Resultado do Pisa é divulgado e Brasil está na 57ª posição

O exame, realizado a cada três anos, possui como objetivo avaliar a educação básica do mundo. Nessa edição, o Brasil ficou em 57º lugar, entre os últimos.

0

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou, na manhã da terça-feira (03/12), em Paris, os dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). Nele, o Brasil aparece entre os 22 piores colocados no ranking internacional.

Ao total, cerca de 600 mil estudantes de 15 anos foram avaliados em 79 países e territórios. Só no Brasil, foram 10.691 alunos de 638 escolas,  totalizando 2.036.861 pessoas, o que representa 65% dessa população do país.

O Pisa

O Pisa é uma prova realizada a cada três anos com o intuito de mensurar o conhecimento e as habilidades em leitura, matemática e ciências de estudantes da educação básica do mundo.

Executado desde 2000, o exame contempla as nações membros da OCDE e convidados, como é o caso do Brasil. No entanto, a aplicação de 2018 teve como foco a leitura.

Nessa edição, a China representada por quatro províncias (Pequim, Shangai, Jiangsu e Zhejiang), ficou em primeiro lugar nos rankings mundiais das três áreas. E no caso do Brasil, a nota dos estudantes tiveram uma leve melhora.

Portanto, apesar de já ter estado em posições piores, o país se encontra na 57 ª colocação em leitura.

Os números refletem na relação dos estudantes com a leitura, pois quatro em cada 10 adolescentes não conseguem identificar a ideia principal do texto, ler gráficos, solucionar problemas com números inteiros e compreender um experimento científico simples.

Resultado geral

Comparado ao exame de 2015, quando foram avaliados 70 países e territórios, o Brasil desceu da 63 ª para a 67 ª posição em ciências. Na disciplina, a nação está a frente de países como Cazaquistão, Bósnia e Herzegovina, ficando atrás do Uruguai, Chile e Tailândia.

Em matemática, a queda foi do 66º para o 71º lugar, mas superando a Argentina, Indonésia, Arábia Saudita, Marrocos, Kosovo, Panamá, Filipinas e República Dominicana.

Já na leitura, a evolução foi irrisória. O Brasil passou da 59ª para a 58ª posição, ficando atrás de países como México e Romênia.

O resultado apresenta outro fator atrelado ao desempenho dos estudantes – o investimento em educação. Isso porque os países com melhor desempenho na leitura são os que mais aplicam na área.

Talvez você se interesse: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) atualizada em 2019

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.