Medida Provisória aprova empréstimo para beneficiários do Auxílio Brasil

O Senado agora aguarda a decisão do Presidente do país.

O Senado Federal aprovou uma Medida Provisória (MP) autorizando empréstimos salariais para beneficiários do Auxílio Brasil. O texto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora segue para aprovação do presidente Jair Bolsonaro.

Diante disso, alguns beneficiários aguardam para saber quando o pedido será liberado e qual valor poderá ser oferecido.

Confira mais informações sobre o tema abaixo:

Leia mais: 3 maneiras de verificar minha aprovação no Auxílio Brasil

Em que consiste o empréstimo consignado?

A folha de pagamento já é um velho conhecido dos aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que já usufruem da possibilidade há alguns anos. Como a probabilidade de inadimplência é praticamente nula, as taxas de juros costumam ser melhores.

Esse tipo de empréstimo consignado é aquele em que as parcelas mensais são descontadas diretamente dos benefícios. Fora os aposentados e pensionistas do INSS, trabalhadores e servidores públicos com carteira assinada também podem solicitar esses empréstimos.

Hoje em dia, fazem parte do Auxílio Brasil cerca de 18,06 milhões de famílias e elas poderão contar com esses empréstimos após a aprovação presidencial. Há uma estimativa do governo que cerca de 77 bilhões de reais serão aprovados e liberados para os beneficiários.

Auxílio Brasil pode se tornar permanente

Além de tornar permanente o plano social, o Presidente da República deve aprovar a proposta, que também prevê a fixação do valor do Auxílio Brasil em 400 reais. Assim, a liberação do empréstimo consignado com base no benefício poderá ser liberado já considerando o novo piso a partir de 2023.

Levando em conta os 47,5 bilhões de reais já previstos para o programa, o governo prevê gastar 41 bilhões de reais por ano para financiar o programa complementar Auxílio Brasil, totalizando cerca de 90 bilhões de reais por ano.

Há discordâncias pelos estudiosos

Essa novidade é temida por especialistas que acreditam que isso pode aumentar os níveis de endividamento das famílias de baixa renda.

Questionado sobre o assunto, o Ministro da Cidadania, João Roma, disse que o público já tinha acesso a empréstimos, mas agora pode optar por taxas mais baixas.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More