Ministro causa polêmica ao falar sobre ingresso em universidades

Segundo Ricardo Vélez Rodríguez, em vídeo publicado na rede social Twitter, "universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos."

1

Em vídeo, publicado no Twitter, Ricardo Vélez Rodríguez reforça que a universidade não deve ser voltada para todos, mas para aqueles que desejam ingressar no ensino superior e que devem ter condições de competir por uma vaga.

“Universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos. Somente algumas pessoas que têm desejos de estudos superiores e que se habilitam para isso entram na universidade”, diz no vídeo.

Vélez Rodríguez acrescenta no vídeo: “A universidade tem que ser democrática, ou seja, todos aqueles que quiserem entrar, devem estar em pé de igualdade para poder competir pelo ingresso na universidade.

A coisa melhor para ingressar na universidade é ensino básico de qualidade, onde todo mundo se forma, todo mundo se habilita e todo mundo pode competir em pé de igualdade”.

O Plano Nacional De Educação (PNE), é uma lei que estipula metas para melhorar a qualidade da educação no país. Ela estabelece que pelo menos 33% da população de 18 a 24 anos devem estar na universidade até 2024.

Atualmente, essa porcentagem chega a 23,2%. Além disso, determina que a porcentagem total de estudantes em relação a população de 18 a 24 anos, a chamada taxa bruta de matrícula, chegue a 50%. A taxa atual é 34,6%. As informações são da Agência Brasil.

você pode gostar também
  1. Eliana Diz

    Concordo com ele. Está cheio de analfabetos funcionais cursando ou que se formaram sem saber nada. Fazer universidade só pelo diploma, melhor não fazer.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.