Os temas que mais caem na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do Enem

Interpretação textual, gêneros textuais, funções e figuras de linguagem e semântica da língua portuguesa estão entre os temas que mais caem na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do Enem.

0

Preparados para o Exame Nacional do Ensino Médio? Principal porta de entrada para o ensino superior nas diversas instituições de ensino brasileiras, sejam elas públicas ou privadas, o Enem é realizado há quase vinte anos, e tornou-se obrigatório para a maioria dos estudantes que se candidatam a tão sonhada vaga na universidade. Algumas instituições ainda não consideram a nota da prova do Enem para o ingresso em seus cursos (vide Fuvest), mas quase todas já estão alinhadas ao novo modelo de vestibular, muito mais eficiente e adequado às necessidades de nossos estudantes.

Apostila EXAME NACIONAL DE ENSINO MÉDIO – ENEM ( 4 Volumes )

Você que vai prestar o Enem esse ano deve ficar atento às especificidades da prova, sobretudo às especificidades da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. O modelo intedisciplinar do exame exige do aluno um conhecimento global, e não fragmentado, tal qual os vestibulares realizados no Brasil até os anos de 1990. Hoje em dia o aluno precisa conhecer todas as áreas, já que as provas dialogam entre si e mostram que os saberes estão, de fato, interligados. Todas as provas exigem que o candidato tenha um bom nível de interpretação textual, caso contrário, o risco de não conseguir resolver um exercício da prova de Matemática e suas Tecnologias, por exemplo, é grande. Na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias, é comum encontrarmos textos dos mais variados gêneros, o que certamente exigirá do candidato o conhecimento dos elementos inerentes à língua.

Veja também: Dez dicas de redação para o Enem

Você deve ter percebido que espera-se que o candidato demonstre um bom domínio da língua, competência que facilitará a resolução de toda a prova, e não apenas a resolução da prova da área de língua portuguesa. Agora que você já sabe da importância da interpretação textual, vamos mostrar para você alguns dos temas que mais caem na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do Exame Nacional do Ensino Médio. Esperamos que você aproveite nossas dicas! Boa leitura e bons estudos! Sucesso é o que desejamos a você!

Temas recorrentes na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do Enem

  1. Variação linguística

Além de identificar as variedades linguísticas nos gêneros textuais, o candidato deve compreender que a língua portuguesa é um poderoso elemento para a construção de nossa identidade cultural, pois as marcas linguísticas singularizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro. Está em vantagem o candidato que sabe reconhecer os usos da norma padrão da língua portuguesa, relacionando as variedades linguísticas a situações específicas de uso social.

Portanto, é importante que você saiba que, embora a língua portuguesa seja nosso idioma oficial, existem variações regionais, sociais, históricas e de estilo, mesmo porque seria impossível que um país com dimensões continentais apresentasse uniformidade na modalidade oral. Reconhecer a importância das variações linguísticas bem como respeitá-las está entre as competências exigidas na matriz de referência da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;

  1. Semântica da língua portuguesa

É desejável que o candidato domine questões relacionadas à semântica da língua portuguesa. Antigamente, perguntas sobre nomenclaturas sintáticas e semânticas eram bem comuns, então, para se dar bem no vestibular, o candidato precisava ter as regras gramaticais na ponta da língua. Hoje em dia a situação, felizmente, mudou, a Gramática não é mais abordada de maneira fragmentada, mas sim de forma contextualizada, geralmente associada à interpretação de textos de diferentes gêneros.

Você deve ficar atento aos sentidos das palavras, competência da Semântica. Reforce o estudo de sinonímia e antonímia; campo semântico, hiponímia e hiperonímia; polissemia; ambiguidade e homonímia e paronímia;

  1. Gêneros textuais e suas características discursivas

A maioria das questões da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias envolvem a leitura de textos, o que comprova que no Enem a abordagem é contextualizada, e não fragmentada. Para compreender melhor o que se pede, é preciso que você conheça os diferentes gêneros textuais, bem como suas características discursivas.

Embora eles sejam incontáveis (diferentemente do que acontece com os tipos textuais), os gêneros apresentam elementos que permitem sua identificação e reconhecimento entre os demais. Na prova geralmente são oferecidos textos literários, não literários, charges, histórias em quadrinhos entre outros gêneros que você precisa conhecer para se dar bem no Exame;

Veja também: Ferramenta gratuita disponibiliza provas anteriores de vestibulares e ENEM

  1. Funções da linguagem

Outro assunto que sempre é cobrado na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. As funções da linguagem foram definidas pelo linguista russo Roman Jackobson a partir dos elementos da comunicação. Segundo o estudioso, as funções desempenham um importante papel para o sucesso da comunicação e, de acordo com as intenções dos falantes, existe uma que melhor cumprirá a missão de emitir de maneira satisfatória uma determinada mensagem.

São seis as funções da linguagem: função referencial, função conativa, função fática, função poética, função emotiva e função metalinguística. Cada uma das seis funções é responsável por atribuir características ao texto que facilitam sua compreensão; por isso é importante que você as conheça e identifique;

  1. Figuras de linguagem

Recurso muito utilizado nos textos literários, as figuras de linguagem são responsáveis por conferir estilo e maior expressividade à linguagem. Elas são classificadas como figuras de pensamento, figuras de construção ou sintaxe e figuras de som e, embora sejam usualmente empregadas como recurso estilístico, as figuras de linguagem também podem fazer toda a diferença na hora de construir os sentidos do texto: por isso, não devem ser vistas como meros enfeites.

As figuras de linguagem no Enem virão inscritas em um texto, seja ele de qual gênero for, e você deverá reconhecê-lo, bem como compreender a função que ele desempenha para a emissão da mensagem. Veja agora como o tema foi abordado em uma questão da edição de 2013:

Enem – 2013 (Questão 130)

O que a internet esconde de você

Sites de busca manipulam resultados. Redes sociais decidem quem vai ser seu amigo — e descartam as pessoas sem avisar. E, para cada site que você pode acessar, há 400 outros invisíveis. Prepare-se para conhecer o lado oculto da internet.

Questão 130 enem 2013

GRAVATÁ, A. Superinteressante, São Paulo, ed. 297, nov. 2011 (adaptado).
Título: Questão 130, Enem 2013.

Analisando-se as informações verbais e a imagem associada a uma cabeça humana, compreende-se que a venda

  1. representa a amplitude de informações que compõem a internet, às quais temos acesso em redes sociais e sites de busca.
  2. faz uma denúncia quanto às informações que são omitidas dos usuários da rede, sendo empregada no sentido conotativo.
  3. diz respeito a um buraco negro digital, onde estão escondidas as informações buscadas pelo usuário nos sites que acessa.
  4. está associada a um conjunto de restrições sociais presentes na vida daqueles que estão sempre conectados à internet.
  5. remete às bases de dados da web, protegidas por senhas ou assinaturas e às quais o navegador não tem acesso.

Resolução: Alternativa b. Para compreender a questão é necessário que o candidato estabeleça uma comparação entre o texto verbal e o texto não-verbal (imagem associada a uma cabeça humana). Os olhos vendados, além dos outros recursos visuais que comparam a cabeça a uma máquina, fazem parte da linguagem conotativa que representa a vulnerabilidade dos usuários da internet, que não têm acesso a informações importantes sobre a rede e seus filtros.

  1. Estilos literários

Conhecer as características e os principais representantes das escolas literárias da literatura brasileira é imprescindível para você que quer alcançar uma boa nota no Enem. O diálogo entre elementos visuais e verbais exige que o candidato saiba estabelecer analogias e construir inferências, resgatando assim todo o conhecimento adquirido ao longo da vida escolar.

Serão utilizados na prova poemas, trechos em prosa e também imagens que estabeleçam algum tipo de relação com a escola abordada na questão. Vale lembrar que o Modernismo está entre os períodos da história de nossa literatura que mais caem no Exame, todos os anos ele está presente na prova, por isso é muito importante que você conheça suas três fases (Primeira fase ou fase heróica; Segunda fase ou Geração de 1930 e Terceira fase ou Geração de 1945) e os principais escritores (especialmente Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade).

Veja como o tema pode cair na prova:

ENEM – 2012 (Questão 108)

O trovador

Sentimentos em mim do asperamente
dos homens das primeiras eras…
As primaveras do sarcasmo
intermitentemente no meu coração arlequinal…
Intermitentemente…
Outras vezes é um doente, um frio
na minha alma doente como um longo som redondo…
Cantabona! Cantabona!
Dlorom…
Sou um tupi tangendo um alaúde!

ANDRADE, M. In: MANFIO, D. Z. (Org.) Poesias completas de Mário de Andrade.
Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.

Cara ao Modernismo, a questão da identidade nacional é recorrente na prosa e na poesia de Mário de Andrade. Em O trovador, esse aspecto é

  1. abordado subliminarmente, por meio de expressões como “coração arlequinal” que, evocando o carnaval, remete à brasilidade.
  2. verificado já no título, que remete aos repentistas nordestinos, estudados por Mário de Andrade em suas viagens e pesquisas folclóricas.
  3. lamentado pelo eu lírico, tanto no uso de expressões como “Sentimentos em mim do asperamente” (v. 1), “frio” (v. 6), “alma doente” (v. 7), como pelo som triste do alaúde “Dlorom” (v. 9).
  4. problematizado na oposição tupi (selvagem) x alaúde (civilizado), apontando a síntese nacional que seria proposta no Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade.
  5. exaltado pelo eu lírico, que evoca os “sentimentos dos homens das primeiras eras” para mostrar o orgulho brasileiro por suas raízes indígenas.

Resolução: Alternativa d. Um dos temas mais importantes para o modernismo, sobretudo para a primeira fase modernista, foi a identidade nacional, especialmente na obra de Mário de Andrade. Podemos notar uma visão problematizadora da questão, já que o escritor escapa da idealização do tema e propõe uma visão mais crítica, evidenciada no choque entre barbárie e civilização.

Luana Alves
Graduada em Letras

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.