Técnicas de Conservação dos Solos

As técnicas que de conservação dos solos são importantes no sentido de preservar o meio de cultivo tanto em sua fertilidade quanto na perda de material pela erosão.

0

O solo é considerado, acima de tudo, um recurso natural, pois é a partir dele que as práticas agropecuárias se realizam, garantindo a sustentação básica das sociedades tanto no quesito alimentar, quando no âmbito da produção de matérias primas. Por isso, a sua exploração indiscriminada pode ocasionar em danos muito além dos ambientais, mas também em problemas de ordem econômica, o que justifica a necessidade de compreensão das diferentes técnicas de conservação, que visem garantir uma relação de sustentabilidade.

Os principais problemas que afetam os solos em áreas de cultivo são:

  1. Os processos erosivos, que resultam na perda cada vez maior de solos agricultáveis, resultantes da exposição deles a agentes intempéricos, como a água e o vento.
  2. A perda da fertilidade, resultante do esgotamento dos nutrientes minerais e orgânicos também em razão da poluição ou contaminação por defensores agrícolas.

Nesse sentido, as principais técnicas de cultivo para conservar os solos são o terraceamento, as curvas de nível, o afolhamento e a rotação de culturas.

Terraceamento

O terraceamento consiste na implementação de terraços para o cultivo em áreas de vertentes. Esses terraços nada mais são do que cortes nas superfícies inclinadas, conferindo uma formação semelhante aos degraus de uma escada. Essa composição faz com que a água perca a força de deslocamento em períodos chuvosos, no sentido de garantir a infiltração (dispensando a irrigação) e no sentido de diminuir o impacto erosivo das águas pluviais (erosão laminar).

Terraceamento
Terraceamento

Afolhamento

O afolhamento é um método agrícola que consiste na divisão da área de plantio em três partes: duas delas com culturas diferentes de cultivo e uma outra em descanso. Assim, após cada colheita, a utilização de cada uma das partes alterna-se, de modo que, a cada vez, uma permanecerá em descanso, o suficiente para permitir a reposição natural dos nutrientes do solo sem a necessidade de parar a proteção.

Curvas de nível

As curvas de nível, por sua vez, consistem no cultivo das espécies perfilando-as conforme as variações altimétricas do terreno, o que, assim como no caso do terraceamento, diminui o impacto da erosão pela ação do escoamento da água das chuvas.

Rotação de culturas

A rotação de culturas volta-se especificamente à conservação dos nutrientes do solo e nada mais é do que a alternância entre os tipos de elementos agrícolas a serem cultivados. Por exemplo, primeiramente cultiva-se milho e, após a colheita, opta-se pelo sorgo e assim sucessivamente. Dessa forma, cada espécie cultivada consegue repor os nutrientes do solo retirados pela espécie anterior.

Além dessas técnicas, existem muitas outras formas de cultivar o solo sem prejudicar a sua manutenção, evitando, assim, que danos ambientais ocorram e que prejuízos financeiros de agricultores abalem a economia. Essa dinâmica também é relevante no sentido de proporcionar um melhor aproveitamento das áreas agricultáveis utilizadas, o que diminui a pressão para a criação de novas áreas agrícolas em zonas de preservação ambiental.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.