Dinâmicas para idosos – Atividades em grupo e como fazer

Confira algumas sugestões de dinâmicas que podem ser realizadas com grupos da terceira idade, sempre provocando o estímulo de diversas áreas.

0

A cada ano, a expectativa de vida dos brasileiros fica maior. Por conta disso, quando a terceira idade chega, as pessoas ainda estão cheias de vida e têm muito o que viver e se divertir. Principalmente porque este é o momento em que elas possuem mais tempo disponível e podem viver com menos preocupações.

Ao mesmo tempo, este é um momento muito delicado da vida dos indivíduos. A idade traz mudanças muito significativas, sejam elas físicas ou comportamentais. A força já não é mais as mesma, a memória começa a falhar, a visão e audição diminuem e os filhos, cheios de afazeres, já não têm tanto tempo disponível.

Para oferecer uma melhor qualidade de vida, interação social, e estímulo físico, muitos lugares, públicos ou privados, oferecem atividades em grupo para que os idosos. Elas são fundamentais, para além da ocupação do tempo, pois permitem a criação de novos laços, convivência com semelhantes e viver momentos de lazer e descontração..

Em meio às atividades do dia a dia, ou ainda naqueles dias especiais, as dinâmicas com idosos são capazes de despertar várias áreas do grupo, desde a parte física, até os sentimentos, memória e concentração.

Papel colorido

Em grupos de idosos, essa dinâmica mostra-se extremamente eficiente para que eles trabalhem questões sentimentais, principalmente por meio da troca de experiências.

Material necessário: várias tiras papel com diferentes cores;

Execução:

  • Peça para que os participantes fechem os olhos por alguns momentos e imaginem os sentimentos que estão mais presentes em sua mente naquele instante;
  • Depois, cada um deles irá escolher uma tira de papel, que na concepção deles, representa aquilo que estão sentindo;
  • Eles serão agrupados conforme a cor do papel que escolheram. Se o grupo não for tão grande, é interessante escolher poucas cores, e ir aumentando-as conforme o número de participantes;
  • Os grupos terão em média 5 ou 10 minutos para discutir entre si a respeito dos sentimentos que foram despertados, e como eles afetam o cotidiano daquele indivíduo;
  • Passado este tempo, todos os participantes se reunirão em um único grupo, com o intuito de relatar as experiências e como foi a roda de conversa anterior.

Jogo da memória viva

Com o passar do tempo é comum que a memória das pessoas já não seja mais a mesma. Porém, quanto mais ela for exercitada, maiores são as chances de que este processo seja retardado. As dinâmicas e jogos cumprem este papel de forma muito eficaz.

Material necessário: sacola ou caixa escura, vários objetos diferentes, mesa ou outro local de apoio, caneta e papel.

Execução:

  • Reunidos em grupo, cada participante irá retirar um objeto da sacola ou da caixa;
  • Em seguida, peça para que cada um deles pronuncie o nome do objeto e coloque-o em cima da mesa;
  • Para facilitar a memorização, o nome dos objetos será repetido conforme eles estão sendo novamente colocados dentro da caixa;
  • Depois que todos eles estiveram guardados, os idosos deverão usar a caneta e o papel para escrever o nome da maior quantidade de objetos que conseguirem se lembrar;
  • Para conferir quantos foram lembrados, quem estiver executando a dinâmica vai retirando um objeto por vez, enquanto a turma confere quantos acertos tiveram.

Manchetes da vida

Junto com as questões de memória, surgem também as dificuldades de linguagem. Como forma de exercitar esta área do cérebro, as atividades orais empregadas em dinâmicas são um importante auxílio. Além disso, contar histórias permite que os idosos externalizem seus sentimentos.

Material necessário: revistas com imagens diversas.

Execução:

  • Distribua as revistas entre os participantes da dinâmica e peça que eles escolham uma imagem que eles gostem ou que represente algo sobre a vida ou história deles;
  • Em seguida, peça que contem aos demais membros do grupo porque escolheram aquela imagem a qual a história que está relacionada a ela. É possível, ainda, que dramatizem a história, utilizando diferentes entonações e gestos, para que a roda de história fique ainda mais dinâmica.

Conhecendo e aprendendo

Junto com a terceira idade, na maioria das vezes, vem a aposentadoria. Porém, isso não significa, necessariamente, ficar em casa vendo a vida passar. Existem muitos grupos onde idosos se reúnem semanalmente para realizar atividades como a dança, pintura, artesanato, leitura e muitos outros. Essa dinâmica atua como auxiliar para que eles se conheçam melhor, além de proporcionar estímulo da memória e concentração.

Material necessário: uma bola de tamanho médio ou outro objeto que possa ser jogado.

Execução:

  • Para iniciar a dinâmica, os participantes do grupo devem estar sentados em um círculo;
  • Um deles irá iniciar com a bola. Ele irá dizer algo diferente, e que considere importante sobre si. Logo depois vai passar a bola para que outra pessoa faça o mesmo;
  • Quando todos tiverem terminado, acontecerá a segunda rodada. Da mesma forma, deverão ir passando a bola uns para os outros, só que dessa vez, é necessário dizer o nome daquela pessoa e o que ela falou sobre ela;
  • Caso algum participante tenha dificuldades, oriente o restante do grupo a auxiliá-lo.

Dançar para se conhecer

Para aqueles que gostam de dançar, esta dinâmica é ótima para que o grupo se conheça, ao mesmo tempo que praticam algo que os divirta. Além disso, a dança é uma excelente ferramenta para trabalhar o condicionamento corporal.

Material necessário: música é amplo espaço para dançar.

Execução:

  • Para começar, divida o grupo em duplas;
  • Peça que ao início da música eles comecem a dançar, ao mesmo tempo em que conversam e trocam informações sobre si. Vale dizer nome, idade, o que gostam de fazer, se ainda trabalham ou com o que trabalhavam, cidade em que nasceram, entre outras coisas;
  • Depois de algum tempo, quem estiver conduzindo a dinâmica deve dar um sinal para que os casais sejam trocados até que todos se conheçam.

Pra quem você tira o chapéu?

A chegada da terceira idade traz muitas coisas boas, entretanto, como em todas as etapas da vida, é comum que junto com elas, venham também aquelas que não são tão agradáveis. Nos idosos, é natural que a autoestima fique menor, uma vez que o corpo já não é mais o mesmo. Para driblar este sentimento lembrá-los daquilo que eles têm de melhor, esta dinâmica pode ser uma importante aliada.

Material necessário: um chapéu com um espelho fixado na parte de dentro.

Execução:

  • Posicionados em círculo, um dos participantes receberá o chapéu de quem está executando a dinâmica;
  • Ele irá perguntar se aquela pessoa tira o chapéu para a pessoa que ela está vendo refletida daquele objeto;
  • Além disso, para estimular a reflexão, é importante pedir para que cada pessoa justifique a sua resposta;
  • A ação vai se repetindo até que todos do grupo tentar participado. Para animais ainda mais, o organizador pode fingir trocar a foto a cada participante.

Brincando de massinha

A princípio, pode parecer algo específico para crianças. Mas além de trabalhar as habilidades manuais, esta atividade permite que imaginação, memória e linguagem sejam estimuladas.

Material necessário: massinha de modelar de várias cores.

Execução:

  • Distribua as massinhas aos participantes;
  • Em seguida, peça para que eles as modelem de forma que possam usá-las para contar uma história;
  • A história pode ser algo que realmente aconteceu com eles, ou poderão soltar a imaginação e inventar narrativas completamente fictícias.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.