José Pacheco – Biografia, Escola da Ponte e atuação no Brasil

Conheça um pouco mais a respeito da vida e da obra do professor português que pensou, e fundou, uma escola fora dos moldes tradicionais.

0

Professor, pedagogo e pedagogista, José Pacheco tornou-se conhecido ao fundar a Escola da Ponte em 1976, na cidade de Porto, em Portugal. Ela é baseada em três valores principais: a liberdade, a responsabilidade e a solidariedade, e em nada se assemelha às escolas comuns.

Morando no Brasil desde 2007 ele atuou, e atua, em diversos projetos, inclusive, alguns vinculados ao Ministério da Educação.

Quem é José Pacheco

José Francisco de Almeida Pacheco nasceu em 10 de maio de 1951, na cidade de Porto em Portugal. Começou a estudar Engenharia Elétrica mas acabou se apaixonando pelo ensino ao questionar os padrões seguidos pelas educação ao longo de mais de 200 anos.

É licenciado em Ciências da Educação, especialista em Leitura e Escrita, e mestre em Educação da Criança pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

Em relação à educação, defende que as escolas sejam totalmente diferentes dos modelos tradicionais, sem turmas ou ciclos, provas, reprovações e sem campainhas que delimitam os horários.

Assim, em 1976 fundou a Escola da Ponte, nas proximidades da cidade do Porto. Esta, por sua vez, é totalmente de acordo com aquilo que ele acredita ser ideal para os estudantes. Coordenou o projeto “Fazer a Ponte” entre 1976 e 2004, realizado na Escola da Ponte.

Em 2007 mudou-se para o Brasil, onde desde 2011 é colaborador da ONG Projeto ncora, que fica na cidade de Cotia, em São Paulo. Este projeto segue os mesmos moldes da Escola da Ponte, que foi idealizada por José Pacheco.

Além disso, foi investigador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), no Projeto Brasília 2060 – Plano Estratégico para a uma Cidade Sustentável, desenvolvendo pesquisas na área de educação.

Também no Brasil, atuou junto ao Ministério da Educação, fazendo parte do grupo de Trabalho de Inovação e Criatividade da Educação Básica. É diretor pedagógico da EcoHabitare Consultoria e Projetos Ltda., uma empresa social que atua promovendo iniciativas focadas na na criação de comunidades sustentáveis a partir de comunidades de aprendizagem. Participa, ainda, na Rede de Inovação e Criatividade da Educação do Sesc Nacional.

Escola da Ponte

A Escola Básica da Ponte, ou simplesmente, Escola da Ponte, foi criada por José Pacheco em 1976, em São Tomé de Negrelos e Vila das Aves, em Santo Tirso, no distrito do Porto, em Portugal.

É uma instituição pública de ensino básico, com práticas educativas que se diferem totalmente do modelo de ensino tradicional. Veja quais são os principais pontos que a torna tão diferente da estrutura a que estamos adaptados:

Agrupamento e estrutura

Na Escola da Ponte não há séries, turmas ou ciclos, tampouco salas de aula, provas e aulas. O ensino é completamente baseado na autonomia dos estudantes. Assim, é permitido que eles se agrupam conforme seus interesses, ou até mesmo que fiquem sozinhos. Geralmente, as atividades e pesquisas desenvolvidas são apresentadas ao restante dos colegas.

A estrutura das salas de aula não é convencional, no lugar delas, há espaços educacionais. Os estudantes dividem-se em suas áreas de interesse, e ficam livres para circular no ambiente, em busca de pessoas ou soluções capazes de auxiliá-los naquilo que necessitam.

Por todos os lugares há diversas fontes de conhecimentos, sempre disponíveis para os alunos. Todos cumprem a mesma carga horária e a escola disponibiliza, ainda, atividades de enriquecimento do currículo para as famílias.

Professores

Para lecionar na Escola da Ponte os professores não necessitam de uma formação diferente em relação àquela exigida nas escolas tradicionais. De acordo com seu idealizador, o que os diferencia é a inquietude em relação ao sistema comum, ou seja, é necessário que estejam abertos a mudanças.

Alunos

A faixa etária dos alunos varia entre os 5 e 17 anos. Muitos deles ingressaram na escola vindos de outras instituições, a maioria deles com muitos problemas comportamentais e violentos, além de diagnósticos psiquiátricos e psicológicos.

O processo de adaptação nem sempre é fácil. Grande parte desses alunos, ao chegar da Escola da Ponte não sabem conviver em grupo, e por algum tempo, continuam manifestando um comportamento violento, até que começam a adquirir a cultura pregada no local.

Pais

Os pais, ou responsáveis pela educação do estudante, e a família como um todo são uma peça fundamental no processo, essenciais para garantir o funcionamento da instituição. São eles os responsáveis por defender a Escola da Ponte junto ao governo português.

A proposta é de que eles participem de todas as decisões da escola, e atuam de forma incisiva no processo de aprendizagem dos alunos. Sempre que necessário, o quando um professor tutor sente que o seu tutorado está com dificuldades, logo entra em contato com a família.

Livros de José Pacheco

Abaixo selecionamos algumas, entre as principais obras publicadas por José Pacheco.

  • Contributos para a compreensão do círculo de estudo, Porto, FPCE-UP (1995)
  • Quando for grande, quero ir à Primavera, São Paulo, Ed. Didática Suplegraf (2001)
  • Sozinhos na Escola, São Paulo, Ed. Didática Suplegraf (2003)
  • Escola da Ponte: um outro caminho para a Educação, São Paulo, Ed. Didática Suplegraf (2004)
  • Para os filhos dos filhos dos nossos filhos, Campinas, Papirus Editora (2006)
  • Caminhos para a Inclusão, Porto Alegre, Artmed Editora (2007)
  • Escola da Ponte – formação e transformação, São Paulo, Vozes (2007)
  • Pequeno Dicionário dos Absurdos da Educação, Porto Alegre, Artmed (2008)
  • Dicionário das Utopias da Educação, Belo Horizonte, WAK (2008)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.