Conjunções subordinativas

A conjunção subordinativa é uma ramificação da conjunção que liga orações sintaticamente dependentes.

0

As conjunções são palavras que ligam duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. Elas são determinadas pelo contexto da frase.

As conjunções podem ser coordenativas, quando ligam orações independentes, e subordinativas, quando ligam orações sintaticamente dependentes.

A respeito da classificação das conjunções subordinativas, temos as: causais, concessivas, condicionais, conformativas, finais, proporcionais, temporais, comparativas, consecutivas e integrantes.

Leia abaixo as definições e exemplos de conjunções:

Conjunções causais

As conjunções subordinativas causais introduzem orações que dão ideia de causa: porque, que, porquanto, como (no início de frase), uma vez que, já que, desde que, etc.

Exemplos:

  • Como estivesse doente, não compareceu à reunião.
  • Desde que Luís partiu, meu coração sangra.

Conjunções concessivas

As conjunções subordinativas concessivas introduzem orações que expressam um certo sentido de contrariedade: sem que (equivalente a “embora não”), por menos que, apesar de que, mesmo que, ainda que, embora, ainda que, mesmo que, posto que, etc.

Exemplos:

  • Embora estivesse cansada, foi à faculdade.
  • Terminamos o trabalho, posto que os apoios eram mínimos.

Conjunções condicionais

As conjunções subordinativas condicionais iniciam orações que expressam condições ou hipóteses: desde que (com verbo no substantivo), a não ser que, a menos que, salvo se, contanto que, se, caso, etc.

Exemplos:

  • Se Márcio aceitar meu pedido de namoro, ficarei muito feliz.
  • Caso passei neste processo seletivo, mudarei de casa.
  • Passarei em medicina, desde que estude muito.

Conjunções conformativas

As conjunções subordinativas conformativas iniciam orações que exprimem conformidade de um fato com outro: segundo, conforme, consoante, como e que (equivalem a “conforme”).

Exemplos:

  • Segundo me informaram, receberei a herança de mamãe ainda hoje.
  • Fiz o projeto conforme meu pai pediu.
  • Esses números, consoante já informei, são verídicos.

Conjunções finais

As conjunções subordinativas finais inserem orações que manifestam finalidade: a fim de que, para que, outras que significam para que (de modo que, de forma que, de maneira que, de sorte que, etc.)

Exemplos:

  • Viajava sempre de carro a fim de que pudesse assistir ao jogo mais rápido.
  • Colocarei a apostila na bolsa para que não me esqueça.
  • Henri viaja sempre de jatinho, de maneira que possa chegar mais rápido na casa de sua noiva.

Conjunções proporcionais

As conjunções subordinativas proporcionais inserem orações que emitem simultaneidade, concomitância: quanto maior, quanto menor, quanto mais, quanto menos, à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto melhor, quanto pior (correlato a “tanto mais/menos”, “tanto maior/menor”, “tanto pior”, etc.)

Exemplos:

  • Meus questionamentos sobre este assunto aumenta à medida que leio.
  • Quanto mais distante fico dele, menos sinto falta.

Conjunções temporais

As conjunções subordinativas temporais assinalam orações que exprimem ideia de tempo: quando, logo que, depois que, enquanto, sempre que, até que, apenas, que (desde que).

Exemplos:

  • Ficarei aqui, até que Rute volte.
  • Bete saiu depois que Roberto chegou.

Conjunções comparativas

As conjunções subordinativas comparativas manifestam orações que expressam o segundo elemento de uma comparação: como, assim como, como ou quanto (precedidos de tanto, tão), que ou do que (precedidos de mais, menos, maior, menor, melhor, pior), qual ou como (precedidos de tal), etc.

Exemplos:

  • Amo psicanálise como amo o construtivismo.
  • Bárbara é mais estudiosa que Amanda.
  • Luís é tal como me falaram. Frio e arrogante.

Conjunções consecutivas

As conjunções subordinativas consecutivas incluem orações que expressam consequências: que (quando estiver precedido de tamanho, tanto, tão, tal), que (quando equivalerem a “sem que”), sem que, de sorte que, de modo que, de forma que, de maneira que.

Exemplos:

  • É um político desonesto, de forma que tem má reputação.
  • Maria ontem teve muita dor de cabeça, de modo que não foi à festa.

Conjunções integrantes

As conjunções subordinativas integrantes introduzem orações que equivalem a substantivos: se, que.

Exemplos:

  • Espero que Marcela retorne.
  • A verdade é que amo Ricardo.

Leia mais:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.