Animais vivíparos – O que são, características e exemplos

Os animais vivíparos se diferem dos ovíparos pelo fato de não expelirem os ovos no meio externo. O seu processo de desenvolvimento é pela fecundação.

0

Os animais vivíparos são caracterizados como os que o desenvolvimento embrionário acontece dentro do corpo materno, ou seja, diferentemente dos animais ovíparos, os quais os ovos são expelidos para o meio externo, o embrião é envolto por uma placenta e necessita do alimento da mãe para o seu crescimento.

A fecundação interna é um ponto importante desse sistema reprodutivo, e uma adaptação importante aos animais vertebrados, pois possibilita com que o filho seja protegido da predação e demais riscos.

Nela, os gametas produzidos pelo macho são inseridos na fêmea, durante o ato. No entanto, o número é inferior aos animais ovíparos ou animais ovovíparos, tendo em vista que a energia liberada na fecundação é também menor.

Assim, um exemplo é o da espécie humana, já que a viviparidade surge de um processo de fecundação interna, cujo se constitui um embrião, que se alimenta pelo cordão umbilical da mãe.

Feto

Características dos animais vivíparos

  • Nutrição do embrião efetuada na placenta materna.
  • Na maioria das espécies de animais vivíparos, o transporte de nutrientes e de água é feito por meio do cordão umbilical.
  • Quando o processo de gestação é normal, o nascimento do filhote acontece quando o embrião está totalmente desenvolvido.
  • O período de gestação é múltiplo, diversificando conforme a espécie. No caso dos seres humanos, ele possui a duração de nove meses.
  • A grande maioria dos animais vivíparos são quadrúpedes (quatro patas).
  • Sua prole é reduzida, se comparada a outros animais.
  • No mundo dos animais há outra forma menos comum de viviparismo – os marsupiais, como é o caso do canguru. Esses são criaturas que dão à luz em um estado imaturo, para só depois acolheram os filhos es bolsas que possuem no abdômen, onde os amamentam. Os filhotes ficam por ali até se formarem completamente e não terem necessidade do leite de suas mães para sobreviverem.

Exemplos de animais vivíparos

A maioria dos mamíferos são considerados vivíparos, por se desenvolver dentro do corpo materno. Entre eles,  alguns são placentários e outros marsupiais.

Dentre os répteis, há jararacas consideradas vivíparas. E entre os peixes, tubarões  podem gerar os filhotes pelo fato de terem membranas que agem como placentas.

Na classe dos vertebrados, alguns insetos podem ser tanto vivíparos quanto ovíparos, como é o caso dos pulgões.

Há épocas em que realizam autofecundação, não necessitam dos machos e engravidam apenas das fêmeas. Em outros momentos, se acasalam com os machos e põe ovos, podendo gerar machos ou fêmeas.

Canguru

Canguru

O canguru, símbolo da Austrália, é um mamífero marsupial com reprodução vivípara. Porém, o filhote deixa o útero materno antes de estar totalmente desenvolvido.

Em seu caso, a fecundação ocorre no prazo de 48 horas depois do coito.

No útero feminino, a gestação dura entre 30 e 40 dias. Em cada ninhada, tem origem um filhote imaturo, que, antes do parto, precisará escalar da vagina até a sua bolsa, onde irá terminar o seu desenvolvimento (durante um ano).

Leão

Leão

As leoas apresentam um gestação com duração de 110 dias, menos que a metade do período gestacional dos humanos.

Elas concebem cerca de 3 a 4 filhotes, se reproduzindo no período de dois anos e, preferencialmente, na estação das chuvas.

Quando pequenos, os filhotes ainda contam com a proteção das leoas, mas após os dois anos são tidos como independentes e fortes.

Porco

Porco

Os suínos possuem um tempo de gestação próximo ao das leoas, de 115 a 120 dias, ainda que seja possível ser de 96 a 132 dias.

Mas, diferente delas, a sua ninhada pode ser grande, tendo mais de 12 porquinhos. Esses atingem a maturidade sexual por volta dos seis a oito meses.

Camelo

Camelo

A gestação do camelo dura mais que a da mulher, na espécie humana – 13 meses. Gerando apenas um filhote, ele pode ficar pé poucos minutos depois de vir ao mundo, depois de duas horas em média.

As fêmeas alcançam a maturidade sexual com três anos, só que o acasalamento costuma ocorrer ao alcançarem os quatro anos.

Podendo chegar até os 40 anos de idade, os camelos conseguem manter a vida reprodutiva até os 20 anos.

Tamanduá-bandeira

Tamanduá bandeira

O animal, de predominância na América do Sul e Central, costuma ser solitário, exceto na fase reprodutiva.

O seu período gestacional dura em cerca de seis meses, dando a luz a um único filhote por vez, em alguns casos gêmeos.

A fêmea leva o filhote no dorso até nove meses depois de nascido e, apenas quando sai do local, é que ela pode reproduzir de novo.

Tubarão azul

Tubarão azul

Diferente da maioria dos tubarões, a espécie Prionace glauca é vivípara.

Após a ovulação, as fêmeas deixam o espermatozoide no oviducto durante meses ou até anos, aguardando a ovulação.

A sua gestação dura de 9 a 12 meses, sendo que quando o filhote se desenvolve totalmente é expelido. No seu caso, podem nascer entre 25 e 50 filhotes por vez.

Leia também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.