Gato-maracajá

Conheça um dos poucos felinos solitários e noturnos que vivem quase toda sua vida em cima de árvores.

0

O gato-maracajá (Leopardus wiedii) é um pequeno gato selvagem nativo da América Central e do Sul. De hábitos solitários e noturnos, esse felino vive em florestas primárias perenes e decíduas.

Até a década de 1990, os gatos-maracajá eram caçados ilegalmente para serem vendidos como animais de estimação. Isso levou a uma diminuição populacional da espécie. Desde 2008, o animal foi listado como “Quase Ameaçado” na Lista Vermelha da IUCN porque a população está em declínio devido à perda de habitat por causa do desmatamento.

Nome Científico

O nome científico do gato-maracajá é em homenagem ao príncipe Maximiliano de Wied-Neuwied, que coletou espécimes do animal no Brasil para serem estudados.

Características

É muito semelhante à jaguatirica maior na aparência. Sua é um pouco mais curta, os olhos maiores e a cauda e as pernas mais compridas. Os gatos-maracajá pesam entre 2,6 a 4 kg. O comprimento do seu corpo varia de 48 a 79 cm. A cauda mede de 33 a 51 cm.

Habitat gato-maracajá

A pele desses felinos é marrom e marcada com numerosas fileiras de rosetas marrons escuras ou pretas. As partes inferiores são mais claras e a cauda tem numerosas faixas escuras e uma ponta preta. As costas das orelhas são pretas com marcas brancas circulares no centro.

Habitat

É encontrado no sul do México, no norte da América do Sul, quase todas as regiões do Brasil e até na região leste dos Andes. A extremidade sul de seu alcance chega ao Uruguai e ao norte da Argentina. Eles são encontrados quase exclusivamente em áreas de floresta densa.

Comportamento

O gato-maracajá escala habilmente as árvores de seu habitat. Ele pode passar sua vida inteira nas árvores, pulando e perseguindo pássaros e macacos pelas copas. Isso ocorre devido a flexibilidade do tornozelo, que é necessária para subir de cabeça para baixo nas árvores.

É muito ágil, pode agarrar ramos igualmente bem com suas patas dianteiras e traseiras, e é capaz de pular até 3,7 metros horizontalmente.

São noturnos, preferem passar a maior parte da vida nas árvores, mas também viajam pelo chão, especialmente quando se deslocam entre áreas de caça. Durante o dia, eles descansam em ramos relativamente inacessíveis ou aglomerados de cipós.

Como a maioria dos gatos, eles são solitários, com os adultos apenas se encontrando para acasalar. Eles caçam imitando a vocalização de uma espécie de presa, o Sauim-de-coleira (Saguinus bicolor).

Reprodução

As fêmeas do sexo feminino tem um período fértil de quatro a dez dias. Elas atraem os machos com uma chamada longa e gemida. O macho responde gritando e também sacudindo a cabeça rapidamente de um lado para o outro, um comportamento que não é visto em nenhuma outra espécie de gato.

A cópula é semelhante à dos gatos domésticos, ocorre principalmente nas árvores e enquanto a fêmea estiver no cio. A gestação dura cerca de 80 dias e geralmente resulta no nascimento de um único gatinho, geralmente entre março e junho.

Os filhotes abrem os olhos por volta das duas semanas de idade e começam a ingerir alimentos sólidos entre sete a oito semanas. Eles atingem a maturidade sexual entre os doze e dezoito meses de idade e podem viver mais de 20 anos em cativeiro.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.