José Saramago

José Saramago foi condecorado com importantes prêmios da literatura e se consolidou como a maior expressão de literatura portuguesa contemporânea.

0

Você sabe quem foi José Saramago? José Saramago foi um escritor, poeta, contista, dramaturgo e jornalista português.

Como destacado escritor português, recebeu inúmeros prêmios, sendo o primeiro escritor em Língua Portuguesa a ser condecorado com o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998, e em 1995, o Prêmio Camões. É também considerado a maior expressão de literatura portuguesa contemporânea.

Biografia de José Saramago

José de Souza Saramago nasceu no dia 16 de Novembro de 1922, na aldeia de Azinhaga, província do Ribatejo. Porém, o seu registro oficial conta como data de nascimento o dia 18.

Com menos de dois anos de idade, os seus pais, camponeses, emigraram para Lisboa, onde passou a maior parte de sua vida. Entretanto, até os primeiros anos de sua vida adulta, muitas e com grande duração eram as visitas a sua aldeia natal.

Ainda que seja conhecido como um intelectual e escritor, só teve acesso a cursos técnicos.

Durante cinco anos esteve na escola para aprender o ofício de serralheiro mecânico, o qual seria seu primeiro emprego. Porém, muitas foram as suas profissões: desenhador, funcionário da saúde e da previdência social, tradutor, editor, jornalista.

Por cerca de doze anos trabalhou em uma editora, como diretor literário e de produção. Também colaborou como crítico literário na revista Seara Nova.

Nos anos 1972 e 1973, integrou a redação do jornal Diário de Lisboa, no qual foi comentador político, coordenando durante um ano o suplemento cultural daquele vespertino.

Diário de Lisboa

Saramago pertenceu a Associação Portuguesa de Escritores, sendo, de 1985 a 1994, presidente da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Autores.

Nos meses de abril a novembro de 1975 foi diretor adjunto do jornal Diário de Notícias.

Depois de 1976, atuou exclusivamente em função de seu trabalho literário, a princípio como tradutor, após autor.

Em 1988, José Saramago casou-se com Pilar del Río e, em fevereiro de 1993.

No ano de 2007 foi criada, em Lisboa, uma Fundação com o seu nome cujos objetivos cruciais eram a proliferação da literatura contemporânea, além da defesa e busca do cumprimento da carta dos Direitos Humanos e os cuidados ao meio ambiente.

No dia 18 de junho de 2010 veio a óbito em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (Espanha). Ele deixou uma filha e dois netos.

Ensaio sobre a cegueira – literatura e cinema

Livro Ensaio sobre a cegueira

Ensaio sobre a cegueira narra o comportamento de uma sociedade mediante um epidemia sem cura ou explicação, na qual a pessoa atingida perdia a visão. Porém, distinta da escuridão, a cegueira era branca e transmitia medo.

Lançado em 1995, o romance foi adaptado para o cinema em 2008, vencendo o Festival de Cannes.

A obra cinematográfica contou com a direção de Fernando Meirelles e a participação do atores Julianne Moore e Mark Ruffalo.

A narrativa destaca tanto os valores condenados pelo autor, tais como a crueldade, o egoísmo, o consumismo e a competição, quanto os que almeja prevalência, sendo eles o respeito ao outro, a dignidade, a coragem, a solidariedade, e a convivência.

José Saramago – Livros e demais obras

Romances

  • Terra do pecado (1947)
  • Manual de pintura e caligrafia (1977)
  • Levantado do chão (1980)
  • Memorial do convento (1982)
  • O ano da morte de Ricardo Reis (1984)
  • A jangada de pedra (1986)
  • História do cerco de Lisboa (1989)
  • O Evangelho segundo Jesus Cristo (1991)
  • Ensaio sobre a cegueira (1995)
  • Todos os nomes (1997)
  • A caverna (2000)
  • O homem duplicado (2002)
  • Ensaio sobre a lucidez (2004)
  • As intermitências da morte (2005)
  • As pequenas memórias (2008)
  • A viagem do elefante (2008)
  • Caim (2009)

Crônicas

  • Deste mundo e do outro
  • A bagagem do viajante
  • As opiniões que o DL teve
  • Os apontamentos

Contos

  • Objecto quase
  • Poética dos cinco sentidos – O ouvido
  • O conto da ilha desconhecida

Poemas

  • Os poemas possíveis
  • Provavelmente alegria
  • O ano de 1993
  • Peças teatrais
  • A noite
  • Que farei com este livro?
  • A segunda vida de Francisco de Assis
  • In nomine dei
  • Don Giovanni ou O dissoluto absolvido

José Saramago – Frases

Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar.

 Sempre chega a hora em que descobrimos que sabíamos muito mais do que antes julgávamos.

O espelho e os sonhos são coisas semelhantes, é como a imagem do homem diante de si próprio.

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo.

Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos.

Você pode gostar também de:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.