Falhas Geológicas

Uma falha geológica é uma alteração geológica em que o movimento de placas tectônicas deslocam partes da crosta terrestre.

0

O que são falhas geológicas? Falhas Geológicas são ‘fraturas’ na superfície da Terra onde o terreno de ambos os lados da fissura realizaram movimentos mecânicos para liberar a tensão acumulada. As linhas de uma falha geológica variam significativamente em seus comprimentos e larguras.

Podem ser tão finas quanto um cabelo, pouco visíveis a olho nu ou podem ter centenas de quilômetros de comprimento e até serem visíveis do espaço, como nos casos da Falha Anatólia (Turquia) e a falha de San Andreas (EUA).

Mecanismos

As placas tectônicas são altamente rígidas e as forças de atrito que atuam entre as superfícies rochosas impedem o seu movimento, mantendo a crosta terrestre estável.

Quando a rigidez e as forças de atrito forçam todos os movimentos na crosta a pararem, o estresse se acumula nas rochas, levando a um acúmulo de energia na crosta.

Quando essa energia excede um nível limiar, ela é liberada na forma de um movimento súbito dessas rochas, que geralmente é concentrado ao longo de um plano específico na crosta terrestre, ou seja, as falhas.

Tipos

As falhas são classificadas em vários tipos com base nas direções dos deslizamentos entre suas rochas.

Falhas de Deslizamento

Falhas de deslizamento são as linhas de falha resultantes do movimento de placas tectônicas na direção horizontal, envolvendo pouco ou nenhum movimento vertical. Exemplos de falhas de deslizamento são as Falhas da Anatólia e as falhas de San Andreas.

Falhas Normais

Falhas normais são linhas de falha onde a crosta se distancia ao longo da linha de falha, criando um vazio entre elas. O Vale do Rift, na África Oriental é um exemplo de falhas normais.

Falhas Reversas

Falhas reversas referem-se às linhas de falha que resultam de placas tectônicas deslizando uma sobre a outra em vez de se separarem uma do outra.

Tais falhas muitas vezes levam à orogenia (a formação da crosta terrestre através da atividade tectônica), como a criação de cadeias montanhosas vistas ao longo das linhas de falha.

O Himalaia, no subcontinente indiano e as Montanhas Rochosas da América do Norte são exemplos de montanhas que foram formadas devido à orogenia relacionada a falhas reversas.

Exemplos

A falha de San Andreas é uma das linhas de falhas mais famosas e extensivamente estudadas do mundo. A falha geológica está no limite entre duas grandes placas continentais. Desde a sua formação inicial, os movimentos das placas têm sido comuns ao longo da falha de San Andreas, e sabe-se que as placas movimentam-se 5 a 6 centímetros por ano.

À medida que as placas se arrastam umas sobre as outras, as rochas devem ceder, muitas vezes liberando o estresse na forma de movimentos constantes, bem como os bem conhecidos terremotos da Califórnia, que podem ser devastadores.

Impacto na vida humana

Como as falhas geológicas estão sujeitas a mudanças frequentes nos comportamentos mecânicos do solo e das massas rochosas, recomenda-se frequentemente que estruturas críticas como barragens, usinas, hospitais e escolas não sejam construídas ao longo de falhas, a fim de evitar maior risco.

Os geólogos continuam a estudar as linhas de falha da Terra para estimar a atividade terrestre em tais áreas, a fim de obter uma visão mais ampla das possibilidades futuras de terremotos nas regiões em torno das falhas geológicas.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.