Lei que libera propaganda política é sancionada

As emissoras deverão liberar parte da sua programação para o horário político.

No dia 12 de julho, o presidente Jair Bolsonaro sancionou um projeto de lei que permite propaganda política nas emissoras de rádio e televisão conforme matéria produzida no Congresso Nacional. Essa programação independente deverá ter finalidades culturais e educativas, uma maneira de fazer com que as emissoras cedam mais que 25% (tempo já concedido por elas) da sua programação para esse tipo de produção.

Leia mais: INSS deverá cancelar milhares de benefícios em até 5 meses

O que exige a lei para as emissoras de rádio e televisão?

Foi sancionada recentemente pelo presidente do Brasil a lei que autoriza a liberação de mais de 25% das programações televisivas e de rádio para programações independentes. Desse modo, o projeto também é direcionado para finalidades educativas e culturais em todas as redes nacionais.

Com isso, as emissoras terão inteira responsabilidade sobre as programações, desde qualquer irregularidade na programação, sendo vedado o direito de transmitir, divulgar ou comercializar esse horário para outros fins além da concessão pública.

A maior parte das emissoras já concedem tempo especial para a programação pública por meio da comercialização dos espaços. A nova lei beneficia programas religiosos e emissoras de rádio e televisão independentes.

A propaganda eleitoral obrigatória

Além dessa lei, também é preciso lembrar que, com a proximidade das eleições, as propagandas eleitorais também se iniciam. Isso porque as propagandas políticas transmitidas nos principais meios de comunicação é uma maneira dos políticos conseguirem maior visibilidade por todo o público brasileiro, afinal, todos em algum momento utilizam as redes de comunicação.

Com isso, nos períodos próximos às eleições, as emissoras de rádio e televisão devem destinar cerca de 70 minutos diários para a propaganda eleitoral gratuita durante o primeiro turno. Os horários são divididos pela Justiça Eleitoral, de acordo com o número dos parlamentares que estarão concorrendo às eleições.

Se houver segundo turno, as medidas continuam as mesmas, porém com horários reduzidos de acordo com os partidários em disputa.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More