Home / Disciplinas / Redação / Os 10 erros mais cometidos em redações

Os 10 erros mais cometidos em redações

Separar o sujeito e verbo por vírgulas, colocar crase antes de verbos, usar gírias e expressões da internet, ler o tema da redação com pressa e fugir da proposta de redação estão entre os dez erros mais comuns em redações de concursos e vestibulares.

Os dez erros mais cometidos em redações

Quando o assunto é a escrita vale bastante a pena aprender com os erros, afinal de contas, só se chega à excelência depois de muito treino e técnica. Até chegar na redação “perfeita” (se é que ela de fato existe), é preciso conhecer o caminho das pedras e fazer dos erros importantes aliados do aprendizado. Só erra quem tentou, portanto, erre para acertar!

Existem alguns erros que podem ser fatais para quem está prestando vestibular, concurso e principalmente tentando uma vaga na universidade por meio do Exame Nacional do Ensino Médio. São muitas as possibilidades de erros, erros que não passam em branco pelos avaliadores, que seguem critérios rigorosos de correção – previstos na matriz de referência do exame. Entre os deslizes mais comuns, estão construções sintáticas inadequadas e tropeços nas estratégias de argumentação, que podem custar um bom desconto na nota final da redação.

Veja também: A redação no Enem: Passo a passo

Como a redação do Enem vale mil pontos, isto é, representa 20% da nota final da prova, é bom ficar atento para evitar os erros citados anteriormente. Vale conhecer também a matriz de referência da prova, que é composta por cinco competências segundo o Guia do Participante.

Entre essas competências, estão o respeito à norma culta da língua, ou seja, é preciso saber utilizar a linguagem formal e respeitar aspectos sintáticos, semânticos, aspectos ortográficos, entre outros que garantem uma boa comunicação na modalidade escrita da língua portuguesa. Entre os itens que mais provocam falhas entre os candidatos estão a pontuação, a regência e a concordância, portanto, vale retomar o estudo desses elementos para não ser penalizado na nota final.

Veja também: Dez dicas de redação

Sobre a pontuação, a regência e a concordância, respectivamente: nunca cometa o erro de pontuação separando sujeito e verbo por vírgulas; erros de crase costumam aparecer bastante em textos de alunos, sendo que muitos poderiam ser evitados se os estudantes soubessem que verbos não são antecedidos por crase; evite colocar o sujeito depois do verbo, essa é uma dica importância de concordância. Outra questão que também merece atenção são os tempos e os modos verbais.

O uso inadequado desses elementos pode comprometer a argumentação, considerado o item chave da redação, e prejudicar a construção das frases e o seu sentido. Não se esqueça também de que a linguagem coloquial não é permitida na prova de redação da maioria dos vestibulares e concursos, portanto, expressões próprias da internet e gírias devem ser evitadas, deixe-as para contextos informais de fala, respeitando assim o aspecto da adequação linguística.

Veja também: As competências exigidas para a prova de Redação do Enem

Outro erro grave que pode custar a desclassificação do candidato é a fuga do tema proposto para a redação. Compreender a proposta de redação é a segunda competência exigida pelo Enem. Para que o candidato tenha êxito nesta habilidade, é fundamental ler o tema e os textos motivadores: eles não estão ali por acaso, e podem ser de extrema importância para a construção da argumentação, sobretudo se o candidato não tiver muita intimidade com o assunto.

A partir da leitura da coletânea o aluno deverá fazer um recorte, procurando uma linha de raciocínio a seguir, evitando assim penalidades na hora da correção. Um bom texto deve também ser fundamentado com estatísticas e referências, dados que geralmente são fornecidos em um dos três textos motivadores. Causas e consequências da situação proposta também não podem ser deixadas de lado.

No caso da redação do Enem é importante elaborar a proposta de intervenção para o tema, demonstrando assim capacidade de propor ideias, sempre apontando soluções viáveis, isto é, é preciso ficar atento para não apresentar uma solução vaga, que dificilmente poderia ser aplicada. Para verificar a viabilidade dos agentes interventores, você deverá responder às seguintes perguntas:

  1. O que fazer para mudar a situação?
  2. Quem vai colocar a solução em prática?
  3. Como colocar a solução em prática?

Antes de começar a escrever o texto, é preciso planejar, cuidado que evitará que o candidato se perca na hora de argumentar ou de propor soluções. A falta de planejamento pode levar a elaboração de uma redação que ultrapasse o limite de trinta linhas, sem falar no risco de seu texto não atender uma ou mais competências da prova de redação. Outra questão imprescindível: assim como no corpo da redação, sua proposta de intervenção deve respeitar os direitos humanos, outra competência exigida na matriz de referência.

Essa proposta deve considerar os pontos abordados na argumentação, mantendo vínculo direto com a tese desenvolvida e coerência com os argumentos utilizados, uma vez que deixa explícito a visão do autor do texto. Para conseguir elaborar uma proposta de intervenção que atenta aos anseios da matriz de referência do exame, o candidato deve recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humaos e considerando sempre a diversidade sociocultural.

Veja agora dez erros que podem diminuir sua nota na redação do Enem e demais vestibulares:

  1. Separar sujeito e verbo por vírgulas;
  2. Colocar crase antes de verbos;
  3. Usar gírias e expressões da internet;
  4. Ler o tema da redação com pressa;
  5. Fugir da proposta de redação;
  6. Estabelecer um ponto de vista vago;
  7. Não colocar causas e consequências da situação proposta pela prova;
  8. Não separar os argumentos que vão construir o texto;
  9. Propor soluções inviáveis, difíceis de serem concretizadas;
  10. Desrespeitar os direitos humanos.

Luana Alves
Graduada em Letras