Promécio

O promécio (símbolo químico Pm, número atômico 61) é um elemento metálico. É um membro da série de elementos químicos dos lantanídeos.

0

O promécio (símbolo químico Pm, número atômico 61) é um elemento metálico. É um membro da série de elementos químicos dos lantanídeos. Todos os seus isótopos são radioativos. Como fonte de radiação beta, ela é usado em medidores de espessura e em sinais de luz nos quais um fósforo é ativado pelos raios beta.

Também é usado em um tipo de bateria nuclear. No futuro, ele pode ser usado como uma fonte portátil de raios X. Também pode ser usado como uma fonte de calor ou energia auxiliar para sondas espaciais e satélites.

Ocorrência

Promécio pode ser formado como um produto da fissão de urânio. Apenas quantidades vestigiais podem ser encontradas em minérios de urânio que ocorrem naturalmente. Por exemplo, uma amostra de pitchblenda foi encontrada com traços de promécio em uma concentração de quatro partes por quintilhão.

O promécio também foi identificado no espectro da estrela HR 465 em Andromeda.

História

A existência do promécio foi inicialmente prevista por Bohuslav Brauner em 1902. Esta previsão foi apoiada por Henry Moseley em 1914. Ele encontrou uma lacuna para um elemento ausente que teria número atômico 61, mas era desconhecido.

Vários grupos afirmaram ter produzido o elemento. Entretanto não puderam confirmar suas descobertas por causa da dificuldade de separar o promécio de outros elementos. O Promécio foi produzido pela primeira vez e provou existir no Laboratório Nacional de Oak Ridge (ORNL) em 1945.

Os responsáveis pela descoberta foram: Jacob A. Marinsky, Lawrence E. Glendenin e Charles D. Coryell. Eles fizeram a separação e análise dos produtos de fissão do combustível de urânio irradiado no Reator de Grafite.

No entanto, o grande número de pesquisas relacionadas à defesa durante a Segunda Guerra Mundial fizeram o grupo adiar sua descoberta até 1947. O nome promécio é derivado de Prometeu, da mitologia grega. Ele roubou o fogo do céu e o deu à humanidade.

O nome foi sugerido por Grace Mary Coryell, esposa de Charles Coryell, que sentiu que eles estavam roubando fogo dos deuses. Em 1963, métodos de troca iônica foram usados ​​no ORNL para preparar cerca de dez gramas de promécio de resíduos de processamento de combustível de reatores nucleares.

Hoje, o promécio ainda é recuperado dos subprodutos da fissão do urânio.

Características

O promécio é um metal de transição interno (ou lantanídeo) que se encontra no período seis da tabela periódica, entre o neodímio e o samário. O promécio puro existe em duas formas alotrópicas e sua química é semelhante à de outros lantanídeos.

O promécio tem um isótopo semi-estável (145). Não emite raios gama, mas as partículas beta que colidem com elementos de números atómicos elevados podem gerar raios-X. Os sais de promécio luminescem no escuro com um brilho azul pálido ou esverdeado devido à sua alta radioatividade.

Precauções

O promécio deve ser manuseado com grande cuidado devido à sua alta radioatividade. Em particular, promécio pode emitir raios-X durante o decaimento beta. Sua meia-vida é menor que a do plutônio. O promécio não tem papel biológico.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.