As principais dúvidas sobre o Sisu 2/2018

As inscrições nas vagas para ingresso no segundo semestre foram iniciadas nesta terça-feira (12) e procuramos responder às dúvidas pertinentes ao programa.

0 130

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre, no dia 12 de junho, as inscrições em vagas disponibilizadas por instituições de todo o Brasil para ingresso no segundo semestre. Em três dias (até 15 de junho), os alunos precisarão se inscrever nos cursos oferecidos por universidades e institutos que usam o Sisu como forma de admissão.

Mas, mesmo sendo o assunto mais falado entre estudantes de Ensino Médio e candidatos aos cursos de nível superior, ainda há uma série de dúvidas sobre o Sisu. Para facilitar a vida dos futuros universitários, o Escola Educação reuniu as principais para respondê-las a seguir. Vamos lá?

Todas as federais só selecionam pelo Sisu?

Nem todas, apesar de elas já serem a maioria. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por exemplo, ainda mantém seu próprio sistema de seleção. Você pode verificar a forma de ingresso nos sites das instituições.

O que eu preciso para me inscrever no Sisu?

Você precisa ter participado da edição do Enem 2017 sem ter zerado a redação. Participação em anos anteriores não será considerada.

Só posso participar do Sisu se for de escola pública?

Não. Basta ter concluído o Ensino Médio e ter participado do Enem 2017, sem zerar a redação. A questão é que as universidades reservam parte das vagas no sistema de cotas, incluindo oriundos de escolas públicas.

As vagas para o segundo semestre são as mesmas do início do ano?

Não. Nem todas as universidades participam das inscrições para o segundo semestre, nem todas as graduações são incluídas. Por isso, normalmente, o número de oportunidades é menor no meio do ano. A consulta do que foi ofertado pode ser feita pelo site do Sisu.

Eu tentei entrar pelo Sisu no começo ano ano. Preciso mudar minha opção de curso?

Não. As vagas disponibilizadas no segundo semestre não têm nada a ver com aquelas oferecidas no começo do ano. Por isso, caso o curso desejado continue na lista de opções, pode concorrer sem medo.

Como funciona se eu tentei o Sisu no início do ano?

Aí, depende da sua situação. Se você se inscreveu, passou, mas, não foi matriculado, pode tentar outra vaga, sem nenhum problema. Se não foi aprovado, mais um motivo para tentar novamente, não é verdade? Só tenha em mente que as vagas podem não ser as mesmas.

Agora, se já estiver matriculado em uma universidade pública e for aprovado para o segundo semestre, precisará optar por um dos cursos. Afinal, você não pode ocupar duas vagas em instituições públicas de ensino ao mesmo tempo.

Porém, caso o seu curso esteja sendo cursado em uma instituição particular, pode seguir com a graduação, normalmente. Exceto se você foi contemplado pelo ProUni. Neste caso, terá que optar entre um dos cursos.

O que é a nota de corte?

Simples. A nota de corte é a pontuação do último candidato classificado dentro do número de vagas disponíveis. Ela é, diariamente, atualizada, tendo como base as vagas disponíveis e o desempenho dos inscritos.

O Sisu não tem uma nota mínima como requisito, mas, universidades podem exigi-la para ingresso. Por isso, quando tenta uma vaga, o sistema já informa o aluno se sua nota é suficiente para o curso desejado. Caso contrário, precisará procurar por outra opção.

Como funciona a atribuição de pesos?

Da mesma forma que universidades podem exigir nota mínima, atribuem pesos diferentes para cada prova do Enem. Mas, essa informação é disponibilizada no momento da inscrição para determinado curso.

Saiba que que sua nota pode ser diferente em cursos diferentes. A facilidade é que o próprio sistema calcula a nota do candidato nos casos em que houver atribuição diferenciada de pesos.

Quero tentar o mesmo curso em instituições diferentes. Posso?

Claro! Se você só quer Jornalismo, não é obrigado a cursar História! Também poderá pode se candidatar à mesma graduação oferecida pela mesma universidade, porém, em campi diferente.

Se fui aprovado pelo Sisu, preciso tentar o vestibular?

As universidades que adotam o Sisu como forma de ingresso não exigem que o aluno preste um vestibular para entrar. Portanto, sua vaga está garantida caso passe pelo Sistema.

Como é essa coisa de chamadas para a matrícula?

Primeiro, vem a chamada regular, ou seja, aquela que já convoca os aprovados nesta fase inicial. A lista será divulgada no dia 18 de junho. Se o candidato não for classificado, não deve desanimar.

Ele pode se inscrever na lista de espera no curso da primeira opção entre 22 e 27 de junho. A partir daí, será convocado em chamadas seguintes. Agora, se na primeira chamada, você for aprovado no curso da segunda opção, pode entrar na lista de espera da primeira, ok?

Posso ingressar em um curso pelo Sisu mais de uma vez?

Sim! Se você já cursou uma graduação mediante ingresso pelo Sisu, pode fazer novo curso, sem problema algum. Basta ter participado do Enem 2017, sem zerar a redação.

Como escolher meu curso pelo Sisu?

Essa é a pergunta de resposta mais ampla. Até o dia 15 de junho, o candidato precisa optar por dois cursos, podendo trocar as opções até o encerramento do período. Ok, mas, qual escolher? E se eu mudar para um curso que aumentar a nota de corte?

São tantos fatores que determinam a escolha que as perguntas são mais do que pertinentes! Mas, algumas dicas podem ser úteis na hora de escolher seu curso pelo Sisu. Vamos ver quais são?

Primeiro: escolha o curso que você sempre quis fazer. Parece óbvio, mas, muita gente desiste do seu sonho ao se deparar com notas de corte altas ou concorrência acirrada. A verdade é que cursar uma graduação indesejada é frustrante e você corre o risco de abandonar.

Aliás, este curso deve ser a sua prioridade na primeira opção. Caso sua pontuação seja inferior à nota de corte, tente o curso em uma instituição diferente, mesmo que em outra cidade.

Segundo: analise bem a possibilidade de escolher um curso em outra cidade. Você quer, desesperadamente, fazer um curso superior, certo? Mas, esse desejo suporta uma mudança de cidade ou estado? Como será seu custo de vida lá? E a distância da família?

Por isso, verifique essas condições antes de se candidatar e passar para um curso que exija mudança de domicílio.

Terceiro: não escolha sua segunda opção de forma inconsciente. Muita gente escolhe a segunda opção sem pensar e isso é errado. As notas de corte podem variar até o último dia, por isso, não confie, apenas, na tranquilidade da primeira opção.

Escolha um curso legal, próximo ao da primeira opção, que te dê prazer em fazer. Caso você só seja aprovado nele e não tenha a possibilidade de esperar pela próxima edição, não será um custo cursá-lo.

A escolha do curso pode valer uma vida, mas, não deve assustar. Tenha em mente que as notas de corte podem mudar até o último dia e que o número de inscritos não pode servir como referência.

Até porque há, sempre, listas de espera, alunos que optam pela segunda opção e treineiros, por isso, nada de pânico e desespero! Boa sorte em sua escolha!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.