Furacão – O que é, como se formam, características e os maiores do mundo

Os furacões são eventos naturais formados pela movimentação circular do ar. Esses episódios se iniciam no Oceano Atlântico e podem causar graves desastres ambientais.

0

O furacão é um dos fenômenos naturais mais temidos da humanidade. Esse evento é resultado de causas atmosféricas e geográficas. Sempre que algum território é atingido pelo fenômeno, uma grande devastação ambiental é gerada, podendo causar até mortes.

Mas, o que é um furacão? O furacão é uma movimentação de ar em sentidos circulares. A velocidade desse movimento pode chegar até a 105 Km/h e um diâmetro de centenas de quilômetros. Esse é o resultado de baixa pressão sobre as regiões oceânicas.

Geralmente, os furacões são formados em águas oceânicas quentes, ou seja, aquelas que possuem a média de 26°C.  Os eventos costumam durar cerca de dois ou três dias.
É importante lembrar que quando formado no Oceano Atlântico, chama-se furacão. Mas, quando formado no Oceano Pacífico, chama-se tufão.

Como um furacão se forma?

Os furacões se formam no mar. Até então, não são considerados problemas graves. Mas, a partir do momento em que atingem a terra, vários desastres ambientais podem ser gerados.

Para iniciar a formação de um furacão, é necessário que as águas dos oceanos cheguem a pelo menos 26°C. Com isso, se inicia o processo de evaporação, que se encontra com as camadas mais frias, formando pesadas nuvens e tempestades.

Isso faz com que a pressão atmosférica diminua, atraindo, então, grandes quantidades de massa de ar. Logo, essas correntes de ar começam a se movimentar mais rápido e em forma de círculos, iniciando a ação do furacão.

Características dos furacões

Algumas características dos furacões são:

  • Os furacões são fenômenos climáticos;
  • Os furacões são responsáveis por transportar o calor para as regiões de latitude mais alta;
  • São classificados em uma escala de 1 a 5 (Saffir-Simpson). Quanto mais alta, mais forte os ventos;
  • Se ganham muita força, podem se transformar em catástrofes naturais. Existem casos de ventos que ultrapassam os 200 km/h.
  • Algumas estações meteorológicas monitoram as movimentações dos furacões e avisam a população caso hajam evidências de desastre.

Qual a diferença entre furacão, tornado e ciclone?

Quando essas movimentações de ar são formados no Oceano Atlântico, chamam-se furacões. Mas, quando formadas no Oceano Pacífico, chamam-se tufões. Ambas são subdivisões de ciclones.

Isto é, os ciclones são eventos ambientais e naturais, que contam com deslocação de ar em movimentos circulares. Esses episódios costumam causar ventos fortes, com velocidade de até 200 km/h. Dependendo do local em que foi formado, um ciclone pode ser um furacão ou um tufão.

Já os tornados, também são deslocamentos de ar. Porém, são menores que os ciclones, mesmo que apresente velocidades maiores, podendo chegar até a 500 km/h. Inclusive, os desastres causados pelos tornados costumam ser maiores.

Leia também: Qual a diferença entre tufão, tornado, ciclone e furacão?

Furacões no Brasil

No Brasil, não é comum acontecerem episódios de furacões, pois o Atlântico Sul não é uma região apropriada para suas formações. Mas, em março de 2004, um furacão atingiu a região sul do Brasil.

Seus ventos chegaram a 170 km/h e atingiu o litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Esse foi um dos furacões mais violentos registrados no Brasil.

Os maiores furacões do mundo

Os maiores furacões que já surgiram no oceano Atlântico foram:

  • Furacão Katrina (Estados Unidos, 2005);
  • Furacão Andrew (Estados Unidos, 1992);
  • Furacão Camile (Estados Unidos, 1969);
  • Furacão Carla (Estados Unidos, 1961);
  • Furacão Mitch (América Central, 1998);
  • Furacão Rita (Estados Unidos, 2005)
  • Furacão Flórida Keys (Estados Unidos, 1935);
  • Furacão Irma (Porto Rico e Estados Unidos, 2017);
  • Furacão Wilma (México e Cuba, 2005).

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.