Floresta Amazônica: Biomas, Animais, Imagens, Estados, Fauna e Flora

O que é a Floresta Amazônica, as principais características do ecossistema, os problemas enfrentados e os estados que fazem parte.

0

Um dos grandes símbolos do Brasil, a Floresta Amazônica é considerada como a maior floresta tropical do planeta. Cobrindo cerca de 40% do território brasileiro, abriga imensa biodiversidade com inúmeras espécies representantes da fauna e da flora.

Ainda que represente 53% das florestas tropicais que existem, o ecossistema é, severamente, ameaçado pelo desmatamento causado pela expansão da agricultura e exploração vegetal.

Por isso, a preservação da Floresta Amazônica desperta debates internacionais que tentam traçar estratégias para frear sua destruição, em respeito à sua importância ecológica e dimensão. Conheça um pouco mais sobre esse ecossistema.

O que é a Floresta Amazônica?

A Floresta Amazônica é a região tida como a maior floresta tropical do mundo ocupando, aproximadamente, 600 milhões de hectares. Seu nome surgiu com os antigos habitantes e expedições europeias que relataram ataques promovidos por mulheres nuas que usavam arco e flecha no Rio Amazonas.

Também é chamada de Selva Amazônica, Floresta Equatorial da Amazônia, Floresta Pluvial ou Hileia Amazônica. Trata-se de floresta latifoliada úmida e é um dos seis grandes biomas brasileiros. Abrange as regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste brasileiras, sendo o maior bioma terrestre do país.

A título de curiosidade, no dia 05 de setembro comemora-se o Dia da Amazônia por ser a data de criação da Província do Amazonas, em 1850, por D. Pedro I. Em 2008, foi uma das candidatas às novas 7 Maravilhas da Natureza, sendo classificada em primeiro lugar no ano de 2009.

Como surgiu a Floresta Amazônica?

A formação da floresta está, provavelmente, relacionada ao período Eoceno aparecendo como consequência da redução das temperaturas do Oceano Atlântico. A floresta tem existido por, pelo menos, 55 milhões de anos. No período Meoceno Médio, acredita-se que tenha se dividido ao meio pelo Arco de Purus.

Com o crescimento dos Andes, entretanto, uma grande bacia foi criada em um lago fechado, conhecida hoje como Bacia do Solimões. Quanto à existência humana, evidência arqueológicas apontam que o homem se estabeleceu na região há, pelo menos, 11.200 anos. Mas, diversas lendas tomam conta da Floresta.

Uma delas é a do Eldorado, cidade com construções feitas de ouro maciço que abrigariam tesouros inimagináveis. Outra é a do Lago Parima, uma espécie de Fonte da Juventude, provavelmente ligada ao Lago Amaçu.

Quais estados e países são cobertos pela Floresta Amazônica?

A Floresta Amazônica está localizada ao norte do continente sul americano. Por isso, compreende os estados brasileiros do Acre, Amazonas, Rondônia, Amapá, Roraima e Pará. Porém, sua extensão extrapola nossos limites territoriais.

Mapa da ecorregião amazônica
Mapa da ecorregião amazônica

Suas florestas abrangem, mesmo que em menor concentração, os seguintes países – Colômbia, Peru, Equador, Venezuela, Bolívia, Suriname, Guiana e Guiana Francesa.

Principais características da Floresta Amazônica

A Amazônia tem solo pobre que apresenta fina camada de nutrientes. A característica se deve ao grande porte das árvores (de extensas raízes), além da ação constante das chuvas.

Entretanto, tamanha grandiosidade só poderia guardar importante concentração de húmus formado pela decomposição de folhas, flores, frutos e animais. A matéria orgânica é rica em nutrientes que contribuem para a formação da própria floresta.

Clima da Floresta Amazônica

Ao analisarmos o mapa, podemos verificar que a Amazônia está situada bem ali, juntinho à linha do Equador, em baixas latitudes. O que isso significa? Significa que, na floresta, predomina o clima equatorial marcado por umidade do ar e temperaturas altas.

Por isso, é fácil os termômetros marcarem temperaturas médias de 22°C a 28°C enquanto a umidade do ar pode ultrapassar os 80%, inclusive, pela forte entrada de energia solar. A densidade da floresta e os rios que nela circulam fazem da região uma das mais chuvosas do planeta.

Os índices pluviométricos variam entre 1.400 mm e 3.500mm ao ano. Ainda assim, o ano passa por duas estações bem definidas, a chuvosa e a seca.

Hidrografia da Floresta Amazônica

Estima-se que 20% das águas doces do planeta circulam pela região. A floresta cobre a maior parte da Bacia Amazônica, considerada a maior do planeta. O maior destaque vai para o Rio Amazonas, que nasce na Cordilheira dos Andes e deságua no Oceano Atlântico, junto à Ilha de Marajó.

Em seu longo percurso (o rio tem 6.992,06 km de comprimento), vai recebendo vários nomes, como Tunguragua, Apurímac, Marañón, Ucayali, Solimões e, novamente, Amazonas (a partir da junção do rios Solimões e Negro). De forma geral, os rios correntes pela região Amazônica são classificados em rios de águas barrentas, de águas claras e águas pretas.

A coloração da água varia de acordo com substâncias encontradas nos rios. Os chamados rios de águas barrentas, como o Madeira e o próprio Amazonas, têm a cor da água modificada por serem ricos em sedimentos e nutrientes. Os de águas claras, como o Xingu, o Tapajós e o Trombetas possuem muitos trechos de corredeiras e cachoeiras.

Os rios de águas pretas nascem em terrenos de planície e carregam a areia e o húmus que caracterizam o solo de tais terrenos. O grande responsável pela coloração da água é o húmus. O mais conhecido rio amazônico de águas pretas é o rio Negro.

Vegetação da Floresta Amazônica

Árvores de grande porte são encontradas na floresta amazônica
Árvores de grande porte são encontradas na floresta amazônica

A Floresta Amazônica, no geral, é composta por uma vegetação densa e árvores de grande porte. Pode ser dividida em três categorias, sendo elas:

  • Mata de terra firme: a maior parte da floresta que não sofre inundações por localizar-se em partes mais altas, apresentando árvores de grande porte. São exemplares típicos a castanheira, angelim, mogno, cedro, andiroba, além de cipós, palmeiras, liquens e musgos.
  • Mata de igapó: permanentemente inundada por se localizar em regiões muito baixas, são alagadas com frequência. Por isso, as plantas se adaptaram a esse ambiente para sobrevivência. São exemplos os buritis, orquídeas, vitória-régia e bromélias.
  • Mata de várzea: sua localização em áreas pouco menos baixas que possibilita a inundação periódica conforme a ação dos rios. Apresenta solo muito fértil em razão dos sedimentos depositados pela água fluvial. As plantas nascem a água baixa e os frutos aparecem quando sobem. Exemplares típicos são jatobá, andiroba, samaúma, cumaru e seringueira.

Animais da Amazônia

A flora amazônica se destaca por sua exuberância e, assim, também é sua flora. A diversidade de espécies existentes na floresta caracterizam sua importância ambiental. Entre os inúmeros animais encontrados, podemos citar:

  • suçuarana
  • onça
  • peixe-boi
  • jaguatirica
  • pirarucu
  • ariranha
  • jabuti
  • arara
  • jiboia
  • tucano
  • sucuri

Economia na Amazônia

Em 1953, foi criada a Amazônia Legal, área que abrange os estados de Maranhão, Tocantins, Mato Grosso, Roraima, Rondônia, Amazonas, Pará, Amapá e Acre. Cobrindo 61% do território, trata-se de projeto criado pela SUDAM para promover o desenvolvimento econômico e social da região.

Problemas enfrentados

Os problemas ambientais enfrentados pela Floresta Amazônica são tão grandes quanto sua extensão territorial. Apenas para citar alguns deles, mencionamos o desmatamento, criação de pastos, queimadas, assentamentos humanos, disputa por terras, além da exploração vegetal indiscriminada.

O ano de 1995 foi marcante para o ecossistema mas, não por bons motivos. Pelo contrário, foi o período em que o desmatamento da região foi mais significativo, especialmente, no Pará. E uma das consequências mais graves desse tipo de ação é o aumento do efeito estufa pela liberação dos gases responsáveis pelo fenômeno.

Outro grande problema é a poluição dos rios com mercúrio pelos garimpos de ouro. Como se já não fosse suficiente, a região é atacada pela chamada biopirataria, invasão de cientistas estrangeiros que adentram a floresta, sem autorização, para obter amostras e desenvolver pesquisas em seus próprios países.

Posteriormente, registram patentes para a obtenção de lucros e assim, o Brasil acaba pagando por substâncias cujas matérias-primas são originárias do próprio país. A caça predatória, ainda, é alarmante, colocando diversas espécies, como onça parda, macaco-prego e ararinha azul em extinção.

Projetos de conservação

Para se ter uma ideia da dimensão em termos de importância ecológica da Floresta Amazônica, basta analisar os números que representam a sua biodiversidade. Vamos dar uma olhada?

  • 311 espécies de mamíferos
  • Cerca de 3.000 espécies de abelhas
  • 378 espécies de répteis
  • 427 espécies de anfíbios
  • 1.800 espécies de borboletas
  • Mais de 30.000 espécies de plantas
  • Acima de 3.000 espécies de peixes
  • Mais de 1.300 espécies de aves

Isso sem destacar as espécies endêmicas, aquelas que só existem na Amazônia. Deu pra ver o quão necessária é a preservação desse ecossistema? Além disso, como já mencionamos, o desmatamento da floresta contribuiu para o aumento do efeito estufa o que, consequentemente, leva ao aumento da temperatura.

Entre os projetos de conservação que lutam pela preservação da Floresta Amazônica, estão:

  • Greenpeace
  • Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon)
  • SOS Amazônia
  • Amazonlink
  • Fundação Vitória Amazônia
  • Instituto Internacional de Pesquisa e Responsabilidade Socioambiental Chico Mendes (INPRA)
  • Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM)
  • WWF Brasil

Confira também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.