Guerra civil no Sri Lanka

A guerra civil do Sri Lanka foi um conflito que ocorreu entre o governo central do país contra o grupo separatista, Tigres de Liberação do Tamil.

A guerra civil do Sri Lanka foi um enfrentamento que ocorreu na Ilha de Sri Lanka entre os anos de 1983 e 2009.

De um lado estava o grupo conhecido como Tigres de Liberação do Tamil (LTTE, sigla em inglês) que ansiavam formar um estado independente ao Norte e Leste do Sri Lanka e, do outro, estava o governo central do Sri Lanka.

Resumo – Guerra civil no Sri Lanka

A guerra civil do Sri Lanka durou quase vinte e seis anos, marcando um período de conflito intermitente.

Responsável por destruir casas, vilarejos, cidades e o meio ambiente, a guerra civil do Sri Lanka causou imenso sofrimento à população cingalesa, além de provocar intensa crise econômica no país.

No início do conflito, o governo cingalês adotou táticas militares tradicionais para reconquistar os territórios que eram controlados pelos Tigres do Tamil.

No entanto, o grupo usou táticas violentas, não poupando a vida dos combatentes e nem dos civis. Como consequência, os países da União Europeia, Índia, Canadá e Estados Unidos, anunciaram que o LTTE era uma organização terrorista.

Visando derrotar seus adversários, o governo cingalês adotou ações cada vez mais violentas nos territórios ocupados pelo LTTE. Entre as várias violações aos direitos humanos praticadas pelo governo central, podemos citar:

  • Assassinato de pessoas a sangue-frio;
  • Prisões arbitrárias;
  • Estupros;
  • Torturas.

Como resposta, o grupo separatista manteve suas táticas brutais, assassinando os indivíduos que simpatizavam com o governo, matando prisioneiros e cometendo atentados suicidas.

Um acordo de cessar-fogo foi firmado somente em 2001, e, em 2002, um novo acordo foi assinado para acabar com as hostilidades.

No entanto, a partir de 2005 novos atentados voltaram a acontecer. Em 2006, o governo cingalês utilizou uma ofensiva militar que conseguiu expulsar os Tigres do Tamil da Província Oriental do país.

Como consequência, a violência aumentou, pois o grupo separatista garantiu que iria conquistar seu objetivo.

Enquanto ocorria o desdobramento do conflito, os crimes contra os direitos humanos continuavam a ser cometidos tanto pelo governo quanto pelo LTTE.

A partir de 2007, o governo central passou a atacar a região norte do país, anunciando que não seguiria os acordos de cessar-fogo.

Sendo assim, uma pesada ofensiva militar foi acionada para lutar contra os últimos combatentes dos Tigres do Tamil.

Com a ajuda da comunidade internacional, o governo do Sri Lanka conseguiu destruir a infraestrutura econômica do grupo separatista e ocupar imensos territórios dos Tigres do Tamil, inclusive a capital separatista, Kilinochchi, a cidade Mullaitivu, onde se localizava a principal base militar e a rodovia A9.

Os LTTE foram forçados a recuar e a reconhecer a derrota em 2009. A fracasso do grupo separatista impulsionou a formação do grupo Aliança Nacional Tâmil, um grupo pró-LTTE, que tem como principal objetivo exigir mais investimentos para a região tâmil.

Estima-se que a guerra civil do Sri Lanka tenha deixado cerca de 100 mil mortos.

Saiba mais em: 

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More