Pesquisa diz que jogo ‘queimada’ pode ser ferramenta de opressão

De acordo com pesquisa feita em escolas canadenses, a atividade estimula a agressividade e permite que alguns alunos ditem regras para os demais.

0

Estudo apresentado pelo Congresso de Ciências Humanas e Sociais de Vancouver, no Canadá, explica que o jogo “Queimada” pode ser uma ferramenta de opressão e desumanização entre estudantes.

De acordo com a professora de desenvolvimento curricular da University of British Columbia, Joy Buttler, a agressividade está lá e não existe problema ao bater a bola em quem você gosta.

Segundo o jornal The Washington Post, a pesquisa deverá ser publicada na revista European Physical Education Review.

Na Escola

A pesquisa iniciou com entrevistas entre os estudantes do ensino médio para entender como funcionavam as aulas de Educação Física. Mas, a maioria afirmou odiar a queimada.

Os pesquisadores concluíram, então, que a resposta dos estudantes era semelhante ao conceito de Iris Marion Young sobre opressão. O artigo “As cinco faces da opressão” foi publicado no livro “Justiça e Política da diferença”, em 1990.

Ainda foi observado que, de acordo com o perfil, o aluno poderia ditar as regras, ou seja, quanto mais autoritário e atlético, maior seria a chance de criar sua própria equipe e se voltar contra outros alunos.

Para reverter a tendência de as meninas abandonarem a disciplina, o Canadá está passando por uma mudança nas aulas de Educação Física. Por isso, a pesquisa é importante para o país.

Confira também: 12 brincadeiras com bola para se divertir com as crianças 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.