Confira as novas facilidades para empréstimo consignado BPC e Auxílio Brasil

Com a prorrogação Medida Provisória 1.106, a margem para crédito consignado continua em 40% no País.

O Congresso Nacional prorrogou, por 60 dias, a Medida Provisória 1.106, de 17 de março de 2022, que aumentou de 35% a 40% a margem de crédito consignado para segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), facilitando assim concessão de empréstimo para titulares do BPC e Auxílio Brasil.

Esse foi um dos motivos para haver maior facilidade para contratação de empréstimo consignado, entenda mais sobre o assunto neste artigo.

Leia mais: Confira como melhor aproveitar o seu saque extraordinário do FGTS

Medida provisória prorrogada ajuda a criar facilidades para contratação de empréstimo consignado

A MP 1.106, além de ter aumentado a margem de crédito consignado, também aprovou a concessão de crédito para beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas) e programas federais, como o Auxílio Brasil. A prorrogação foi publicada no Diário Oficial das Nações Unidas neste sábado (dia 13).

Em março deste ano, o INSS também emitiu a Instrução Normativa 131, que, na prática, permitiu que os bancos aumentassem a margem consignável para 40% — 35 % nos empréstimos convencionais e 5% nos cartões de crédito — e permitia às instituições financeiras conceder crédito a BPC/Loas (um grupo que não havia sido considerado anteriormente).

No entanto, no caso do Auxílio Brasil, ainda não há crédito disponível para os beneficiários. Segundo o Ministério da Cidadania, a regulamentação está em fase de construção

Críticas à medida

Grupos de defesa do consumidor e especialistas criticam a iniciativa por abrir as portas do endividamento para um segmento da população que já depende de transferências governamentais para suprir suas necessidades básicas. Pelo fato de a parcela ser descontada diretamente na folha de pagamento, faz com que o risco de inadimplência seja bem menor. Contudo, pode fazer com o que o indivíduo se endivide.

Isso porque o BPC/Loas paga um salário mínimo (R$ 1.212) para aposentados e pessoas com deficiência que vivem em situação de baixa renda. Enquanto isso, o Auxílio Brasil está distribuindo hoje R$ 400 para cada família.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) é crítico na distribuição de remessas aos beneficiários do programa social. Segundo a entidade, a medida funcionará como um escudo para consumidores vulneráveis e resultará em um aumento na pobreza brasileira.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More