Carl Jung

Carl Gustav Jung foi um psiquiatra e psicoterapeuta suíço, fundador da psicologia analítica e contemporâneo de Freud. Conheça mais sobre o psiquiatra e suas teorias.

0

Quel foi Jung? Carl Gustav Jung foi um psiquiatra e psicoterapeuta que ficou famoso por seus estudos na área da psiquiatra, por fundar a psicologia analítica e desenvolver importantes conceitos como personalidade extrovertida e introvertida, arquétipo e inconsciente coletivo.

Nasceu na Turgóvia, localizada na Suíça, no dia 26 de julho de 1875. Se casou em 1903 com Emma Jung, a qual também era psicoterapeuta, e tiveram cinco filhos em sua união.

Jung é filho de um pastor protestante e, quando pequeno, teve que se mudar para a cidade de Basileia, onde, na época, era um dos maiores centros culturais da Europa.

Como seu pai era um reverendo, Carl Jung tinha muito contato com a religião. Dessa forma, ele passou a analisar e ter uma visão mais crítica quanto a isso, lamentando a falta de empirismo na religião.

Além disso, ao longo de sua juventude, Jung se interessou muito por filosofia e por literatura, com extremo interesse pelas obras de Pitágoras, Empédocles, Heráclito, Platão, Kant e Goethe.

Formação

Biografia de Carl JungEm 1895, Carl Jung ingressou em uma Universidade da Basiléia, onde começou a cursar medicina, quando já se interessou pela especialidade de psiquiatria.

Já nessa época, ele propunha métodos e atitudes humanistas com os pacientes. Assim, o médico deveria propor perguntas que digam respeito ao homem em sua totalidade e não limitar-se apenas aos sintomas.

Formou-se no ano de 1900, iniciando a carreira profissional no Hospital Psiquiátrico Burgholzi, em Zurique.

Em 1903, publicou sua primeira obra, intitulada “Psicologia e Patologia dos Fenômenos ditos ocultos”, que passou a ser sua tese de doutorado.

Além disso, anos depois publicou mais três trabalhos relacionados à descoberta dos complexos afetivos e das significações nos sintomas das psicoses.

Em 1905, tornou-se docente na Universidade de Zurique.

Contato com Freud

Carl Jung montou um laboratório experimental, em 1904, quando iniciou a aplicação da sua tese para o diagnóstico psiquiátrico, usando a associação de palavras.

Com esses estudos, identificou conteúdos psíquicos reprimidos que denominou de “complexo”, o qual foi muito explorado por Sigmund Freud.

Quando era docente de Psiquiatria na Universidade de Zurique, iniciou seu contato com Freud, quando fizeram uma colaboração e proferiram palestras em um centro de pesquisas.

Carl Jung e Sigmund Freud
Freud e Jung durante visita aos Estados Unidos em 1990.

Juntos a outros psicólogos e psiquiatras, sendo esses Alfred Adler, Mary Cover Jones e Wilhelm Stekel, se reuniram no primeiro Congresso Internacional de Psicanálise em 1907.

Já em 1910, fundaram a “Associação Psicanalítica Internacional”, da qual Jung se tornou o primeiro presidente.

Porém, em 1912, surgiram as primeiras divergências com Freud, que logo se tornaram inconciliáveis, quando Jung contesta alguns dos princípios de análise de Freud sobre a grande influencia de traumas sexuais na vida humana.

Alem disso, Freud também contesta estudos de Jung, não admitindo que fenômenos espirituais fossem usados como fonte de estudos.

Dessa forma, houve um rompimento das relações entre os dois e Jung começou a trilhar seu próprio caminho na psicologia.

A partir disso, Jung publicou o livro “A psicologia do Inconsciente”, onde apresentou seus estudos sobre o inconsciente, e, em 1920 publicou “Tipos Psicológicos”, apresentando os conceitos de introversão e extroversão.

Com isso, Jung construiu as bases da psicologia analítica, desenvolvendo a teoria dos arquétipos e incorporando conhecimentos das religiões orientais, da alquimia e da mitologia.

Psicologia analítica junguiana

Após a separação com Freud, Jung se sentiu um pouco perdido e o sentido da sua vida ficou em primeiro plano.

Entretanto, nessa difícil fase ele usou do seu momento com o transbordar de sonhos e visões e conseguiu canalizar todos esses acontecimentos e informações para seus estudos, os quais tornaram seu material de trabalho.

Com isso, Carl Jung procura entender o significado simbólico dos conteúdos do inconsciente, utilizando do conceito de “complexo” e do estudo dos sonhos e de desenhos, para aprofundar-se nos acontecimentos e formas de expressar do inconsciente.

Assim, traz conceitos de inconsciente individual, inconsciente coletivo, arquétipos e a sincronicidade.

Portanto a Psicologia Analítica traz o objetivo de estudar o inconsciente, consciente e a relevância do passado e dos traumas no comportamento de um indivíduo, considerando a individuação – processo de interação de opostos, como processo central no desenvolvimento humano.

Obras de Carl Jung

Carl Jung tem um grande acervo de obras que se tornaram muito importantes para a psiquiatria, psicologia, ciência da religião, literatura, entre outras.

  • Volume 1: Estudos psiquiátricos.
  • Volume 2: Estudos experimentais.
  • Volume 3: Psicogênese das doenças mentais.
  • Volume 4: Freud e a psicanálise.
  • Volume 5: Símbolos da transformação.
  • Volume 6: Tipos psicológicos.
  • Volume 7/1: Psicologia do inconsciente.
  • Volume 7/2: O eu e o inconsciente.
  • Volume 8/1: A energia psíquica.
  • Volume 8/2: A natureza da psique
  • Volume 8/3: Sincronicidade.
  • Volume 9/1: Os arquétipos e o inconsciente coletivo.
  • Volume 9/2: Aion – Estudo sobre o simbolismo do si-mesmo.
  • Volume 10/1: Presente e futuro.
  • Volume 10/2: Aspectos do drama contemporâneo.
  • Volume 10/3: Civilização em transição.
  • Volume 10/4: Um mito moderno sobre coisas vistas no céu.
  • Volume 11/1: Psicologia e religião.
  • Volume 11/2: Interpretação psicológica do Dogma da Trindade.
  • Volume 11/3: O símbolo da transformação na missa.
  • Volume 11/4: Resposta a Jó.
  • Volume 11/5: Psicologia e religião oriental.
  • Volume 11/6: Escritos diversos.
  • Volume 12: Psicologia e alquimia.
  • Volume 13: Estudos alquímicos.
  • Volume 14/1: Mysterium Coniunctionis – Os componentes da Coniunctio; Paradoxa; As personificações dos opostos.
  • Volume 14/2: Mysterium Coniunctionis – Rex e Regina; Adão e Eva; A Conjunção.
  • Volume 14/3: Mysterium Coniunctionis – Epílogo; Aurora Consurgens.
  • Volume 15: O espírito na arte e na ciência.
  • Volume 16/1: A prática da psicoterapia.
  • Volume 16/2: Ab-reação, análise dos sonhos, transferência.
  • Volume 17: O desenvolvimento da personalidade.
  • Volume 18/1: A vida simbólica
  • Volume 18/2: A vida simbólica
  • Cartas de Carl Gustav Jung.
  • O Homem e seus Símbolos. Obra para leigos, organizada por Jung e escrita por ele e seus colaboradores, com artigos de Aniella Jaffé, Marie-Louise fon Franz e outros.
  • O Segredo da Flor de Ouro: Um Livro de Vida Chinesa.
  • Memórias, Sonhos e Reflexões. Autobiografia escrita em conjunto com Aniela Jaffé.
  • O Livro Vermelho.

Conheça também: Teoria Psicodinâmica: Abordagens e Proponentes

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.