Estudantes podem pedir reaplicação do Enem a partir de hoje

Inep está aceitando pedidos de reaplicação entre os dias 25 e 29 de janeiro.


Com a pandemia do coronavírus, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) apresentou diversas mudanças. Entre elas, a possibilidade de reaplicação em casos de doenças infectocontagiosas.

Os estudantes que se encaixam nos requisitos devem pedir a reaplicação entre os dias 25 e 29 de janeiro na Página do Participante. Além de problemas logísticos e estudantes barrados por superlotação, foram previstos sintomas do covid-19 e outras doenças infectocontagiosas.

As provas presenciais foram aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Nas semanas anteriores às provas, os estudantes poderiam enviar laudos médicos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do MEC responsável pela realização do Enem.

Caso não tenham feito o pedido, o sistema está aberto novamente, tendo a reaplicação nos dias 23 e 24 de fevereiro. Além da covid-19, foram previstos pelo órgão coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela.

De acordo com o Inep, no pedido, o candidato deve inserir documento legível que comprove a doença. Na documentação, deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Problemas logísticos

Estudantes que foram prejudicados por problemas logísticos também têm direito à reaplicação. Segundo o edital do Enem, são considerados desastres naturais que prejudiquem a aplicação do exame devido ao comprometimento da infraestrutura do local, falta de energia elétrica, falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela ou erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante, por exemplo.

Com as medidas sanitárias impostas para evitar contaminação do covid-19, as salas aceitaram somente metade dos participantes. Isso resultou em casos de superlotação e estudantes que foram barrados em pelo menos 11 locais de prova em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS).

Também devido à pandemia, 160.548 estudantes que fariam a prova no estado do Amazonas, 2.863 em Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D’Oeste (RO) podem pedir a reaplicação. Assim, cada situação será analisada individualmente pelo Inep, com a aprovação ou reprovação divulgada na Página do Participante, assim como pelo telefone do Inep 0800 616161.

Leia também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More