.

A alegação do Movimento que moveu ação é de que os critérios de correção no Enem ao zerar redações que ferem os direitos humanos em redações passadas, é que o direito à livre manifestação de pensamento dos candidatos seria ofendida.

Em 2018, na prática, os alunos que realizarem as provas do Enem não poderão receber nota zero caso o avaliador da banca considere que o texto está indo contra aos princípios dos direitos humanos, como em casos de defesa do aborto, por exemplo.

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More