Revolução Cubana

A Revolução Cubana foi um movimento armado e de guerrilha ocorrido em Cuba. Tinha como principais objetivos a derrubada do regime ditatorial e o fim do domínio dos EUA no país.

0

O que foi a Revolução Cubana? A Revolução Cubana foi um movimento armado e de guerrilha ocorrido em Cuba entre os anos de 1953 a 1959. Teve como principais lideranças Fidel Castro, Raul Castro e “Che” Guevara.

O intuito dos guerrilheiros era derrubar o governo ditatorial de Fulgêncio Batista e tirar o país do domínio econômico dos norte-americanos. A revolução instaurou o regime socialista em Cuba e vinculou o país à União Soviética.

Contexto histórico

Cuba pertenceu à Espanha até o século XIX. Em 1898, ela conquista sua independência através de uma guerra travada entre a Espanha e os Estados Unidos que possuía interesses econômicos no país.

Com a derrota espanhola, Cuba passou ao domínio norte-americano, que obrigou a incorporação da Emenda Platt na constituição do país. Essa emenda consistia na permissão dos norte-americanos em intervir no país em momentos de instabilidade política, além de instalações de bases militares em território cubano.

Iniciou-se, então, a influência norte-americana em todos os âmbitos político-administrativos de Cuba. O país teve que ceder cerca de 117 km² em Guantánamo para a construção de uma base naval e de uma prisão militar.

A economia cubana era sustentada basicamente pela produção de açúcar. Do total da produção, 35% eram controlados pelos Estados Unidos, que também geriam o turismo, as indústrias leves, as terras e os cassinos cubanos. Além disso, aproximadamente 80% das importações do país vinham dos Estados Unidos.

Causas

Fulgêncio Batista, em 1952, promoveu um golpe contra o governo de Carlos Prío Socarrás. A partir de então, Fulgêncio Batista se torna presidente de Cuba novamente. Ele já havia assumido esse posto entre 1940 a 1944.

Apoiado pelos Estados Unidos, Batista implantou um regime ditatorial, corrupto e violento. Perseguiu os opositores, ampliou e atendeu os interesses dos norte-americanos.

A população cubana começou a se revoltar com a influência dos Estados Unidos e com a forma do governo de Batista. Eles começavam a demonstrar um sentimento nacionalista.

Em 1953, lideradas por Fidel Castro, as alas democráticas uniram-se contra o domínio dos Estados Unidos e do regime ditatorial de Fulgêncio Batista. A primeira ação da Revolução Cubana foi o ataque contra o quartel de Moncada, em julho de 1953.

O quartel atacado era um arsenal de armas. A guerrilha que promoveu o ataque no local era formada por pouco mais de cem homens, liderados por Fidel Castro. Ele acreditava que o ataque impulsionaria uma mobilização nacional contra o então regime.

Entretanto, a ação revolucionária fracassou e muitos dos combatentes apoiadores de Fidel foram mortos ou presos.

Fidel Castro e seu irmão, Raul Castro foram presos. Dois anos depois Fidel e outros presos políticos foram soltos e se exilaram no México, onde se organizaram para uma nova investida contra o governo de Fulgêncio Batista.

No México ele conhece o argentino Che Guevara que aderiu à luta.

Tomada do poder

O México foi o cenário da organização do grupo de guerrilheiros para a tomada do poder.

Desembarcaram em Cuba, em 1956, e guerrearam contra as tropas do governo. Os sobreviventes se refugiaram nas selvas de Sierra Mestra, local onde o grupo cresceu rapidamente.

Inicialmente, Fidel Castro sustentava um discurso democrata nacionalista de formação liberal, só foi influenciado pelo marxismo mais tarde.

Após consecutivas vitórias militares e a ocupação de diversas cidades, Che Guevara e Cienfuegos adentram Havana. Batista foge para a República Dominicana, comprovando a vitória dos guerrilheiros.

Fidel Castro chega à capital, Havana, no dia 8 de janeiro de 1959. A partir de então, implantaram várias reformas no país. Tais mudanças não agradaram os norte-americanos. Dessa maneira, a relação entre os dois países foi rompida.

Invasão da Baía dos Porcos

Em abril de 1961, Fidel Castro adota o socialismo como sistema político-econômico de Cuba.

Com isso, o país é invadido pela Baía dos Porcos, por tropas comandadas pelos EUA. O objetivo era desestabilizar o governo cubado e garantir os interesses econômicos dos norte-americanos no país.

Entretanto, os EUA sai derrotado pelos cubanos. O acontecimento criou as condições necessárias para a aproximação de Cuba com a União Soviética.

Consequências

Algumas das consequências da Revolução Cubana foram:

  • Em 1962, Cuba é expulsa da Organização dos Estados Americanos (OEA). Acreditavam que o país estava espalhando a insubordinação pelo continente.
  • Em 1965, Fidel cria o Partido Comunista Cubano (PCC).
  • A União Soviética passa a ajudar financeiramente Cuba.
  • A Revolução Cubana deu esperança à esquerda latino-americana que começou a acreditar na possibilidade de chegar ao poder.
  • EUA apoia diversos golpes militares no século XX na América Latina, sob o pretexto de “ameaça socialista”.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.