Ecossistemas

Ecossistemas são formados pela interação de fatores bióticos e abióticos.

Antes de pensarmos em ecossistemas precisamos compreender alguns conceitos:

  • Uma população é o conjunto de indivíduos da mesma espécie que vivem em um lugar delimitado em um mesmo tempo.
  • Populações diferentes que interagem em um determinado espaço formam uma comunidade.
  • A comunidade é o fator biótico, ou seja, o conjunto de todos os seres vivos (diferentes espécies) que podemos encontrar nesse espaço.
  • Os componentes não-vivos do meio como água, luz solar, solo, gases, etc. são chamados de fatores abióticos.

O que é ecossistema?

O conceito de ecossistema é definido pelo conjunto formado por uma comunidade, ou seja, os fatores bióticos, em interação com fatores abióticos, gerando um fluxo de energia com níveis tróficos definidos e também a ciclagem de nutrientes.

O planeta Terra abriga todos os seres vivos que conhecemos além da água, ar, solo e atmosfera. A reunião de todos os ecossistemas da Terra é chamada de biosfera.

A transição entre duas ou mais comunidades diferentes e que pertencem a ecossistemas distintos é chamada de ecótono. Na transição entre uma área de campo e um rio, por exemplo, temos um ecótono. Nesse local, muitas espécies coexistem e, por isso, no ecótono há maior diversidade de espécies.

Os biomas são grandes ecossistemas que possuem vários ecossistemas menores vivendo nele. Se observarmos o bioma Mata Atlântica, por exemplo, teremos biomas terrestres nas matas, aquáticos marinhos no oceano, aquáticos de água doce nos rios, entre outros.

Ecossistemas Aquáticos

Ecossistema aquático - rio

Os ecossistemas aquáticos englobam todos os ecossistemas existentes dentro de oceanos, rios, lagos, lagoas e, até mesmo em aquários.

Os ecossistemas aquáticos são de extrema importância pois garantem o funcionamento dos ciclos biogeoquímicos do hidrogênio e do oxigênio, além de fornecer água para todos seres vivos. Podemos dividir esses ecossistemas em dois grandes grupos: marinhos (água salgada) e dulcícolas (água doce).

Nesses ecossistemas de água doce existem diferentes tipos de ambientes:

  • Ambientes Lóticos: são aqueles em que a água possui um fluxo horizontal, ou seja, está em constante movimento como nos rios, córregos, riachos, por exemplo.
  • Ambientes Lênticos: são aqueles em que a água está em um lugar determinado, sem fluxo de movimento como nos lagos, lagoas, represas, etc.
  • Terras úmidas: são aqueles em que água e terra estão bastante misturadas como nos brejos, por exemplo. Normalmente tem muitas plantas aquáticas que estão enraizadas no substrato porém permanecem acima do nível da água.

Você sabia que existe uma ciência que estuda apenas ecossistemas aquáticos dulcícolas? Ela é chamada de Limnologia.

Ecossistemas Marinhos

O planeta Terra tem 70% do seu espaço ocupado por mares e oceanos, se considerarmos apenas a biosfera, essa porcentagem sobe para 90%. Os oceanos são mais profundos que os mares que tem em média menos de mil metros de profundidade. Entretanto, a grande maioria dos mares faz parte de algum oceano.

Os ecossistemas marinhos são formados por toda forma de vida existente nos mares e oceanos em interação com os fatores abióticos que lá estão. As comunidades desses ecossistemas são classificadas de três maneiras de acordo com seu modo de locomoção:

  • Plâncton

São organismos microscópicos ou muito pequenos que vivem livres e flutuantes na água. A locomoção deles é feita através do movimento das marés e necessitam de luz para viver, isso implica dizer que só são encontrados até cerca de 200 metros de profundidade.

O plâncton pode ser dividido em fitoplâncton e zooplâncton. No fitoplâncton estão incluídas as microalgas que são organismos fotossintetizantes e no zooplâncton estão diversos animais microscópicos como os microcrustáceos, por exemplo.

  • Nécton

Nessa categoria estão os animais que são nadadores ativos, aqueles que possuem autonomia para se deslocarem. É o caso dos peixes, baleias, golfinhos, tartarugas, lulas e focas, por exemplo.

  • Bentos

É a comunidade que vive no fundo dos oceanos, indivíduos presos ou nadando muito próximos a ele. Os organismos fixos, também chamados de sésseis, não se locomovem com autonomia. É o caso das esponjas, corais, algas macroscópicas, por exemplo.

Existem também os móveis como os camarões, caramujos e lagostas que apesar de terem autonomia para se locomoverem, continuam sempre muito próximos ao fundo dos oceanos.

Além dos ambientes exclusivamente marinhos, esses ecossistemas também contém écotonos importantes com o ambiente terrestre como: praias, restingas, costões rochosos, manguezais, estuários, grama marinha e os recifes de corais tropicais.

Ecossistemas Terrestres

Floresta Amazônica

Os ecossistemas terrestres são aqueles que vivem sobre a terra, como o próprio nome diz, podendo ser florestas, desertos, pradarias. Costumamos dividir os ecossistemas terrestres em biomas, já que eles são tão diversificados.

No geral, podemos dizer que os seres vivos desses ambientes são bem adaptados a uma certa excassez hídrica (se comparados aos ecossistemas aquáticos).

Entre os ecossistemas terrestres brasileiros podemos destacar a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica por serem os dois maiores biomas brasileiros. Podemos citar também o Cerrado como hotspot de biodiversidade no Brasil.

Veja também:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More