A Civilização Grega

A história da civilização grega é uma das mais fascinantes da idade antiga, os conceitos desenvolvidos pelos gregos na política, filosofia e nas artes influenciaram a formação cultural de vários outros povos.

1

A civilização grega se desenvolveu na região da península Balcânica ao sul do continente europeu. Sua formação se iniciou a partir do estabelecimento de vários povos entre o Mar Tirreno e a Ásia Menor.

Mapa da Península Balcânica
Mapa da Península Balcânica

A Península Balcânica é formada pelos países chamados balcânicos: Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Kosovo, Montenegro, Macedônia, Moldávia, Romênia, Bulgária, Albânia, Grécia e a parte europeia da Turquia. Sua extensão territorial é de aproximadamente 550.000 quilômetros. A região é marcada pela diversidade cultural, os principais idiomas falados pelos países formados pela península são: grego, búlgaro, bósnio, croata, turco, romeno e montenegrino.

O terreno montanhoso da região dificultava o desenvolvimento da agricultura e a comunicação dos seus povos, o que contribuiu para a expansão comercial e a formação de cidades-estados independentes. A escassez de terras férteis influenciou os povos balcânicos a investir no comércio naval, as muitas ilhas que compõe os Balcãs facilitou o desenvolvimento da navegação o que foi possível graças à existência dos portos naturais.

A formação da civilização grega ocorreu a partir da chegada dos pelasgos, esses povos primitivos teriam se estabelecido na região no período da pré-história conhecido como neolítico.

A chegada dos povos indo-europeus por volta do ano 1700 A.C., intensificou o povoamento da península Balcânica, esses povos foram denominados assim por falarem um mesmo idioma, o processo migratório iniciado por eles foi responsável por povoar regiões da Ásia Menor, Europa e Oriente Médio. No continente europeu deram origem aos povos aqueus, eólios, jônios e dórios.

A fusão da cultura desses povos juntamente com a dos pelasgos, contribuiu para o surgimento de um novo idioma, o grego. Os povos que adotaram esse idioma passaram a ser chamado de helenos. Os helenos se espalharam por todo o território em volta do mar Mediterrâneo.

Os historiadores com a intenção de facilitar o estudo da civilização grega dividiram a história da Grécia em cinco períodos:

  • Pré-Homérico
  • Homérico
  • Arcaico
  • Clássico
  • Helenístico

Abaixo você poderá conhecer um pouco sobre as particularidades desses períodos.

Pré-Homérico

Quando os povos aqueus chegaram à região da península Balcânica, outro povo já havia se estabelecido e iniciado a dominação: os cretenses.

A ilha de Creta é a maior e mais populosa ilha da Grécia
A ilha de Creta é a maior e mais populosa ilha da Grécia

Originários da ilha de Creta, os cretenses tinham uma posição geográfica privilegiada, esse fator favoreceu a intensificação do comércio com cidades próximas ao Mar Mediterrâneo. O fortalecimento do seu poder os levou a dominar os povos ao sul da península Balcânica. Os cretenses desenvolveram um sistema de escrita utilizado para controlar as práticas comerciais, também dominavam técnicas de metalurgia, produção com cerâmica e tecido.

O poder na ilha era exercido por uma elite comercial liderada pelos reis minos, estes habitavam na cidade de Cnossos em palácios luxuosos. A renda dos cretenses provinha da arrecadação de tributos nos territórios dos povos dominados. Um incêndio teria destruído a ilha de Creta no ano de 1450 a.C. A causa da destruição da civilização cretense ainda é pouco conhecida, o enfraquecimento do poder de Creta propiciou a invasão dos povos aqueus e o seu domínio na região.

Período Homérico

O domínio dos aqueus na região da península Balcânica daria início a um período de formação de diversas cidades, entre elas, a cidade de Micenas se tornou a mais importante, a cidade se transformaria no centro de uma nova civilização, a micênica.

Os micênicos falavam um idioma derivado do grego, por essa razão são considerados os primeiros povos gregos. Muito do que se sabe desse período é proveniente das obras do poeta Homero, que ficou mundialmente conhecido através dos textos literários contidos nas obras conhecidas como Ilíada e Odisseia. A Ilíada narra à batalha da Guerra de Tróia ocorrida por volta de 1200 a.C. em que os gregos vencem os troianos. A Odisseia narra às aventuras de Ulisses um dos heróis da guerra na sua trajetória de volta para sua terra natal.

Força militar dos troianos
Na obra literária Ilíada, o poeta Homero narra à força militar dos troianos, capaz de deter a expansão grega. A guerra entre gregos e troianos se arrastou por dez anos, os gregos deixaram em frente ao portão de Tróia um cavalo que levava dentro dele vários guerreiros gregos. Os troianos acreditavam que o cavalo seria um presente, ao abrirem os portões da cidade os gregos esperaram a noite chegar para saírem do cavalo e dominar Tróia.

Nesse período, os dórios se estabeleceram na região da península do Peloponeso e iniciaram uma política de expansão com práticas cruéis contra os povos vizinhos. Os dórios fundaram a cidade de Esparta, uma das mais poderosas da antiguidade, o domínio desses povos levou a fuga das outras populações para o interior da península Balcânica. Os que permaneceram deram início a uma nova organização social, os genos, grupos familiares comandados por um chefe chamado de pater. A terra se tornou a base dessa sociedade e a fonte da riqueza da população.

O Período Arcaico

O crescimento das genos no final do período homérico influenciou a formação de unidades políticas maiores conhecidas como polis ou cidades-estados. Esses novos centros do poder grego eram independentes, cada cidade-estado possuía um governo, legislação e economia própria. Nesse período vários edifícios públicos e templos religiosos foram fundados. As polis se desenvolviam em torno de uma acrópole, construções elevadas edificadas no alto de montes para garantir a proteção contra a invasão de outros povos.

A disputa por terras aumentou a tensão entre as diversas cidades-estados, em busca de novos territórios, muitos povos se deslocaram para outras regiões onde iniciaram a formação de novas polis.

As polis eram governadas pelos aristocratas, os proprietários de grandes porções de terras.

O Período Clássico

O auge do desenvolvimento cultural, político e social na Grécia Antiga ocorreram no período clássico. Guerras motivadas por disputas de terra e poder também marcaram essa fase da civilização grega. Nesse contexto as cidades-estados que mais se destacaram foram Atenas e Esparta. A rivalidade entre as duas ganhava destaque devido à existência de diferenças apresentadas em suas formas de organização sociopolítica.

Atenas

Atenas

Atenas foi fundada pelos jônios no final do Período Homérico, localizada na região da Ática e banhada pelo mar Egeu. A sociedade ateniense se destacou pelo desenvolvimento da democracia, modelo que inspirou a organização política de outras civilizações. Os atenienses também se destacaram por sua dedicação as artes e a filosofia.

Esparta

Esparta

A cidade de Esparta foi fundada pelos dórios no século IX a.C. na região da península do Peloponeso. A história espartana ganhou destaque pelo desenvolvimento militar da sociedade. Desde os sete anos de idade os meninos espartanos eram preparados para as guerras. Esparta ao contrário de Atenas era governada por uma oligarquia, não existia democracia nessa sociedade.

O Período Helenístico

Esse período compreendido entre os séculos III e II A.C é marcado pelo fim da hegemonia grega e início do domínio Macedônico. Originários da região ao norte da Grécia, os macedônicos invadiram a Grécia transformando-a em uma simples província desse império. A expansão do Império Macedônico ganhou força a partir do governo do Imperador Alexandre.

Alexandre, o Grande iniciou uma campanha de expansão territorial que alcançou os territórios do Egito, do império Persa, a Índia e Babilônia (veja também: Império Babilônico). A Babilônia foi transformada em capital do império Macedônico e a mistura das culturas dos povos conquistados por Alexandre deu origem a Cultura Helenística. Essa fusão cultural se tornou uma das características do novo império e mesmo após a queda do domínio grego ela continuou existindo nos territórios conquistados por Alexandre, o Grande.

Lorena Castro Alves
Graduada em História e Pedagogia

PUBLICIDADE

você pode gostar também

  1. Jamily Oliveira Diz

    e uma bosta nao ensina nada

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.